Business intelligence: saiba como funciona e como usar na tomada de decisão

Imagine uma ferramenta que colete dados do seu negócio de forma estratégica e ainda converta essas informações em valor: isso é o que o business intelligence faz.

A partir desses dados gerados em uma loja, por exemplo, é possível ter a noção do motivo da queda nas vendas, o tamanho e até mesmo a cor mais vendida de uma determinada loja, para que assim ela consiga lucrar mais e reduzir custos.

Mas é necessário que a coleta e organização desses dados permitam uma avaliação e visualização de maneira mais clara, e um software de planejamento estratégico pode ajudar nisso.

Quer saber mais sobre business intelligence, como funciona e suas vantagens¿ Então acompanhando!

O que é business intelligence?

Business Intelligence (BI) é um conjunto de técnicas que ingere dados de negócios e os apresenta em visualizações amigáveis, como relatórios, painéis, gráficos e tabelas.

As ferramentas de BI permitem que os usuários de negócios acessem diferentes tipos de dados, históricos e atuais, de terceiros e internos, bem como dados semi estruturados e dados não estruturados, como mídias sociais.

Dessa forma, é realizada uma análise dessas informações para obter insights sobre o desempenho do negócio.

As organizações podem usar os insights obtidos com business intelligence para melhorar as decisões de negócios, identificar problemas ou questões, identificar tendências de mercado e encontrar novas oportunidades de receita ou negócios.

Onde surgiu o business intelligence?

O termo business intelligence foi usado pela primeira vez em 1865 pelo autor Richard Millar Devens, quando citou um banqueiro que coletava informações sobre o mercado antes de seus concorrentes.

Em 1958, um cientista da computação da IBM, chamado Hans Peter Luhn, explorou o potencial do uso da tecnologia para reunir inteligência de negócios. Sua pesquisa ajudou a estabelecer métodos para criar algumas das primeiras plataformas de análise da IBM.

Nas décadas 60 e 70, os primeiros sistemas de gerenciamento de dados e sistemas de suporte à decisão (DSS) foram desenvolvidos para armazenar e organizar volumes crescentes de dados.

Muitos historiadores sugerem que a versão moderna do business intelligence evoluiu do banco de dados DSS. Uma variedade de ferramentas foi desenvolvida durante esse período, com o objetivo de acessar e organizar os dados de maneira mais simples. 

Já na década de 90, ela tornou-se cada vez mais popular, mas a tecnologia ainda era complexa. O desenvolvimento mais recente concentrou-se em aplicativos de BI de autoatendimento, permitindo que usuários não especialistas se beneficiem de seus próprios relatórios e análises.

As plataformas modernas baseadas em nuvem também ampliaram o alcance do BI em todas as regiões. Muitas soluções agora lidam com big data e incluem processamento em tempo real, permitindo processos de tomada de decisão com base em informações atualizadas.

Agora que já te explicamos o que é como surgiu o business intelligence, vamos mostrar como essa ferramenta funciona na prática. 

Como funciona o business intelligence?

As plataformas de business intelligence tradicionalmente dependem de armazenamento de dados para suas informações básicas, agregando-os de várias fontes de dados em um sistema central, para oferecer suporte a análises e relatórios de negócios

A partir daí, ele consulta o armazém e apresenta os resultados ao usuário na forma de relatórios, gráficos e mapas. E eles podem incluir um mecanismo de processamento analítico online (OLAP) para dar suporte a consultas multidimensionais. 

Por exemplo: Quais são as vendas para nossa região leste versus nossa região oeste este ano, em comparação com o ano passado? O OLAP fornece tecnologia poderosa para descoberta de dados, facilitando a inteligência de negócios, cálculos analíticos complexos e análises preditivas.

Algumas soluções de business intelligence mais recentes podem extrair e inserir dados brutos diretamente usando tecnologia como o Hadoop, mas os data warehouses ainda são a fonte de dados preferida em muitos casos.

Business intelligence

Seu processo, portanto, é divido em 3 etapas. Que são:

Coleta e organização de dados

Essa etapa consiste em estabelecer os dados que serão coletados e que ajudarão a aprimorar as informações, como: despesas, projetos elaborados, metas alcançadas, entre outros.

Para que os gestores possam interpretar melhor falhas nos orçamentos ou padrões de comportamentos, é preciso essa etapa para definir métricas e indicadores e, assim, criar relatórios a partir de perguntas, como: o que aconteceu? Quantas vezes? Como podemos mudar isso?

Análise e compartilhamento

É importante compartilhar as informações alcançadas a partir dessas etapas, para as áreas necessárias dentro da empresa. Dessa forma. Será possível dedicar nas melhorias ou soluções para resolver o problema

Compartilhamento

Na última etapa, compartilhe as informações obtidas para as respectivas áreas, para que se possa trabalhar em soluções e melhorias com o objetivo de resolver o problema apresentado. 

Por que o business intelligence é importante?

Business Intelligence é importante porque oferece às organizações a capacidade de fazer perguntas em linguagem simples e obter respostas que possam entender.

Em vez de usar as melhores suposições, eles podem basear as decisões no que seus dados de negócios estão dizendo a eles, seja relacionado à produção, cadeia de suprimentos, clientes ou tendências de mercado.

Por que as vendas estão caindo nesta região? Onde temos excesso de estoque? O que os clientes estão dizendo nas mídias sociais? O BI ajuda a responder a essas perguntas críticas.

Portanto, o business intelligence fornece insights passados ​​e atuais sobre os negócios. Isso é alcançado por meio de uma variedade de tecnologias e práticas, desde análises e relatórios até mineração de dados e análises preditivas.

Ao fornecer uma imagem precisa do negócio em um momento específico, o BI fornece a uma organização os meios para projetar uma estratégia de negócios com base em dados reais.

Benefícios de utilizar o business intelligence

As organizações se beneficiam do business intelligence quando podem avaliar totalmente as operações e processos, entender seus clientes, avaliar o mercado e impulsionar a melhoria. 

Isso porque ele fornece as ferramentas certas para agregar informações comerciais de qualquer lugar, analisá-las, descobrir padrões e encontrar soluções, apoiando o processo de tomada de decisão das seguintes maneiras. 

Veja mais benefícios: 

Oferece uma visão ampla de dados

Conectando-se a uma ampla variedade de diferentes sistemas de dados e conjuntos de dados, incluindo bancos de dados e planilhas, fornecendo uma análise profunda, ajudando os usuários a descobrir relacionamentos e padrões ocultos em seus dados.

Além disso, apresentando respostas em visualizações de dados informativas e atraentes, como relatórios, mapas, tabelas e gráficos.

Permite comparações em diferentes cenários

Fornecendo recursos de drill-down, drill-up e drill-through, permite que os usuários investiguem diferentes níveis de dados e em vários cenários.

Otimiza tarefas

Por meio de sistemas avançados de BI e análise, também podem integrar inteligência artificial (IA) e aprendizado de máquina, para automatizar e otimizar tarefas complexas.

Esses recursos aceleram ainda mais a capacidade das empresas de analisar seus dados e obter insights em um nível profundo.

Como o Business Intelligence pode ajudar sua empresa? 

Business intelligence

A inteligência de negócios ajuda as organizações a se tornarem empresas orientadas por dados, melhorar o desempenho e obter vantagem competitiva. Eles podem:

Portanto, se você quer tornar seu negócio mais competitivo, invista no business intelligence, já que, a partir da reunião de dados e técnicas, sua empresa vai conseguir coletar e utilizar esses dados de forma estratégica.

Estratégia SEO: qual a importância para o seu negócio digital

Você criou seu site profissional, mas, quando vai pesquisá-lo no Google, nunca o encontra na primeira página de resultados? Se a resposta for “sim”, saiba que isso acontece com muitos, afinal de contas, são poucas opções que aparecem nos resultados de cada página. 

Por esse motivo, o SEO é tão importante. Basicamente, Search Engine Optimization significa otimização para mecanismos de pesquisa e é o processo que você precisa para aumentar a visibilidade do seu site.

Para a maioria das empresas, estar na primeira página dos resultados de pesquisa significa se destacar dos concorrentes. Afinal, pessoas em todo o mundo realizam diversas pesquisas, todos os dias na internet. 

Na verdade, o Google é o site mais visitado de todos os tempos, perdendo o posto apenas em 2021 para o Tik Tok. Desde sua primeira aparição em 1997, o Google é a primeira opção para pesquisar e adquirir um produto ou serviço. No entanto, a maioria das pesquisas param na primeira página.

Por isso, se você está administrando um negócio online e seu público não consegue encontrá-lo entre os resultados da primeira página, você perde clientes. Simples assim. Mas, se você ainda está se perguntando por que o SEO é importante, neste artigo falaremos sobre as razões pelas quais você deve começar a investir na estratégia. 

 

O que é SEO?

Simplificando, SEO é o processo de melhoria da sua página na web para aumentar sua visibilidade online. Quanto melhor for o seu SEO, mais pessoas o encontrarão fazendo suas pesquisas online.

Os mecanismos de pesquisa usam bots para rolar entre milhares de páginas da internet e fornecer a resposta mais relevante às consultas de pesquisa. Se o seu conteúdo for relevante para o mecanismo de pesquisa, sua página aparecerá nos primeiros resultados orgânicos (não pagos). 

O SEO é uma estratégia essencial para o marketing digital porque permite que você construa sua autoridade online e aumente seu público – transformando seus leads em compradores.

 

O significado do SEO no design do site

Quando se fala em SEO, há outra coisa a se considerar: a importância do SEO no web design. Se o seu site não for claro ou não for compatível com dispositivos móveis, as pessoas provavelmente deixarão a página e comprarão um produto semelhante em outro lugar. 

O design da sua página inicial é tão importante quanto as estratégias de marketing e SEO. Temos falado sobre a importância de atrair novos visitantes, mas também é importante mantê-los em seu site e fazer com que comprem seus produtos.

Dos tamanhos das suas imagens às tags, recursos e cores, qualquer elemento do seu site deve ser compatível com a experiência do usuário. O apelo visual do site ajuda a sua classificação e mantém seus visitantes engajados em sua página.

 

Por que o SEO é importante para o seu negócio

Aqui está uma lista com os principais motivos que levam empresas a investirem cada vez mais tempo na estratégia de SEO. 

1. Aumento do tráfego orgânico

Quando você administra um negócio digital, seu primeiro objetivo é atrair pessoas para seu site. Quanto mais pessoas visitarem sua página, maior será a probabilidade de novos clientes comprarem seus produtos e serviços. 

Considerando que 53% do tráfego do site vem da busca orgânica, o SEO é sua ferramenta mais eficaz para atrair clientes. Se o seu site for classificado por palavras-chave relevantes, mais tráfego você receberá. É por isso que você precisa de SEO para ocupar uma posição na primeira página do Google. 

2. Aumento da autoridade de marca

O SEO não ajuda apenas no tráfego orgânico, mas também na autoridade da marca. As pessoas tendem a confiar em mais sites que aparecem na primeira página do Google e apenas alguns realizam suas pesquisas na segunda página. 

De modo geral, as pessoas confiam nos primeiros resultados para responder à sua consulta e, eventualmente, comprar um produto. Portanto, a menos que você seja uma marca estabelecida no mercado, é importante que trabalhe para aparecer entre os primeiros resultados de pesquisa.

Muito provavelmente, novos clientes encontrarão você digitando palavras-chave específicas em vez de sua marca. Com isso, se as pessoas começarem a ver sua página no topo das pesquisas, fornecendo informações úteis, elas confiarão em sua marca e comprarão em seu site.

3. Atinge o público-alvo

Como dissemos, é provável que os clientes em potencial encontrem você pesquisando no Google. Usar SEO para segmentar palavras-chave específicas significa segmentar seu público e atrair clientes em potencial reais. 

Por exemplo, imagine que você tem um e-commerce de roupas sustentáveis. Usando palavras-chave relacionadas ao estilo de vida de desperdício zero, você pode atrair um público de nicho que provavelmente voltará à sua página para obter mais informações.

Construir o reconhecimento da sua marca também significa segmentar clientes ideais, criando um público que confiará em sua página para determinados produtos e serviços. E eles provavelmente voltarão à sua página para obter mais informações e comprar os produtos que precisam de você. 

Com a estratégia de SEO certa, você pode segmentar especificamente sua persona de comprador e expandir seus negócios ao longo do tempo.

4. Proporciona boa experiência ao usuário

Para que as estratégias de SEO sejam eficazes, seu site precisa ter conteúdo otimizado para facilitar a navegação de seus usuários. Portanto, melhorar a experiência do usuário ajudará você a manter os visitantes em sua página. 

Consequentemente, se as pessoas ficarem muito tempo no seu site, os bots de SEO verão suas páginas como relevantes, aumentando seu ranking e, mais importante, podendo aumentar suas vendas.

5. Melhoria no ciclo de compra

O SEO suporta seus objetivos de negócios com um ROI melhor. Cada vez mais os consumidores estão sendo conquistados e fechando vendas através do marketing digital e não do marketing tradicional. Portanto, com a estratégia certa, você pode atrair potenciais compradores em busca de melhores ofertas ou novos produtos. 

Usando palavras-chave — inclusive de cauda longa — você pode acabar onde seus clientes estão pesquisando. Uma vez que você tenha uma presença estável na pesquisa deles, é possível direcionar o ciclo de compra dos potenciais clientes para sua página.

6. Ajuda as vendas offline 

Outra razão pela qual o SEO é importante é que ele ajuda nas vendas offline. Talvez você fique surpreso, mas as pessoas costumam verificar os sites das lojas antes de entrar fisicamente lá para comprar um item. Além disso, os consumidores usam o Google para comparar preços, empresas locais e, mais importante, ler avaliações. 

Nos últimos anos, essas consultas de pesquisa online que costumavam ocorrer em uma loja aumentaram significativamente. Assim, uma sólida estratégia de SEO ajuda tanto nas vendas online quanto offline.

7. Vendas com SEO local

O SEO local significa otimizar seu conteúdo para pesquisa específica do local. Os mecanismos de pesquisa também analisam a localização do usuário para determinar o que está mais próximo e mostrar a ele. 

Por exemplo, se você está otimizando sua página online com a palavra-chave “entregas para viagem”, será muito mais difícil melhorar sua classificação, já que  palavras-chave abrangentes assim têm muita concorrência. 

Usando o SEO local, você tem mais chances de aparecer nos primeiros resultados quando as pessoas pesquisarem por delivery na sua localização. A pesquisa local é uma das estratégias mais eficazes para expandir seus negócios em áreas específicas. 

Com otimizações locais, você pode segmentar bairros, cidades ou regiões segmentando seu público-alvo com base em seus hábitos locais.

8. Fácil Medição

O SEO é mensurável e quantificável. Você pode acompanhar as compras do seu cliente e ajustar sua estratégia para aumentar seus leads usando um software de rastreamento e análise. Além disso, com ferramentas como o Google Search Console, você pode examinar quais palavras-chave estão direcionando o tráfego.

Graças a essa análise, sua equipe de marketing pode trabalhar com esses dados e melhorar suas campanhas conectando-se a mais clientes.

9. Melhora o entendimento sobre seu público-alvo

Entender seu público significa encontrar a chave certa para comunicar a eles sua missão e seus produtos. O SEO ajuda você a entender seu público segmentando as palavras-chave certas, pois é uma das ferramentas mais eficazes para analisar tendências de mercado e acompanhar as ações do seu público. 

Os dados e formatos de SEO fornecem uma ideia clara dos hábitos de compra e do comportamento do usuário. Usando dados de consulta de pesquisa, análise SERP, dados analíticos e insights de IA (Inteligência Artificial), você pode promover seus produtos e serviços com base nas preferências do seu público.

10. Não é uma tática de marketing desnecessária

Como dissemos, em muitos casos, o SEO funciona melhor do que um anúncio pago. Uma estratégia de longo prazo permite que você conheça seus clientes e crie planos com base em suas necessidades.

Ao invés de investir muito dinheiro em vendas e anúncios nas Redes Sociais, você pode encontrar novos visitantes com conteúdo de qualidade e informações valiosas. Como resultado, você pode aumentar o reconhecimento da sua marca e criar um público fiel, que compartilhará seu conteúdo promovendo seus produtos e serviços.

Claro, o tráfego pago também é importante para conseguir mais vendas e de forma mais rápida. Porém, o SEO é uma estratégia que poderá trazer muito retorno sem a necessidade de investir nenhum dinheiro. 

11. Carregamento mais rápido do site

Você sabia que 40% dos visitantes saem de uma página da web se ela demorar mais de três segundos para carregar? Se você ainda não analisou a velocidade de carregamento do seu site, é um fator crucial a considerar.

Lembra quando dissemos que o tempo que os visitantes passam em sua página afeta sua classificação? Se as pessoas saírem do seu site após alguns segundos, o SEO pensará que sua página é irrelevante. Afinal, o tempo de carregamento lento resulta em uma experiência ruim para o usuário. 

Acelerar sua página otimizando seu conteúdo melhora não apenas a experiência do usuário, mas também, suas taxas de conversão.

Conclusão

Investir em uma ótima equipe de desenvolvimento e estratégias de SEO são os pilares para o crescimento de um site sólido e de sucesso. 

No entanto, há outra razão pela qual o SEO é importante. Nos últimos dois anos, as pessoas passaram a maior parte do tempo online e estão mais abertas às compras nesse ambiente.

Os clientes são mais propensos a comprar quando uma empresa fornece informações valiosas do que apenas vender um produto. Portanto, mesmo que demore, ofereça conteúdo autêntico e otimize seu site para que seus potenciais clientes encontrem sua empresa.

Publicidade e marketing: entenda os benefícios de trabalhar com essas ferramentas

O mundo não seria o mesmo se os profissionais que trabalham na área de publicidade e marketing não colocassem a criatividade a serviço da divulgação de produtos e serviços, promovendo muitos negócios. 

Embora exista uma conexão entre essas duas palavras, é preciso determinar as diferenças entre esses setores, que não são nada sutis, e possuem características próprias e muito importantes para a compreensão total na área da comunicação.

Isso porque, a publicidade visa colocar em prática tudo que se trata da divulgação de uma marca, um produto ou um serviço. São utilizadas diversas ferramentas provenientes do marketing, podendo utilizar:

No entanto, é a partir do marketing que tudo funciona de forma estratégica e mensurável, pois quem cuida dessa área se torna responsável por análises comportamentais de consumidores, além do próprio mercado em que a empresa anunciante está envolvida.

Nesse sentido, os profissionais que atuam em uma equipe de marketing criam estratégias conforme as mudanças de mercado se apresentam, adaptando ao máximo em situações específicas, como:

Há um terceiro ponto que precisa ser tratado, que também está relacionado tanto à publicidade quanto ao marketing, que é a propaganda

Esse termo tem como objetivo centrar em aspectos comerciais, desde ações simples, como a distribuição de panfletos e montagem de estandes em estabelecimentos comerciais, chegando à divulgação em intervalos de rádio e TV, assim como anúncios em jornais e revistas e na própria internet.

Em todos os casos, as estratégias propostas pelo setor de marketing devem ser levadas em consideração, pois ali se concentram as ideias de como será aplicado o orçamento, e quais as ferramentas são mais apropriadas para a divulgação, de forma geral. 

Elaboração de estratégias para divulgação acertada

É muito importante um planejamento de comunicação e marketing para que uma empresa seja reconhecida pelo mercado consumidor. 

Entender quem é o público-alvo, quais os produtos e serviços que podem ser oferecidos e como isso chegará ao alcance faz parte de todo processo de divulgação que envolve publicidade e marketing. 

As estratégias podem variar de acordo com a situação em que a empresa se encontra, e até mesmo em relação à economia e as necessidades essenciais e aquelas que podem ser consideradas dispensáveis.

Dessa forma, é preciso identificar o que pode ser melhor aproveitado por uma marca quando se trata de um planejamento adequado e dentro dos parâmetros de atendimento aos desejos e anseios de cada consumidor. 

1. Direcionamento de mensagem 

É preciso conversar com o público de forma direta. Basicamente, há dois modelos distintos quando se trata de negócios, que se apresentam como B2B (Business To Business) e B2C (Business To Consumer). 

O primeiro se refere às comercializações entre empresas, em que os bens de consumo são disponibilizados entre intermediários, até chegar ao cliente final. 

Isso pode ser observado em diferentes segmentos, como a produção de material filtrante para o setor industrial. Ou então a farinha de trigo que é vendida para as padarias produzirem os pães e, aí sim ser vendida para os consumidores.

Dessa forma, é possível fazer o direcionamento da mensagem para cada público, estipulando como serão divulgadas as peças publicitárias, acarretando até mesmo sobre a maneira de como cada setor de vendas deve tratar a comunicação.

2. Disponibilidade de produtos e serviços no mercado

Para atingir o público de maneira correta, é preciso compreender como funciona o mercado em que o produto se encaixa, e como isso pode ser divulgado de maneira acertada, sem qualquer ruído na comunicação.

Os fabricantes de meias para ciclistas, por exemplo, precisam fornecer materiais publicitários para que os estabelecimentos comerciais possam oferecer os produtos aos clientes. 

Sem esse tipo de comunicação, fica impossível saber sobre a disponibilidade dos produtos, ou os serviços que podem ser adquiridos pelo cliente.

A equipe de marketing pode solicitar uma arte específica para imprimir em forma de cartaz, ou criar um vídeo publicitário que possa ser divulgado nas redes sociais, assim como no intervalo de programas de TV e nas salas de cinema.

3. Reconhecimento como autoridade

Uma estratégia muito importante está na formação de autoridade sobre os produtos e serviços oferecidos para o mercado consumidor.

Sendo assim, é preciso focar no marketing de conteúdo, discorrendo sobre as qualidades e benesses relacionadas ao que está à disposição dos clientes. 

Caso o proprietário de um veículo tenha dúvida sobre o parcelamento de multas Campinas, é preciso esclarecer como tudo funciona tecnicamente, porém com uma linguagem voltada para os leigos. 

A produção de conteúdo pode ser em diferentes formatos, como textos, artigos, podcasts ou vídeos, e serem disponibilizados em blogs empresariais, sites corporativos, ou mesmo nas redes sociais. 

Com isso é possível fazer com que as pessoas acompanhem a empresa por meio de plataformas digitais, e até mesmo se tornando divulgadoras da marca de forma espontânea.

Esse tipo de engajamento propõe o reconhecimento com autoridade, se tornando uma referência para os consumidores e, por que não, até mesmo para os concorrentes.

4. Segmentação de público atrai fidelização

Conhecer o público-alvo é essencial para que os materiais promocionais possam ser desenvolvidos com características próprias, voltadas para quem realmente se interessa, ou ao menos desperte o interesse de maneira imediata.

As campanhas publicitárias podem seguir diferentes caminhos quando se entende como uma marca pode atrair consumidores de forma específica, segmentada, ou até mesmo em nichos menores, mas nem por isso sem grande número de consumidores.

Basta imaginar que uma venda de camâra fria para distribuidora de carnes é direcionada a açougues e supermercados. 

Logo, é preciso direcionar todo o material de divulgação para esse público, fidelizando a marca junto aos clientes da melhor forma possível.

Benefícios de um planejamento adequado

Independentemente de qual segmento que uma empresa atua, é preciso entender que o investimento em marketing e publicidade é essencial para o crescimento junto ao mercado consumidor. 

Contudo, os benefícios se estendem para outras áreas que vão além do comercial, como vemos a seguir.

1. Auxílio na tomada de decisões do cliente

A proposta principal de uma empresa é oferecer soluções, e a propaganda desenvolvida pela equipe de marketing deve apresentar todas aquelas que tomam os consumidores, mesmo que eles não saibam que possuem um problema.

No mercado B2B, uma concessionária que apresenta um projeto de rede elétrica subterrânea para uma construtora de condomínios residenciais, empresariais ou industriais, está propondo uma solução que pode ser benéfica em muitos aspectos.

Mesmo para a empresa que oferece esse tipo de serviço, pode ser empregado dentro do planejamento de marketing e ser utilizado como forma de atrair novos clientes.

2. Credibilidade junto ao público-alvo

A autoridade formalizada de forma coerente e frequente, com a publicação de marketing de conteúdo em diferentes ferramentas, tanto em mídias tradicionais quanto em plataformas digitais, tem como consequência a credibilidade junto ao público.

Sendo reconhecida como uma empresa que atua de maneira acertada no mercado consumidor, é possível que uma empresa que trabalhe na área de vending machine Porto Alegre possa espalhar equipamentos por todo o território nacional.

A necessidade de adaptação pode ser revista dentro de um planejamento de negócios, entretanto o marketing pode funcionar de maneira plena conforme a adaptação de forma regionalizada.

Tudo isso explorando a credibilidade alcançada a partir de materiais promocionais e toda a publicidade envolvida na divulgação dos produtos e serviços.

3. Investimento em marketing como retorno financeiro

Todo empreendedor precisa reconhecer que todo orçamento direcionado ao marketing não deve ser tratado como gasto de dinheiro, mas um investimento que provoca um retorno financeiro.

Para isso é preciso um planejamento orçamentário, que pode ser desenvolvido entre a equipe de marketing e um escritório de contabilidade SP Zona Norte terceirizado. 

Dessa forma, é possível compreender que os valores disponibilizados para a divulgação da marca, dos produtos e serviços têm como consequência a aquisição de clientes.

4. Melhora de relacionamento com o cliente

Uma propaganda pode ser eternizada de acordo com os jargões utilizados, as frases de efeito, ou mesmo a funcionalidade dos produtos e todas as utilidades que podem ser empregadas.

As ferramentas de comunicação podem ajudar uma empresa que trabalha com inspeção veicular Campinas a determinar o que os clientes precisam, apenas apontando os serviços promovidos por meio de um folheto distribuído de forma regionalizada.

Sendo assim, o relacionamento com o cliente pode manter uma comunicação contínua, atendendo todas as necessidades e apresentando todas as soluções plausíveis, enquanto isso, o marketing irá mensurar os resultados obtidos por meio dessas publicidades e o que pode ser otimizado em cada tipo de campanha.

Conclusão

É importante entender que tanto a publicidade quanto o marketing precisam trabalhar em uma mesma sintonia, de forma integrada e com compartilhamento de ideias que, ao final, vão ajudar na propaganda dos produtos e serviços disponíveis para o mercado consumidor.

As ações tomadas e as estratégias definidas visam promover uma marca de forma competente, gerando resultados que devem ser satisfatórios em todos os sentidos. 

Assim, é possível compreender que todos os esforços, nas mais diversas formas e conteúdos apresentados, retornam como crescimento empresarial e reconhecimento da marca. 

As vendas de produtos e serviços crescem e se solidificam conforme o relacionamento com o público se torna cada vez mais presente, seja no dia a dia ou nas propagandas disponíveis nas mais diversas mídias para a divulgação. Tudo isso proporcionado pelas estratégias de marketing e encampadas pela publicidade.

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Business Connection, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

Dicas de como trabalhar no composto midiático e obter resultados

O composto midiático tem um papel muito importante para a divulgação das marcas para o público. 

Este é um meio essencial para que os empresários, independentemente do porte de seu negócio, possam mostrar o trabalho da empresa, visando se consolidar na área de atuação escolhida.

Contudo, antes de fazer investimentos em divulgação no composto midiático, é necessário entender o que é, como veicular campanhas publicitárias para conseguir divulgar o seu negócio e outros detalhes importantes para conseguir um bom uso das mídias. Confira mais detalhes acerca dessa estratégia a seguir!

A importância de fazer um bom uso do composto midiático

Criar e divulgar campanhas de sucesso nas mídias tem se tornado um processo complexo, já que os resultados positivos não dependem apenas da presença em várias plataformas. 

Sendo assim, para chamar a atenção do público-alvo do seu negócio é necessário ações estratégicas e um bom plano de mídia para que o retorno seja interessante para a empresa e as pessoas atingidas sejam as mais qualificadas para adquirirem com a marca.

O sucesso depende muito da definição de algumas estratégias para guiar as ações. Com isso, os profissionais responsáveis pelo marketing do negócio podem se reunir com os gestores e líderes para conversar sobre o planejamento.

O processo de escolha das mídias que serão utilizadas, por exemplo, pode ser complexo, pois algumas variáveis precisam ser consideradas, já que estas podem definir qual plataforma tem maior potencial para gerar o sucesso das ações.

Com um planejamento de mídia bem elaborado, é possível ter excelentes resultados no marketing do seu negócio. 

Sendo assim, dedicar tempo para a criação deste planejamento é o modo de empresas de climatizador para mercado, e outros segmentos, obterem lucros e conquistar novos clientes.

O que é plano de mídia e qual a sua importância nos negócios?

Com as transformações digitais recentes e sua constante evolução, as marcas podem contar com diferentes plataformas para a veiculação das campanhas e para se comunicar com a audiência de mais qualidade, algo que ajuda a construir uma boa relação empresa-cliente.

A diversidade é algo positivo, mas exige mais atenção dos profissionais para entender sobre as plataformas e assim conseguir criar boas ações de marketing em cada uma delas, ou pelo menos naquelas em que os potenciais clientes estão. 

O planejamento de mídia consiste em definir quais canais serão utilizados, além de avaliar os principais pontos que ajudam na elaboração das campanhas e as principais plataformas e que os conteúdos de divulgação serão colocados.

Com organização e definição do planejamento com as estratégias para as campanhas, os empresários podem conquistar excelentes resultados nos negócios.

Alguns fatores importantes no planejamento de mídia e que devem ser considerados consistem em:

Os detalhes no plano de mídia devem sempre ser pensados considerando o público, ou seja, o que eles desejam e como podem reagir a determinados conteúdos e ações que a empresa desenvolve, sendo os aspectos mencionados apenas alguns dos pontos que podem ser levados em consideração para uma melhor resposta.

Como introduzir o marketing digital e as redes sociais no composto midiático?

O marketing digital e a inserção das redes sociais em composto midiático é algo muito importante quando o assunto é divulgação de produtos e serviços. 

Com os meios de comunicação mais acessíveis, as empresas de retrofit eletrico e de outras áreas passaram a pensar em estreitar laços com os clientes.

A tecnologia facilitou as relações entre cliente e empresa, ou seja, as pessoas podem apresentar críticas, sugestões e assim criar um diálogo benéfico para ambas as partes, aumentando a valorização das marcas.

Com estes fatores, o composto midiático passou a ser muito importante na rotina das empresas, seja através de ferramentas eletrônicas, como e-mails, redes sociais e sites corporativos que estão em constante evolução para excelentes resultados online.

As melhorias na comunicação entre empresas e consumidores, a inserção do marketing digital para enviar mensagens diretamente para o público-alvo se tornou uma realidade que melhora o processo de divulgação, fortalece a marca, além de tornar a jornada de compra mais eficiente, com um bom funil de vendas.

Um ponto positivo é que o marketing digital pode atuar em conjunto com várias mídias de comunicação para que as empresas consigam elaborar uma campanha publicitária completa. 

Deste modo, conhecer as principais ferramentas eletrônicas que compõem o composto midiático e que conversam com peças publicitárias são modos de ter um bom desempenho. As mais utilizadas são:

Estes são apenas alguns exemplos que podem ser utilizados por diversas empresas. 

Inclusive, um diferencial interessante é oferecer um QR Code para que as pessoas possam fazer a leitura dos conteúdos pelo celular, um dos canais que apresenta uso mais facilitado e frequente na rotina.

Usar este recurso permite que o público-alvo tenha acesso a diversas informações sobre produtos e serviços da empresa. 

Assim, ao apontar a câmera do celular, a pessoa é direcionada ao ambiente digital, como um site ou outro espaço que a marca visa direcionar, e assim consegue acessar os dados e melhora a experiência com a marca.

O QR Code pode ser utilizado em diversos segmentos para ajudar na divulgação. Desde serviço de mandrilamento usinagem até empresas que atuam na venda de produtos de uso diário, apostar nesta ferramenta para divulgar o trabalho é o modo dos clientes conhecerem o trabalho da companhia.

Como criar estratégias de marketing?

O sucesso da comunicação e marketing dependem muito de boas ideias e um planejamento eficiente.

No plano são definidas as principais estratégias para o marketing e o que será utilizado para conseguir bons resultados.

Buscar informações e referências sobre agências especializadas em marketing é o modo de ter equipes para cuidar e elaborar as estratégias, as campanhas publicitárias e de todos os detalhes que estejam relacionados à divulgação de forma mais qualificada.

As principais dicas para conseguir ganhos interessantes com as estratégias de marketing são:

1.Pense sempre um passo à frente

Entender as necessidades dos usuários é essencial para estar sempre à frente, oferecendo materiais e soluções para o cliente, se destacando perante os concorrentes.

Uma instituição especializada em cursos de reciclagem de bombeiro civil, por exemplo, pode divulgar para os interessados a grade curricular, professores e conteúdo programático, que são informações cruciais para apresentar o serviço e atrair os usuários.

Fornecer dados completos nas redes sociais, por exemplo, são formas de deixar as pessoas informadas sobre o seu negócio, além de conseguir tráfego orgânico.

Usando técnicas de SEO (Search Engine Optimization), palavras-chave e hashtags é possível destacar conteúdos nas redes sociais de como fabricar velas em casa e de vários assuntos que se relacionem ao segmento de atuação, conseguindo excelentes resultados para o marketing digital da sua empresa.

2.Torne os produtos e serviços mais acessíveis

Antes da evolução tecnológica, as pessoas precisavam ler jornais, conversar com amigos próximos e até visitar o estabelecimento para conhecer produtos e serviços do seu interesse.

Atualmente, os consumidores realizam diversas buscas, desde as mais simples até as mais específicas, antes de realizar a compra ou contratação de serviços, tendo mais segurança de sua decisão e em quais locais concluir a contratação/compra.

Pense no seguinte cenário: Em um edifício residencial, a figura do síndico é muito importante, mas nenhum morador manifestou interesse em ocupar o cargo. Por isso, começa-se a considerar outras opções, como investir no trabalho de síndicos profissionais.

Isto posto, antes de fechar contrato, as pessoas podem pesquisar informações e assim encontrar uma administradora de condominios residenciais com experiência no mercado e que melhora pareça atender as necessidades dos condôminos.

3. Observe as tendências de marketing digital

Conhecer as principais tendências que surgem anualmente e que geram impactos no marketing digital são formas de manter as estratégias atualizadas.

Quando se trata de redes sociais, os profissionais devem avaliar se estas ferramentas ajudam a fortalecer a imagem nos canais em que a marca está inserida e, assim, priorizar o que é mais importante.

Apostar em conteúdos com diferentes formatos, adequá-los sempre às novidades que as redes sociais oferecem por conta das mudanças dos algoritmos e criar materiais para momentos específicos da jornada de compra são formas de conseguir um desempenho promissor.

4.Use as métricas e insights para definir frequência e formatos

Os resultados obtidos com as estratégias são importantes para que a equipe possa avaliar se as estratégias para aumentar a divulgação de seguro moto Curitiba estão surtindo efeito. 

Com os dados, os profissionais podem decidir os formatos e detalhes a respeito da comunicação nas redes sociais, modificando o calendário ou otimizando, conforme o comportamento dos usuários.

Unir a internet e suas inúmeras possibilidades a outros meios de comunicação, por exemplo, os de massa são formas de se adequar ao composto midiático. 

Deste modo, usar as diferentes plataformas de comunicação é o modo de conseguir divulgar, por exemplo, um aluguel de salas por dia.

Considerações finais

Com diversos recursos que facilitam a elaboração das estratégias de marketing e comunicação, a empresa pode ter bons resultados ao se posicionar de forma mais próxima dos usuários.

Portanto, o caminho para o sucesso está relacionado ao desenvolvimento de boas estratégias de marketing que ajudam a evidenciar o negócio. 

Para isso, os investimentos em recursos modernos para a publicidade é um diferencial para atender a todos e ampliar o seu público-alvo, melhorando o faturamento e implementando um composto midiático mais diverso e eficaz.

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Business Connection, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

Saiba as vantagens de trabalhar com o home office

O home office é uma tendência cada vez mais consolidada no mercado atual. Afinal, a possibilidade de trabalhar em outro local além da sede física traz benefícios tanto aos colaboradores quanto à empresa contratante.

O regime de home office pode se dar na casa dos funcionários (home office quer dizer “escritório em casa”). Contudo, a opção por escritórios de coworking também é bastante comum.

No Brasil, até o ano de 2020 se estima que cerca de 90% das empresas tenham oferecido uma modalidade de trabalho relacionada ao home office.

Esse é um indício de uma mudança geral no cenário produtivo a nível nacional e até mesmo mundial.

Este texto traz os benefícios que o home office representa para a empresa de piso autonivelante preço m2 e para os funcionários.

Continue a leitura para entender como essa forma de trabalho remoto pode gerar impactos muito positivos para todas as partes envolvidas.

Vantagens do home office para empresas

A implantação de um sistema de home office exige uma liderança ativa. Isso porque o desempenho dos colaboradores vai precisar ser monitorado à distância.

Confira os tópicos logo abaixo e conheça os principais benefícios que o trabalho remoto tem, bem como a capacidade de proporcionar ao escritório despachante Florianópolis e outros tipos de empreendimento, acompanhe.

1. Melhor custo-benefício

Como o trabalho remoto torna obsoleta a necessidade de ter uma sede física, os proprietários da empresa reduzem gastos com despesas típicas, como as de infraestrutura.

Uma vez que o corpo de funcionários vai passar a trabalhar em casa ou em espaços de coworking, não será preciso pagar:

Dessa forma, a empresa especializada em transferência de caminhão tem mais possibilidades de gerenciar o orçamento e direcioná-lo para outras áreas estratégicas. 

2. Retenção de profissionais

Hoje em dia, as pessoas inseridas no mercado de trabalho buscam por vagas que sejam flexíveis e atrativas.

Diante da decadência das grandes redações jornalísticas, por exemplo, oferecer a opção de home office é um quesito fundamental para garantir o interesse de mais profissionais.

Então, oferecer a opção de exercer as funções previstas remotamente agrega valor às vagas. Acima de tudo, mostra que a empresa está sintonizada com a nova realidade do mercado.

3. Gestão à distância

Se você ainda está inseguro sobre essa nova configuração de trabalho, saiba que é plenamente possível acompanhar a equipe de colaboradores à distância.

Graças a plataformas como Trello, Timesheet e Neotriad, os gerentes da empresa especializada em produtos profissionais para salão de beleza atacado podem assegurar que todas as demandas diárias sejam entregues.

São sites gratuitos em que se pode gerenciar projetos, analisar metas e métricas, e trabalhar em equipe mesmo que cada membro esteja em um lugar diferente.

4. Horários mais flexíveis

No geral, o trabalho remoto não exige que se complete a tradicional jornada de trabalho de 8 horas por dia, ou dentro de um horário comercial.

Os gestores costumam organizar os horários de acordo com o volume de entregas diárias e o mais importante é que as atividades sejam cumpridas.

Dessa forma, a empresa pode contar com o desempenho do funcionário do Detran BA IPVA no período do dia que ele é mais produtivo.

Para isso, é preciso construir uma relação de confiança mútua entre as duas partes. A partir daí, a flexibilidade se torna vantajosa para todos.

5. Redução de atrasos

Já que o colaborador não vai precisar se locomover até o local de trabalho, o gestor não precisa mais se preocupar com atrasos.

Inclusive, isso contribui para a realização de reuniões e demais eventos coletivos. Mesmo que cada profissional se encontre em lugares diferentes, as reuniões continuam sendo viáveis.

Graças ao Google Meets e outros recursos similares, as reuniões à distância se tornaram uma realidade que, definitivamente, veio para ficar.

Vantagens do home office para funcionários

Já explicamos, em detalhes, os benefícios que o home office pode representar para as empresas.

Agora, é chegado o momento de descobrir quais são as vantagens do trabalho remoto para a categoria de trabalhadores contratados.

Segundo dados recolhidos pelo Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getúlio Vargas (FGV), cerca de 17,8% dos brasileiros têm condições de trabalhar em regime de home office.

Isso quer dizer que menos de 1 entre cada 5 trabalhadores possuem viabilidade para tal. Nesse sentido, é preciso pensar em como tornar a adesão facilitada e considerar potenciais gastos iniciais para a implementação do home office.

Nos tópicos abaixo trazemos todas as vantagens que essa configuração de trabalho proporciona aos colaboradores, confira.

1. Mais tempo com a família

A colaboradora que trabalha com documentos para transferência de veículo PR ganha a oportunidade de ficar mais próxima dos familiares no dia a dia.

Claro que isso demanda um certo nível de organização dentro do ambiente doméstico.

Basta gerenciar bem os horários, inclusive os momentos de descanso, para se manter na companhia dos entes queridos por mais tempo do que de costume.

2. Menos tempo de locomoção

O tempo que as pessoas gastam se locomovendo diariamente é impressionantemente alto, ainda mais quando elas moram em grandes centros.

Com a ascensão do home office, ninguém é obrigado a enfrentar trânsito, filas ou transporte coletivo lotado todos os dias da semana, otimizando esse período que seria gasto.

Pelo contrário, a comodidade passa a ser a palavra de ordem. Com isso, o funcionário pode acordar, tomar café da manhã com os familiares e começar o expediente vendendo porta de vidro blindada preço se dirigindo ao cômodo ao lado.

Esse é um ponto central da qualidade de vida. O trânsito e a velocidade típicas da vida urbana dão lugar a uma rotina mais equilibrada e menos estressante.

3. Alimentação saudável

Como pode ser percebido, o modelo de trabalho remoto também ajuda nos cuidados com a saúde do trabalhador.

Além do fator da locomoção explicado acima, a alimentação tem melhoras significativas quando o corpo de colaboradores é realocado para o home office.

Isso porque torna-se possível fazer as refeições em casa, junto à família. Ou seja, as pessoas não precisam mais comprar comida de terceiros e podem recorrer a opções mais saudáveis e frescas.

O resultado é uma alimentação mais equilibrada, o que tem reflexo direto no desempenho e no bem-estar dos funcionários produtores de rolo de papelão para obra, por exemplo.

4. Autonomia

A flexibilidade de horários apontada mais acima também é uma verdade para o caso dos colaboradores.

A funcionária não precisa bater ponto. O desempenho dela é medido pela quantidade de demandas que entrega diariamente.

Desse modo, ela passa a ter liberdade para trabalhar da forma como preferir, seguindo as diretrizes determinadas pela empresa.

Além disso, ela tem a agradável possibilidade de definir os intervalos para se alimentar e descansar. É um novo tipo de liberdade para os colaboradores, naturalmente atrativa.

5. Independência nas entregas

Complementando o tópico que veio logo acima, o colaborador passa a ter o controle total das demandas e prazos previstos.

A partir daí, é tarefa dele se organizar da forma mais conveniente para atender a todas as demandas.

É claro que isso exige muita disciplina, mas não deixa de ser interessante poder trabalhar nos horários mais convenientes.

Para conseguir cumprir o que é proposto, é interessante estabelecer metas e objetivos pessoais.

Como determinar um horário específico para terminar a tarefa e fazer intervalos de frequência e duração fixas.

Vantagens para ambos

Para terminar o texto, vamos mostrar o que o home office proporciona em termos de vantagens em comum.

O trabalho pode ser remoto, mas a relação trabalhista segue consolidada como a base da atuação corporativa.

Por isso, é essencial que se compreenda como o regime de home office é benéfico para os dois lados da relação. Prossiga a leitura dos tópicos a seguir para entender melhor essa dinâmica.

1. Confiança

A partir do momento que o monitoramento das funções desempenhadas se dá por plataformas virtuais, a confiança entre gestor e funcionário precisa ser alta.

A empresa que trabalha em formato de home office demonstra segurança quanto à seriedade e a qualidade do trabalho das equipes.

Nesse contexto, os trabalhadores valorizam a postura do gestor e, em troca, ele dá novas possibilidades e perspectivas a eles.

O resultado dessa equação é uma equipe mais coesa e motivada para atender às metas e objetivos.

2. Respeito à nova Lei Trabalhista

A Reforma Trabalhista concretizada em 2019 prevê os mesmos direitos trabalhistas e previdenciários a quem trabalha remotamente.

Há, inclusive, regras específicas relacionadas à infraestrutura e equipamentos necessários para que os colaboradores sejam capazes de exercer as funções sem obstáculos fora da sede física.

Ou seja, como pode se perceber, o home office passou a ser plenamente contemplado pelas leis trabalhistas vigentes em território nacional. Isso traz segurança aos trabalhadores e integridade à empresa.

Considerações finais

Por meio desse texto trouxemos os principais pontos do home office, uma tendência que definitivamente veio para ficar.

As vantagens relativas a essa modalidade de trabalho provam a importância dela para a adaptação das empresas às novas realidades que se avizinham no horizonte.

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Business Connection, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

4 dicas de estratégia e planejamento para sua empresa

O planejamento empresarial é a base dos negócios de sucesso. Isso porque é por meio do planejamento que o empreendedor consegue definir seus objetivos e intenções, assim como detalhar como será o funcionamento do negócio. 

Muitos empreendedores, principalmente, os que estão começando um negócio podem sentir dificuldades e terem maiores problemas exatamente por conta da falta de planejamento empresarial. 

Diante da importância e necessidade de realizar um plano de negócio que seja o mais adequado para sua empresa, neste artigo traremos 4 dicas de estratégia e planejamento. Confira!

Planejamento empresarial: o que é e por que realizar?

Imagine que você deseja abrir uma empresa que trabalhe com dedetização 24 horas ou, até mesmo, um negócio de grande porte, como o investimento em um shopping. 

Seja qual for o negócio e o seu tamanho, é essencial ter um bom planejamento empresarial. Basicamente, essa ferramenta de gestão contribui para que o empreendedor consiga estabelecer seus objetivos, organizando-se de forma correta. 

Assim, por meio de uma estratégia empresarial bem definida, consegue-se:

Por exemplo, realizando um bom planejamento empresarial, seu negócio pode ter melhores resultados. 

Se sua empresa for uma clínica de estética e você deseja lançar um valor da sessão de microagulhamento em um evento, basta contar com um bom planejamento para que tudo dê certo!

Isso envolve conseguir atingir seu público-alvo, realizar o lançamento de produtos e serviços, assim como ter um bom posicionamento da sua marca diante do mercado. 

Além disso, com planejamento é possível expandir ainda mais a marca, abrindo em novos locais e estabelecendo filiais. 

Com esse planejamento sua empresa também consegue atingir mais canais de venda, assim como resolver os problemas com maior facilidade e rapidez, otimizando os recursos de acordo com as metas que foram estabelecidas. 

Como realizar um bom planejamento empresarial?

O empreendedor deve saber que não se faz uma empresa sozinho. Uma empresa é a junção de vários setores, processos e profissionais que atuam em suas particularidades e especialidades. 

Em equipe, eles conseguem oferecer um bom serviço e fazer com que seu negócio tenha sucesso. Mais ainda, com todos os aspectos alinhados, é possível desenvolver o empreendimento com mais qualidade.

Por isso, não dá para falarmos em um bom planejamento na área empresarial sem pensar na integração entre os setores. 

Por exemplo, é fundamental que uma empresa conte com uma consultoria tributária SP, assim como consultoria da área contábil, fiscal, de auditoria e qualidade. 

Para que qualquer negócio tenha um bom planejamento empresarial é necessário pensar na parte das finanças, afinal, o equilíbrio financeiro mantém a saúde do negócio, contribuindo para que dê certo, bem como auxilia a ter um bom diferencial competitivo no mercado.  

É por isso que contar com bom apoio contábil é importante para que o seu negócio esteja em dia com a legislação vigente,  evitando que a sua empresa sofra com prejuízos financeiros ou problemas burocráticos.

Além disso, existem algumas técnicas que falaremos a seguir que são fundamentais para o planejamento estratégico de sua empresa e que tornarão as práticas mais ágeis e efetivas. são elas a análise SWOT, Smart e os métodos Pomodoro e Getting Things Done. Confira a seguir!

1. Análise SWOT: O que você precisa saber?

Um ponto importante para o negócio se desenvolver por meio de um bom planejamento é se atentar à análise  SWOT, que pode ser traduzido como Strengths (Forças), Weaknesses (Fraquezas), Opportunities (Oportunidades) e Threats (Ameaças).

Vamos explicar como isso funciona de forma prática. Pense que uma empresa que trabalha com o conserto de aquecedor cumulus é importante delimitar quais são seus pontos negativos, positivos, ameaças e oportunidades de negócio para entender o que pode ser feito no negócio e como fazê-lo. 

Os pontos positivos são as características do negócio que trazem algum tipo de vantagem diante da sua concorrência, podendo ser um benefício agregado, o próprio produto, qualidade da equipe ou mesmo o preço.

Isso precisa ser definido para que possa ser evidenciado de forma estratégica.

Mas não basta apenas conhecer as qualidades, pois para aprimorar o negócio, é essencial saber quais são as fraquezas. Ou seja, quais são os pontos negativos da sua empresa e traçar estratégias para resolvê-los. 

As ameaças devem trabalhar com os problemas que o mercado traz. Por exemplo, seus concorrentes ficam próximos à você? Sua concorrência está oferecendo um preço mais baixo ou mais garantia pelo serviço? Isso precisa ser verificado para entender qual o cenário real e completo para uma boa atuação.

Por fim, conheça as oportunidades de negócio e de vendas. 

Por meio disso, sua empresa consegue identificar alguns riscos e falhas para uma correção da atuação. Além disso, é possível mapear várias oportunidades, assim como os riscos do mercado.

2. SMART: técnica que contribui para o planejamento empresarial

Outra estratégia importante é conhecida como SMART. Esse tipo de técnica busca trazer metas de forma definida, assim como um plano de ação com estimativas. 

A sigla SMART também vem do inglês e representa uma especificidade, atos mensuráveis, alcançáveis, relevantes e temporais.  

Quando falamos sobre a especificidade, o objetivo é compreender a importância da meta e o que realmente se deseja alcançar, ou seja, é preciso detalhar os objetivos que você deseja alcançar e criar um passo a passo para isso. 

Por isso, lembre-se que seus objetivos precisam ser definidos dentro de um tempo, para que as metas sejam palpáveis. É necessário também ter a capacidade de mensurar os resultados, assim como:

Assim, se sua empresa deseja expandir o negócio de montagem de câmara fria preço isso precisa estar claro, bem como os métodos usados para isso como realizar anúncios nas redes sociais e no Google Ads. 

Para isso, é necessário estabelecer metas com o público-alvo, duração, orçamento, quantidade de tempo investido, quem irá monitorar o desempenho da campanha e quais são os resultados estimados. 

É importante ressaltar que o planejamento feito utilizando essas técnicas precisam acompanhar uma visão estratégica da empresa, assim como sua missão e valores. 

3. Métodos Pomodoro

Você já ouviu falar no método pomodoro ou até mesmo no método Getting Things Done? Se ainda não ouviu, não se preocupe que explicaremos o que eles são e a importância para o seu negócio no decorrer deste e do próximo tópico

A primeira técnica, que é conhecida como o  método pomodoro, trabalha com a questão do tempo, servindo como um cronômetro para atenção focada durante períodos específicos.

Assim, a cada 25 minutos o colaborador consegue dedicar sua atenção para uma determinada atividade ou parte dela, também reservando um tempo para descanso já que é considerado que o cérebro funciona por meio de ciclos e que também necessita de pausas.

Por exemplo, para realizar a limpeza de grades utilizando esse método, é possível verificar a produtividade a cada 25 minutos de atenção total e descansar durante 5 minutos para recuperação física e mental, sem que isso prejudique a qualidade. 

Esse tipo de técnica é baseada na percepção de que o ser humano consegue ter um tempo de concentração maior dentro de um período que envolve 20 minutos. 

Por isso, a técnica apresenta os 25 minutos pensando também em pausas para o descanso da equipe. 

Para conseguir aplicar essa técnica, existem alguns softwares e aplicativos que podem ser utilizados ou desenvolvidos pela empresa, com o objetivo de aumentar a concentração dos colaboradores. 

4. Getting Things Done

Outra técnica que precisa ser citada pela sua relevância é o método Getting Things Done.

Na prática, a ferramenta busca otimizar o tempo realizado nas atividades, mas aposta na flexibilização para isso. 

Esse método também tem o objetivo de desestressar. Muitas empresas contam com colaboradores que estão sobrecarregados ou mesmo infelizes com as atividades que realizam. 

Por isso, esse método atua em um processo de 5 etapas, que são:

Basicamente, esse processo trabalha com uma busca pelo “esvaziamento” do cérebro, de modo que a pessoa possa se concentrar em suas atividades, sem ser afetado por várias preocupações.

Como a ideia é não perder o foco, o colaborador pode ficar mais à vontade em escrever suas preocupações, assim como delimitar suas tarefas e responsabilidades, e posteriormente organizar essas atividades.

Assim, se seu negócio atua na área de piscina de alvenaria 3×5 preço, sua empresa não deve se preocupar somente com a instalação da piscina, mas na qualidade do serviço, publicidade, etapas do serviço, dentre outros aspectos. 

Para isso, o seu colaborador precisa estar focado e livre de preocupações externas e, com esse método, é possível otimizar ainda mais o tempo, conseguindo fazer com que suas atividades sejam muito bem organizadas para atingir os resultados esperados. 

Assim como no método pomodoro, neste método também é possível recorrer à tecnologia para organizar o tempo. 

Considerações finais

Perceba que existem técnicas e estratégias diferentes para cada tipo de negócio ou necessidade, bem como há ferramentas que podem ser aplicadas em múltiplos negócios, desde pequenos até grandes portes, comercializando produtos como um saco plastico para roupas no cabide ou serviços. 

Apesar disso, o mais importante é que sua empresa invista em um planejamento empresarial, assim como em estratégias que tornem o ambiente de trabalho mais agradável e, consequentemente, mais produtivo. 

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Business Connection, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

Como a jornada do cliente pode ajudar a sua empresa?

Podemos dizer que é um consenso geral afirmar que conhecer o seu cliente é a chave para conseguir conquistar e crescer cada vez mais com o seu público

Em um mundo de grande concorrência, e que cresce cada vez mais, o grande diferencial que podemos oferecer é o cuidado para se adequar aos seus clientes.

Isso já não é nenhuma novidade, afinal grandes estratégias de marketing como o próprio desenvolvimento de personas tem exatamente esse foco. Contudo, precisamos ir ainda mais a fundo se quisermos realmente chegar até os nossos clientes e conquistá-los. Para isso, precisamos entender como eles agem.

O comportamento do seu público influencia diretamente em como ele compra, e isso é um tanto óbvio. O que não fica tão na cara assim é como podemos entender especificamente como os nossos clientes agem e como nos preparar para eles.

Desse modo, te ensinaremos tudo o que precisa sobre a jornada do cliente, essa estratégia de gestão que é ideal para desenvolver um relacionamento com o público e ainda otimizar a sua empresa.

Boa leitura!

O que é a jornada do cliente?

Entender a jornada do cliente é um processo bem simples, ainda que em um primeiro momento sua definição possa assustar. Isso porque, ela é feita por todos nós em todas as compras que realizamos.

Agora que já fomos prevenidos dos sustos, definimos a jornada do cliente como um mapa detalhado que mostra todos os pontos de contato pelos quais um consumidor passa durante um processo de compra. Esse mapeamento vai abranger desde de um pré-compra até o pós-venda.

A grande importância do processo de mapeamento da jornada do cliente se dá não apenas por mostrar como os seus consumidores compram e como você pode atingi-los de modo mais efetivo, mas sim em entender as possibilidades de melhoria.

São muitas as pesquisas que mostram que o futuro das empresas está na organização e desenvolvimento da experiência do cliente, também chamada de Customer Experience (CX).

Segundo dados da SuperOffice, mais de 85% dos clientes afirmam que hoje buscam por uma experiência agradável em primeiro lugar, aceitando pagar a mais por isso. 

A CX se relaciona com a jornada do cliente no momento em que esse mapeamento nos dá um panorama geral de como podemos melhorar nosso contato com o público. Durante a construção da jornada, encontramos o que são chamados de pontos de contato.

Eles nada mais são do que todas as interações feitas entre um cliente e uma empresa, seja um clique ou uma leitura. Quanto mais destes pontos, mais complicada é a jornada e, por consequência, pior é a Customer Experience para o cliente.

Ao mapear sua jornada você estará investindo em diferentes aspectos da sua empresa, sendo o principal deles a experiência do seu consumidor.

Caso queira saber mais sobre como fazer esse mapa dos pontos de contato e melhorar sua CX a partir disso, acesse esse conteúdo completo que selecionamos para você!

Quais as etapas da jornada do cliente?

A jornada do cliente é composta por 6 diferentes etapas que cobrem o caminho do pré ao pós-compra. De modo que fique mais fácil entender como essas fases se estruturam na prática, vamos detalhá-las a partir de um exemplo.

Imagine que você é um cliente e acabou de perceber que precisa comprar um novo computador, já que o seu está um tanto velho. Essa é a primeira etapa de toda jornada de compra, a qual chamamos de Necessidade. Assim como seu nome sugere, ela irá inserir o cliente na jornada a partir de uma percepção de consumo.

Uma vez que sua necessidade foi percebida, entramos na fase da descoberta. Nela, utilizaremos a internet para pesquisar sobre o item que desejamos comprar. Entram aqui pesquisas de preço, modelos, marcas tipos, lojas de compra, descontos, avaliações de clientes, entre muitos outros pontos.

A descoberta então, acumulará conhecimentos que serão usados na terceira fase da jornada, a avaliação. É aqui que tomamos nossa decisão de compra, analisando todas as opções e encontrando a melhor.

Com uma escolha feita, chega a hora da compra em si, e aqui não há muito segredo, ela é um tanto autoexplicativa.

Por mais que muitas empresas pensem que a jornada do cliente termina assim que a compra é finalizada, ela continua por mais duas etapas de pós-venda que são essenciais.

Começando pelo primeiro valor, essa é a fase na qual o consumidor experimenta o produto ou serviço que adquiriu e decide se aquela foi uma boa compra. O público tem o costume de compartilhar suas opiniões na internet, influenciando diretamente nas etapas de descoberta e avaliação de outros clientes.

Por fim, chegamos até o valor recorrente, no qual temos a oportunidade de reinserir os consumidores na jornada de compra oferecendo o que se chama de Up-Sell. Ele nada mais é do que a compra de complementos a um produto ou serviço já adquirido.

No caso do nosso exemplo da compra de um computador, um Up-Sell possível seria a venda de acessórios como mouses e teclados.

E antes de encerrarmos, há ainda dois pontos que precisam ser destacados. O primeiro deles é que cada jornada do cliente é personalizada, por isso deve ser direcionada a uma única persona da sua empresa. Ou seja, se você trabalha com 3 pessoas, precisará de 3 jornadas.

Outro ponto é que esse mapa não é estático, de modo que é sempre necessário retornar e mapear a jornada do cliente caso queira que ela se mantenha efetiva.

Conclusão

A jornada do cliente é uma ferramenta que vai muito além de sua ajuda na melhoria do marketing de uma marca, ela é o que podemos chamar de uma estratégia revolucionária.

Mapeie a sua jornada e descubra os melhores pontos de melhoria. Por mais trabalhosa que ela seja, esse mapa do modo de agir do seu cliente é que vai te ajudar a poupar despesas e esforços, direcionando seu negócio para o melhor caminho possível!

E antes de começar o seu mapa, não esqueça de nos contar o que achou do conteúdo!

As vantagens do Business Intelligence integrado à gestão

O Business Intelligence, também chamado de BI, é um processo que tem como objetivo coletar dados de uma organização de forma estratégica. Assim, todos os processos e atividades são trabalhados para alcançar melhores resultados e obter vantagem competitiva. 

E no mundo dos negócios, empresas que mantêm vantagem sobre os concorrentes, conquistam mais clientes e, consequentemente, aumentam a receita. 

O Business Inteligence, ou Inteligência de Negócios em tradução livre, se baseia na coleta, armazenamento, tratamento, análise e aplicação de dados, que são considerados cruciais para a tomada de decisões mais assertivas. 

E qual empresa não quer tomar decisões mais assertivas, não é mesmo?

Mas, muito se engana quem associa o BI apenas ao mercado e suas constantes transformações, assim como ele é utilizado para a posicionar uma empresa, marca ou produto de maneira externa, ele também pode ser usado de maneira interna. A fim de impulsionar resultados por parte dos colaboradores e identificar possíveis falhas na gestão, que podem vir a atrapalhar os processos empresariais/ industriais do dia a dia. 

A  relação do Business Intelligence atrelado a gestão 

Quando falamos sobre a gestão de uma empresa, nos referimos à forma como os gestores lidam com os processos do dia a dia. Afinal, comandar diferentes equipes de colaboradores não é uma tarefa fácil. 

Entretanto, para impulsionar resultados positivos e tomar decisões mais assertivas, os dados podem ser importantes aliados

Em uma era na qual organizações de diferentes segmentos precisam se posicionar e tomar decisões sérias em tempo real, nada mais importante do que contar com informações relevantes como apoio. 

Uma gestão que preza pelo crescimento tanto da empresa quanto dos colaboradores deve orientar suas decisões com base nos dados. Imagine que você esteja buscando profissionais para subir de cargo, como identificar aquele que melhor se qualificou? Ou como reconhecer possíveis erros em sua operação comercial? 

Lembre-se, gerir é, sobretudo, analisar os cenários e identificar aqueles que são mais propícios a gerar bons resultados. 

Conheça algumas vantagens do BI para a gestão empresarial

O Business Intelligence tem como objetivo transformar dados em uma linguagem de fácil assimilação e associação, o que, consequentemente, gera um maior compartilhamento de informações entre a gestão e os colaboradores

Conheça outras vantagens de integrar os dados à gestão da empresa: 

Auxilia no planejamento de gestão: o BI auxilia empresas a organizarem seus dados e identificarem possíveis erros, falhas ou melhorias de suas operações. Assim, além de coletar os dados, ele os destrincha, a fim de obter uma análise mais profunda. 

Minimiza erros e riscos: nenhuma empresa quer correr riscos, certo? A partir do momento no qual as organizações possuem informações consolidadas e organizadas, os erros e riscos podem ser previstos, o que evita desafios futuros. 

Torna métricas e indicadores mais fáceis de serem compreendidos: não é segredo para ninguém que com a chegada da cultura Data Driven, diversos processos do dia a dia começaram a ser automatizados com o objetivo de gerar mais produtividade e voltar a atenção da mão de obra humana para atividades mais importantes. 

Assim, por meio do Business Intelligence, é possível definir quais processos precisam ser automatizados e como eles influenciam na dinâmica empresarial. 

Fidelização de clientes e aumento da receita: com o Business Intelligence, é possível contar com uma gestão mais eficiente com o objetivo de atender as necessidades dos clientes. Traçar métricas, impulsionar resultados e alinhar sua empresa às necessidades do mercado é muito mais fácil por meio dos dados e com a integração dos colaboradores com um mesmo objetivo.

Dados são uma importante alternativa para traçar metas e impulsionar resultados 

Não é mais segredo que os dados são cruciais para negócios que buscam crescer e evoluir. Não à toa, este ano, a Layer Up em parceria com diversas empresas ligadas ao setor de inovação, marketing e vendas, desenvolveu o Data Driven Decision, evento no qual abordamos a importância dos dados para a tomada de decisões mais certeiras. 

Além de contar com a presença de especialistas no assunto, foram apresentadas as últimas tendências e novidades do setor. 

Outro diferencial, é que foram abordadas as formas de implementar uma cultura orientada por dados, alternativas para melhorar a automatização de processos e as melhores metodologias e direcionamentos para uma gestão mais eficiente por meio do Business Intelligence

Para conferir o evento e ter insights para seu negócio, clique no botão abaixo.

Business Intelligence

 

Marketing Digital: saiba como fazer uma estratégia eficaz para o seu e-commerce

Toda a jornada do consumidor passou por uma grande revolução. Com o marketing digital e as táticas de e-commerce, entram em cena a acessibilidade e a comodidade.

Os clientes não precisam mais se dirigir a uma loja física para conhecer os produtos disponíveis.

Para isso, basta fazer uma pesquisa rápida no Google usando as palavras-chaves certas e você vai encontrar muitas opções interessantes.

Devido a essa facilidade, as pessoas podem considerar por mais tempo antes de fechar negócio.

Isso leva a um aumento da necessidade de se diferenciar no mercado e o Marketing tem papel determinante nisso. Prossiga a leitura para saber como elaborar uma boa estratégia de marketing digital.

Impulsionando as vendas online com o marketing digital

Gerenciar um e-commerce exige estratégias de divulgação mais específicas. O meio online é bem diferente do meio offline.

Ainda assim, a intenção continua semelhante: atrair pessoas interessadas (os chamados leads) e acompanhá-los pelo funil de vendas para assegurar que se convertam em clientes.

Saiba fazer isso com qualidade lendo as dicas que vem a seguir, que lidam com Marketing de Conteúdo, campanhas de anúncios e muito mais.

 

1. Faça marketing de conteúdo otimizado

Mais do que nunca, é preciso usar conteúdos relevantes para se promover na internet. Isso inclui certas regras de otimização.

Para ser avaliado positivamente pelo algoritmo do Google, o conteúdo tem que usar as técnicas de otimização para mecanismos de buscas, da sigla em inglês SEO.

As regras de SEO servem para aprimorar a legibilidade e a indexação das páginas em sites como Google e Bing. A seguir, destacamos:

Esses e outros aspectos contribuem para que as táticas de Inbound Marketing de uma empresa obtenham sucesso.

 

2. Conheça quem te acompanha

Ao contrário do que se espera, a presença na internet não garante um alcance absoluto necessariamente.

Na verdade, vale mais a pena segmentar com cuidado o público que você deseja atingir primeiramente.

Para isso, é necessário saber quem ele é. Tradicionalmente isso é feito a partir da captação e do armazenamento de dados de clientes e leads.

O nome, idade, localização e profissão das pessoas que chegam ao seu produto é a matéria-prima básica de uma campanha de anúncios do Twitter Ads, por exemplo.

São essas informações que te darão insights sobre o tipo de público que te acompanha. Com isso, as estratégias de marketing digital ganham um novo grau de sofisticação e eficácia.

 

3. Ofereça uma experiência de qualidade

Uma das desvantagens do e-commerce é a impossibilidade de ver o produto presencialmente antes de adquiri-lo.

Levando essa dificuldade em conta, é dever das lojas virtuais contar com imagens de alta qualidade e descrições detalhadas dos produtos.

É essencial também  que todas as dúvidas do cliente sejam respondidas. Não se pode deixar espaço para a desistência e o desinteresse que podem ocorrer se o site da empresa não for completo.

Afinal, a ausência de informações pode levar a dúvidas que interferem diretamente na decisão de compra. Além disso, a elaboração de boas descrições também auxilia na pontuação SEO. 

 

4. Atente-se ao e-mail marketing

Em conjunto com o marketing de conteúdo, o e-mail marketing é outra ferramenta extremamente benéfica.

A abordagem dos leads e clientes fidelizados por e-mail possibilita o envio de conteúdos exclusivos.

Esse tipo de estratégia é muito bem-vinda porque as pessoas buscam consumir marcas que trazem signos de diferenciação.

Pode ser uma newsletter com atualizações sobre a empresa, ofertas segmentadas para o perfil do cliente ou lembretes de produtos abandonados no carrinho.

De toda forma, o marketing por e-mail dá a oportunidade de fazer campanhas mais direcionadas.

 

5. Invista no design do site

A página oficial de um negócio funciona praticamente como o substituto de uma sede física.

Ou seja, os visitantes têm que se sentir à vontade para conferir as ofertas e produtos disponíveis.

Isso está diretamente ligado ao design usado no site. Desde a velocidade de carregamento até as decisões estéticas presentes no layout.

Lembre-se que existe uma variedade ampla de opções de consumo por toda a internet. Se o seu site não cativar instantaneamente, a taxa de abandono de página vai crescer.

Considerações finais

Agora que você está ciente das principais formas de se fazer marketing digital, sua empresa tem mais chances de crescer na internet.

O meio digital é altamente competitivo e fugaz. Assim, é necessário acompanhar de perto as novas tendências de consumo para se manter na vanguarda.

Para isso, é necessário contar com um departamento exclusivo para lidar com questões digitais.

Esse é  um investimento que vai influenciar a reputação e o sucesso da empresa a médio e longo prazo.

Saiba como ter sucesso com um blog na era da transformação

As estratégias para ter sucesso com um blog ficaram ainda mais evidentes depois da transformação digital ter mudado como pensamos o nosso ambiente de trabalho.

Em contrapartida, a competição em todas as principais plataformas para criar conteúdo, seja em perfis de redes sociais, e-commerces ou blogs, ficou muito maior.

Mesmo que isso seja um fato, ainda assim nós, empresários digitais, não podemos nos dar o luxo de não entrar nessa também. Como o próprio Bill Gates disse, “em alguns anos, vão existir dois tipos de empresas: as que fazem negócio pela internet e as que estão fora dos negócios”. E com o avanço da tecnologia, o consumo e necessidades digitais, faz com que empresas existam se elas estiverem online. Então, para nos tornarmos gigantes, precisamos dominar o espaço digital.

Por isso, vamos abordar aqui parte do caminho que você deve traçar para criar um blog corporativo para sua marca e se destacar perante a competição.

 

O que é Transformação Digital? 

Já passamos por diversas revoluções industriais, nessas épocas, várias tecnologias foram desenvolvidas para melhorar a produtividade e até a condição de trabalho das sociedades.

A transformação digital é bastante parecida com uma revolução industrial no sentido em que ambas apresentam um crescimento gigante das tecnologias, voltadas para melhorar o trabalho.

A diferença entre elas é que nada físico está sendo criado na transformação digital: os computadores e celulares, ferramentas que já existem há mais de 20 anos, agora estão recebendo milhares de novos softwares voltados para trabalho, criados de maneira acessível em larga escala.

Devido a isso, a tendência é que cada vez mais empresas ofereçam ambientes de trabalho com digitalização e o conhecimento de informática se torne algo elementar para nós.

Tenho certeza que você como empresário digital entende muito bem a importância da transformação digital e consegue vislumbrar o cenário econômico de 20 anos à frente. No qual provavelmente quase não teremos mais lojas físicas, e a internet será o ambiente de trabalho da maioria da população mundial.

Por isso, é crucial que nos atentemos às novidades tecnológicas e estejamos atualizados às mudanças na tecnologia do trabalho mais recentes.

Criar um blog hoje em dia é muito difícil? 

“Sim e não.”

Antigamente, quem criava um blog profissional eram aqueles que tinham dinheiro e muita visão empreendedora, que contratavam programadores profissionais – profissionais até escassos na época – porque viam no blog uma maneira de se relacionar com um grupo de pessoas de maneira mais profunda. Se este não fosse o caso, então a pessoa era curiosa e gostava de se aventurar na internet, aprendendo sobre códigos complexos, como o HTML, e tentava a vida assim.

Hoje em dia, podemos encontrar inúmeros templates para criar um blog com domínio próprio e editores de páginas que não exigem nenhum conhecimento de HTML, JavaScript, etc. Nesse sentido, criar um blog é bem mais simples hoje em dia. Por isso “não”, não é difícil.

No entanto, muitas empresas sacaram que os blogs profissionais eram importantes ao longo das últimas duas décadas. O conceito de “marketing de conteúdo” fica cada vez mais popular a cada dia e o empresário digital entende bem que para conquistar um público fiel na internet é necessário ensinar algo em troca.

Por isso, independentemente de qual nicho você for investir, você terá pelo menos uns três competidores de peso investindo para estabelecer a presença digital da marca. Dependendo do nicho, serão 20, 30 marcas lutando pelo mesmo espaço com um bom investimento.

Nesse sentido, “sim”, é bastante difícil criar um blog na era da transformação.

Para que serve um blog corporativo? 

Como mencionamos anteriormente, o conceito de marketing de conteúdo é absoluto na internet: as pessoas só compram online caso elas desejem muito um produto a ponto do preço e o momento não importar, caso o preço esteja em uma promoção muito atrativa, ou caso as pessoas acreditem completamente em uma marca.

Com um olhar experiente você provavelmente entende que não dá para viver de promoções e bater o preço da competição sempre. Além disso, se as pessoas desejarem um produto, elas precisarão acessar um site antes para comprá-lo… Então por que este site não seria o seu? Você apenas precisaria estar na primeira página de resultados de pesquisa do Google para todas as palavras-chave que você tente se ranquear… Parece plausível?

Eu diria que não.

Por isso, o único meio garantido que um empresário tem de fazer sucesso na internet é conquistar um público fiel; e é aí que o seu blog corporativo juntamente de perfis de rede sociais bem elaborados entram na estratégia.

É crucial que você invista em marketing de conteúdo, produza artigos de qualidade e ranquee bem no Google para estar sempre gerando tráfego e ensinando mais e mais pessoas sobre o seu nicho. Assim, elas virão até seu site para aprender com você e consequentemente comprarão os produtos que você indicar ou vender, pois o conteúdo que você oferece indica que você é uma referência em seu nicho, e que é capaz de ajudar seu público de verdade.

Dicas para fazer sucesso com um Blog Corporativo [h2]

Indo direto ao ponto, para ter sucesso com um blog você precisará de:

  1. Pesquisa sobre seu público-alvo: que tipo de conteúdo consomem e quais as dúvidas ou problemas eles têm. Você pode utilizar o Google Keyword Planner e o Ubersuggest para fazer uma busca por termos bastante procurados em seu nicho e utilizá-los como palavras-chave no seu blog.
  2. Você pode criar reviews de produtos populares para seu ramo, os quais você não vende mas sabe que são úteis. Então, poderá entrar em contato com as marcas que vendem estes produtos para se afiliar a elas e ganhar uma comissão por cada cliente que fechar uma compra clicando em um link de seu blog.
  3. Faça reviews de produtos que você vende também, sendo imparcial, honesto e transparente; não encha a bola do produto ou diga que ele é perfeito só porque você o vende. Quando for abordar um produto seu, faça até uma comparação com outro tal qual você não o venda, focando nos pontos positivos que seu produto tem, deixando sua review mais verídica e informativa para seu cliente.
  4. Produza conteúdo em vídeo também para manter o leitor mais tempo no seu blog, apreciando o conteúdo. Excesso de texto pode ser cansativo.
  5. Tenha bons copywriters, redatores e criadores de conteúdo trabalhando com você. Não necessariamente você terá uma única pessoa que fará estes três serviços, mas é possível que encontre um profissional “tudo em um”. Faça buscas em redes de freelancer, peça por um artigo específico e contrate os profissionais que melhor se saírem na fase de abordagem. Dessa maneira, você poderá encontrar mão de obra barata e dar chances para redatores iniciantes, mas de muito potencial, crescer ao seu lado sendo escritores (possivelmente exclusivos).

Ter sucesso com um blog na era da transformação pode não ser tão difícil assim 

Apenas com estas dicas você já poderá monetizar seu blog e gerar muito tráfego.

Apesar de serem apenas 5 dicas bem objetivas, o processo pode ser longo e complexo. Simplifique a sua escolha de ferramenta para criar um blog e foque-se no crescimento do seu site como um todo. Afinal de contas, é isto que trará retorno financeiro para você.

Continue seguindo também o nosso blog para receber mais dicas como essas.

E, por favor, deixe nos comentários o que achou deste texto!

4 Estratégias de marketing para novas empresas em 2021

Ter boas estratégias de marketing é vital para as novas empresas. Afinal, boa parte delas têm orçamentos apertados. Elas não podem se dar ao luxo de gastar muito com campanhas mirabolantes ou desperdiçar recursos com ações de baixo retorno.

Felizmente, hoje, é possível aplicar novas estratégias de marketing digital com pouco dinheiro. Isso pode aliviar o caixa da empresa e ainda trazer ótimos resultados. Além disso, ferramentas como o CRM são as mais indicadas para destacar qual o público-alvo deve ser impactado nos primeiros meses de atuação de uma empresa.

Ao escolher os clientes certos, as novas empresas já começam a faturar quanto antes. Essa fase inicial é muito importante para a sobrevivência do negócio. Muitos empreendimentos são fechados com menos de um ano de atuação. A razão, na maioria das vezes, é a falta de planejamento.

Abaixo, em destaque, estão as 4 principais estratégias de marketing que toda nova empresa deve aplicar. 

4 estratégias de marketing que toda empresa deve aplicar

1 – Conteúdo

Se uma empresa deseja aprender novas estratégias de marketing, uma delas não pode faltar é a criação de conteúdo relevante para o cliente. Por meio dele, é possível aumentar a fidelidade dos clientes e atrair cada vez mais leads. 

Além disso, o conteúdo é uma excelente ferramenta de branding. Se o cliente perceber a empresa como especialista em determinado assunto, maiores são as chances de ele consumir algum produto ou serviço que ela tem a oferecer.

Os conteúdos podem ser compartilhados em diversos formatos. Hoje, uma empresa pode criar um canal no YouTube, compartilhar um e-book, postar nas redes sociais, enviar um e-mail marketing, blogs e muito mais.

2 – SEO

Não basta o conteúdo ter qualidade. É preciso que ele seja encontrado pelo cliente. Por isso, é tão importante investir em SEO. Por meio dele, o site ou blog de uma empresa ganha destaque de forma orgânica, em plataformas de buscas como o Google.  

Já está provado que os clientes preferem comprar de empresas que possuem um bom rankeamento. Isso transmite confiança. Para que essa estratégia de marketing funcione, é preciso ter cuidado em alguns tópicos.

Os conteúdos necessitam:

Esses são apenas alguns dos milhares de aspectos que são analisados pelo Google para elaborar o seu ranking.

 

3 – Micro Influenciadores

Grandes empresas pagam milhões para que influenciadores famosos compartilhem um conteúdo sobre a marca delas. Essa não é a realidade de um novo empreendimento, sobretudo em 2021.

A crise ocasionada pelo novo coronavírus e o caixa apertado de qualquer empresa iniciante é uma barreira para a contratação desses profissionais.

Por outro lado, existem os micro influenciadores. 

São pessoas com um número de seguidores muito menor, mas que conseguem atingir um nicho específico. Se uma pequena empresa produz calçados, contratar a Anitta é algo inviável. 

Nesses casos, ela pode criar uma parceria com uma micro influenciadora especializada em sapatos. Apesar do alcance ser menor, há uma garantia de que essa influencer vai falar diretamente com o público interessado nesse tipo de produto.

Muitas vezes, em vez do pagamento em dinheiro, a permuta pode ser a forma de negociação. Em troca de alguns produtos, a micro influenciadora produz um conteúdo específico para a marca.

4 – E-mail marketing e copywriting

Essa é para quem deseja criar estratégias de marketing digital que gastam pouco e apresentam alto retorno. Enviar um e-mail marketing para dezenas de clientes tem baixo custo e pode atrair diversos leads. Para que essa estratégia funcione é preciso que o seu conteúdo seja muito vendedor. O texto precisa provocar uma ação no cliente.

Diversas empresas, mesmo as pequenas, já contam com copywriters para criar esses textos vendedores. Com diversos gatilhos mentais, esse conteúdo tem o suficiente para converter muitas vendas.

Essa estratégia de marketing não necessita grandes investimentos e tem o necessário para impulsionar um novo negócio em seus primeiros meses de atuação.

Agendamento online: praticidade desde o primeiro contato

Acompanhar as inovações do mercado é essencial para atrair e fidelizar mais clientes, não é? Nessa era digital, uma das melhores formas de fazer isso é, sem dúvidas, o agendamento online.

Afinal, dentre os benefícios que o agendamento online pode oferecer, a praticidade desde o primeiro contato é a que mais se destaca. No entanto, para que ele realmente funcione é importante divulgá-lo.

Por isso, neste post, vamos mostrar algumas dicas de como divulgar a sua plataforma de agendamento online. Mas antes vamos entender como ela funciona e conhecer os benefícios que traz para o seu negócio. Confira!

O que é agendamento online?

À medida que as pessoas vão se familiarizando com a internet, novas soluções vão surgindo. Uma delas é o agendamento online, que nada mais é do que um recurso de um software ou aplicativo que permite marcar compromissos através da internet.

É como ter uma recepcionista virtual. Mas como isso funciona? Através de uma agenda online, a empresa configura seus horários de atendimento. Então, disponibiliza um link de agendamento em diversos canais de comunicação.

E o cliente visualiza quais são os horários disponíveis, escolhe o melhor e informa seus dados, como nome, telefone e e-mail. Todos os agendamentos são atualizados automaticamente na sua agenda online.

Quais são as vantagens do agendamento online?

Veja, a seguir, as vantagens para você e o seu cliente:

Facilidade e praticidade para o cliente/paciente

A maior vantagem, sem dúvidas, é a facilidade e praticidade em marcar um horário. Pois, como o agendamento online está disponível 24 horas por dia durante 7 dias da semana, ele pode marcar um horário quando quiser, sem depender de funcionário.

Agenda sempre cheia

Imagine que um cliente esteja ligando para seu salão de beleza há dias, por exemplo, e o telefone sempre está ocupado. Provavelmente, ele se aborrecerá e você o perderá. Mas, com o agendamento online não há espera nem demora, uma vez que a sua agenda está sempre disponível no link.

Melhor aproveitamento do tempo da equipe

Com o agendamento online não é preciso disponibilizar um funcionário exclusivamente para essa tarefa, pois o sistema faz tudo sozinho. Você só precisa acompanhar os agendamentos para saber quando receberá seus clientes. 

O tempo que seria gasto com o atendimento pode ser melhor aproveitado durante esse atendimento presencial.

Aumenta a presença digital da sua empresa

Mais do que nunca, ter presença digital é essencial para qualquer empresa que deseja ser encontrada. Se você tem um negócio físico, pode fazer isso por meio do agendamento online. Então, aumente a sua presença digital para atrair mais clientes para o seu negócio.

Reduz o índice de não comparecimentos

Um dos maiores problemas das empresas é a alta taxa de não comparecimento. Isso acontece porque, na maioria das vezes, o cliente esquece do compromisso. 

Por isso, muitos softwares de agendamento online tem um sistema de envio de lembretes automáticos via SMS, e-mail ou WhatsApp.

Como divulgar a plataforma de agendamento online?

Até agora você entendeu o que é um agendamento online e quais as vantagens de adotar esse sistema na sua empresa. No entanto, não basta apenas contar com esse sistema se você não garantir que seus potenciais clientes saibam o que você oferece.

Por isso, você precisa divulgá-lo. Aqui estão algumas dicas de como divulgar sua plataforma para que seus potenciais clientes possam utilizá-la.

Compartilhe nas redes sociais Facebook, Instagram e Youtube

Hoje em dia, as redes sociais têm um papel fundamental para quem deseja ter uma empresa online forte. Pois muitas pessoas chegam até uma empresa através dos conteúdos que ela compartilha nas redes sociais, principalmente Facebook, Instagram e YouTube.

Então, aproveite este espaço para contar para seus seguidores que possui essa funcionalidade e compartilhe o link de agendamento online. 

Além disso, coloque o link na bio do seu Instagram e em stories de divulgação, crie um post sobre o assunto no Facebook e disponibilize-o nas descrições dos seus vídeos.

Disponibilize o link de agendamento no Google Meu Negócio

Outra forma de divulgar sua plataforma de agendamento online é através do Google Meu Negócio. Pois essa ferramenta dará visibilidade para a sua empresa quando alguém estiver fazendo uma busca online de um serviço que você oferece.

Assim, quando o cliente encontrar a sua empresa e ver que você tem a solução que ele precisa e pode agendar por lá mesmo, as chances dele marcar um horário são grandes. Então, não deixe de criar um perfil no Google Meu Negócio e disponibilizar o link de agendamento.

Espalhe os links da agenda online pelo site

Mais uma forma de divulgar seu agendamento online é através do seu site institucional. Por ser um canal oficial da sua empresa, que transmite credibilidade e confiança, provavelmente muitas pessoas vão visitá-lo para conhecer melhor. Essa é uma boa oportunidade para divulgar seu link de agendamento online.

Nossa dica é espalhar esse link pelo site, mas de forma estratégica. Por exemplo, se o seu site tem barras laterais nas páginas, coloque um widget de agendamento online. Também coloque banners falando sobre a praticidade do agendamento online na sua página inicial com um botão para realizá-lo.

Envie mensagens pelo WhatsApp contando sobre a novidade

Com o WhatsApp Business você pode criar listas de contatos de clientes atuais e potenciais clientes para divulgar essa nova funcionalidade da sua empresa. Você também pode criar mensagens automáticas de saudação com o link do agendamento online.

Assim, toda vez que alguém entrar em contato com sua empresa receberá automaticamente o link para fazer o agendamento e, então, não precisará ficar esperando por um atendimento humano para fazer isso. Então, não deixe de usar o WhatsApp para divulgar essa novidade.

Pronto para começar?!

Marcar consultas nunca foi tão simples e fácil assim, não é? Isso não é só benéfico para os clientes, mas para a empresa também. Então, que tal experimentar essa solução? Conheça agora mesmo o Simples Agenda, um software de agendamento online que permite controlar sua agenda de forma simples, rápida e prática.

Não se esqueça de investir pesado na divulgação do seu sistema de agendamento online para atrair cada vez mais clientes para o seu negócio. Se precisar de ajuda, você pode contar com a Layer Up. Quer saber como? Conheça nossas soluções ou entre em contato conosco.

Social Selling – Como melhorar seu marketing nas redes sociais

Social selling é a nova maneira que os profissionais de vendas encontraram para oferecer seus produtos e serviços de um modo não tradicional. Esse formato é baseado em conexões.

O vendedor, em vez de mostrar a oferta, cria um relacionamento com o cliente. Dessa forma, ao apresentar a proposta, maiores são as chances de o público-alvo recebê-la bem.

O termo social selling é novo, e surgiu com a popularização das redes sociais. É nesse ambiente onde a maioria das estratégias ocorre. Além disso, nas redes as empresas podem conquistar a maioria dos novos leads.

Portanto, é fundamental que você aplique as vendas sociais em seu negócio. Nesse artigo, vamos comentar tudo sobre o social selling. Confira:

O que é social selling?

Em resumo, social selling é a metodologia usada pelas empresas, por meio das redes sociais, para se conectar aos clientes e leads. Ao nutrir um bom relacionamento com eles, o objetivo de uma empresa é superar as suas expectativas de vendas.

Por isso, muitas delas usam um software de CRM. Afinal, com essa plataforma é mais fácil armazenar as informações sobre os clientes. Baseado nelas, a empresa pode promover o melhor relacionamento com o seu público-alvo, sobretudo nas redes sociais.

Uma das vantagens do social selling é exatamente a construção de um relacionamento a longo prazo com o cliente. Dessa forma, caso uma pessoa esteja interessada em um produto ou serviço, a primeira empresa a ser lembrada será justamente aquela que melhor se relaciona com ela.

Isso sem a necessidade de ligações inconvenientes, realizadas por operadores de telemarketing.

Os cuidados ao executar o social selling

Não é porque você está nas redes sociais que vai falar com o seu cliente todos os dias. Essa, sem dúvida, não é a melhor saída. Hoje, já existem formas melhores de atrair os clientes.

Caso você envie diversas mensagens por dia, apenas porque tem o contato do cliente no Facebook ou no WhatsApp, o resultado será o inverso do esperado. Lembre-se que o objetivo do social selling é construir um relacionamento com o cliente, e não apenas adicioná-lo à sua lista de contatos.

Em vez de oferecer apenas uma oferta, apresente um conteúdo relevante. Dessa forma, é provável que os clientes passem a confiar mais na sua marca.

Quando possível, apresente-se como uma solução para o seu público. Assim, maiores serão as chances de sua empresa concretizar uma venda.

Qual a melhor rede para executar o social selling?

Essa escolha vai depender muito do seu segmento. Se o seu público é jovem e você atua no varejo, o melhor a fazer é investir em redes sociais mais populares, com destaque para o Instagram e o Facebook.

Como exemplo, é possível apontar a BMW. A empresa foi a primeira a lançar um veículo no Tik Tok. Todo o conteúdo foi transmitido por essa plataforma, e a companhia tomou o cuidado de usar a linguagem dos usuários. Por mais que o preço do carro seja bem alto, a ação recebeu destaque na mídia.

Agora, se a sua empresa atua no mercado B2B, o ideal é realizar o social selling via Linkedin. O motivo é fácil de entender. Nessa rede social, a maioria dos usuários faz parte dos setores gerenciais de uma organização.

São essas pessoas que podem tomar uma decisão. Nesse cenário, ao criar um bom relacionamento, torna- se mais simples marcar uma reunião e oferecer as soluções do seu negócio.

Motivos para iniciar o social selling hoje

Seus concorrentes já estão utilizando essa estratégia

Se sua empresa não está interagindo com os clientes por meio das redes sociais, o seu concorrente está. Hoje, é até complicado encontrar uma empresa que não esteja ativa em plataformas como Facebook ou Instagram.

Lembre-se que atualmente existem mais de 3 bilhões de pessoas que utilizam as redes sociais diariamente. É quase metade do planeta. Portanto, estar presente não é uma escolha, é uma necessidade.

É fundamental criar boas relações com os clientes

Com a pandemia causada pelo novo coronavírus, a maioria dos clientes tem se relacionado com as empresas pelas redes sociais. A tendência, mesmo com o fim do distanciamento social, é que esse comportamento seja o mais comum.

Os clientes querem comodidade, e a internet proporciona essa conveniência. Para as empresas, essa é uma excelente oportunidade. Nas redes sociais os clientes expõem muito mais os seus gostos e as suas objeções sobre uma marca.

Ao coletar esses dados, é possível criar soluções que agradam em cheio o público-alvo. Além disso, quanto melhor a interação de uma empresa com seus clientes, maior a confiança por parte deles.

Portanto, o social selling traz retorno em imagem, mas, sobretudo, em vendas. O objetivo final de toda empresa.

Conheça a melhor forma de influenciar seu público com o Zero Moment of Truth

No ramo do marketing, estamos sempre buscando formas de convencer e influenciar os clientes a consumirem. Entre elas, o Zero Moment of Truth tem ganhado destaque.

O ZMOT ou Momento Zero da Verdade, como é traduzido, se trata do intervalo que antecede qualquer decisão de compra que um consumidor possa tomar. Nesse momento, ele é mais suscetível a influências, uma vez que está em busca de informações que o auxiliem a fazer uma escolha.

Dessa forma, o ZMOT procura por maneiras de estar presente no momento de decisão e incentivar o público a consumir da sua marca. Para isso, foram estabelecidos 4 pilares que agem como linhas guias de influência.

E, neste artigo, vamos te mostrar como, quando e de que forma os quatro pilares podem ser aplicados para gerar mais conversões para a sua empresa.

Os pilares do Zero Moment of Truth

O Zero Moment of Truth foi descoberto pelo Google em uma pesquisa realizada em parceria com a Shopper Sciences. Nela, após analisar mais de 5 mil empresas, foi descoberto que as jornadas de decisão de compra dos consumidores apresentam diversas similaridades.

A partir dos resultados colhidos, essas similaridades passaram a ser estruturadas em linhas de ação que pudessem otimizar a escolha dos consumidores.

É então que surgem os quatro pilares do ZMOT, que são:

Com esses quatro pontos, se torna possível compreender as melhores formas de convencer o consumidor de que sua empresa e produto são as escolhas mais certas para ele.

Por isso, vamos aprender como colocar em prática cada um desses pilares.

Ranqueamento em mecanismos de pesquisa

O primeiro passo de um processo de tomada de decisão é avaliar e entender o que deseja consumir. Logo, as pesquisas online compõem o primeiro pilar do ZMOT.

Sabendo então que seus clientes buscam por informações e opções na internet, a melhor forma de fazer com que eles te encontrem é ser bem ranqueado nos mecanismos de pesquisa online.

E entre todos os disponíveis na web, o Google é o mais importante, responsável por 90% de todas as buscas realizadas na internet.

Uma pesquisa feita pela empresa Chitika descobriu que a porcentagem de cliques que cada site recebe nesta plataforma pode cair drasticamente a cada posição.

Assim, foi calculado que o primeiro link ranqueado organicamente em uma pesquisa do Google recebe, em média, 30% de todos os acessos, enquanto o valor de cliques do segundo site já cai para 15%. Esse valor diminui drasticamente até chegar a nulo por volta do 15º colocado.

Isso significa que, para que seus clientes te encontrem, é essencial que sua marca esteja em uma boa posição nos mecanismos de pesquisa.

Para conseguir subir no ranking, invista em estratégias de SEO que otimizem o seu site para a ferramenta de busca.

Tabelas comparativas

Coloque-se no lugar do público e pense como agiria para decidir por um produto ou serviço. Caso isso seja muito abstrato, pense em como você se decide por qualquer coisa na sua vida.

Uma resposta muito provável é de que você pondera os prós e contras de cada uma das opções disponíveis a fim de escolher a melhor possível. Durante o ZMOT a ideia é a mesma!

Logo, uma das melhores formas de influenciar o seu cliente a optar por uma compra é mostrando os benefícios de cada um dos produtos por meio de tabelas comparativas.

Elas colocaram lado a lado as vantagens de cada opção, fazendo com que o consumidor se sinta mais motivado a realizar a compra uma vez que enxerga benefícios no produto que escolheu.

Além do mais, as tabelas comparativas são uma excelente forma de melhorar a usabilidade do seu site.

Avaliações online

Outro pilar do ZMOT que merece grande atenção são as avaliações que circulam na internet. A ideia de averiguar se um produto é o que promete não surgiu nos meios digitais. Afinal, quem nunca perguntou a um amigo o que ele achou do produto ou marca X antes de consumi-lo?

O que se altera com a transformação digital é que, ao invés de pedirmos pela opinião de parentes e conhecidos, vamos atrás das avaliações de pessoas desconhecidas na internet.

Um estudo realizado pela Bight Local revelou que 80% dos consumidores, pertencentes a faixa etária de 18 a 34 anos, afirmam pesquisar constantemente por avaliações positivas antes de comprarem algo. E ainda estão dispostos a pagar mais por produtos com uma boa reputação.

Como se isso já não bastasse, a Harvard Business School descobriu que a cada nova estrela adicionada à avaliação de uma marca, sua receita sobe, em média, de 5% a 9%.

Isso tudo porque os consumidores se sentem mais seguros e incentivados a consumirem de empresas positivamente avaliadas.

Cupons e promoções

Por fim, a última estratégia que pode ser posta em prática para convencer os consumidores a consumir é oferecer bons preços através de cupons e promoções.

É natural que busquemos sempre pelo melhor custo na hora de consumir um produto. Logo, uma das formas mais eficazes de convencer um cliente a comprar da sua marca é através de benefícios monetários.

Sobre esse assunto, a Access Development descobriu que para 89% dos consumidores o preço é o principal fator na hora de decidir por uma compra, fazendo com que gastem até 2 horas semanalmente em busca de cupons e promoções.

Assim, não há nada melhor para convencê-los do que um bom desconto de incentivo.

Conclusão

O Zero Moment of Truth é uma estratégia que busca colocar em prática as melhores formas de influenciar positivamente o seu consumidor, em um momento no qual ele busca por opções de escolha.

Saber como colocar em prática o ZMOT e seus pilares torna-se, então, essencial para que seja um destaque em seu ramo de atuação.

Logo, essa é a estratégia pela qual você estava buscando para conseguir gerar mais conversões e conquistar mais clientes. E agora que já sabe tudo isso, nos conte nos comentários se tem alguma dúvida e o que achou do conteúdo para que possamos sempre melhorar!

*

Rodrigo Wiethorn é Administrador de Empresas pela UFSC, entusiasta de Tecnologias Web, Darwinismo, Economia Compartilhada, Marketing e Comportamento do Consumidor, temas estes abordados em seu blog ZMOT Institute e portais como Digitalks e Startupi. Atua como COO da Hostinger Brasil, apontada pela publicação The Huffington Post como uma das 5 empresas que está ajudando a mudar o mundo através do empoderamento das pessoas pela internet. Conquistou o Prêmio Top de Marketing e Vendas da ADVB/SC por 4 anos consecutivos (2017, 2018, 2019 e 2020), assim como a certificação Great Place to Work (GPTW) por 3 anos (2018, 2019 e 2020) ,  o Selo RA 1000 do site Reclame Aqui bem como o  Prêmio Empresa Cidadã 2018 da ADVB/SC.

Semana de Marketing e Vendas: evento gratuito para o setor de serviços

Dando destaque ao setor de serviços, a Semana de Marketing e Vendas (SMV) proporciona desenvolvimento intelectual para os participantes por meio de uma imersão completa e gratuita, oportunizando o crescimento e desenvolvimento dos negócios.

O setor terciário da economia é um dos mais antigos da história, considerando práticas de comércio e de oferecimento de serviços.

O conceito de comércio já é bastante disseminado, mas o de serviços nem tanto. Entende-se por ele os bens intangíveis ou imateriais oferecidos à sociedade. A atividade bancária, empresas de seguro, o trabalho dos professores e advogados são alguns exemplos de bens intangíveis.

A situação do setor de serviços no Brasil

De acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) o setor era responsável por 69% do PIB brasileiro em 1997, enquanto em 2018 essa representatividade aumentou para 73%.

Na mesma pesquisa, gráficos apontam que o período entre 2015 e 2016 não foi feliz para o comércio, registrando os menores valores de volume de vendas desde 2005, mas melhoras são vistas a partir de 2017.

O setor de serviços iniciou 2020 em alta.Após dois meses de perdas, o mês de janeiro apresentou ganhos, tendo o melhor resultado dos últimos três anos. Porém o que tinha de tudo para ser um ótimo ano tornou-se um grande desafio para a área.

Após a Pesquisa Mensal de Serviços (PMS) ter sido divulgada pelo IBGE no dia 10 de julho, a Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismos (CNC) revisou de 5,6% para 5,9% a previsão de retração no volume de receitas do setor.

Confirmada a previsão, o setor pode registrar o pior desempenho anual na história da pesquisa, que iniciou seus registros em 2011.

Os serviços voltados ao consumidor final, como aqueles prestados às famílias e até mesmo as atividades de transportes, apresentaram um crescimento após terem atingido valores muito baixos no mês de abril.

Entretanto, serviços prestados entre empresas como o de comunicação e profissionais administrativos, tiveram uma baixa, impedindo o início da reação das atividades terciárias como um todo.

No dia 01 de setembro, o IBGE publicou os resultados do impacto da pandemia no segundo trimestre de 2020, o PIB teve uma redução de 9,7% com relação ao primeiro trimestre e se formos comparar com o mesmo período no ano interior a redução é ainda maior, 11,4%.

Falando do setor de Serviços especificamente, com relação ao primeiro trimestre deste ano a baixa foi de 9,7%, enquanto que comparado a 2019 a baixa é de 11,2%

Semana de Marketing e Vendas: oportunidade para alavancar negócios

Analisando esse contexto, vemos que é necessário reagir, elaborar estratégias, pensar em novos planos de ação, tudo o que pudermos para fazer a curva voltar a subir.

Com isso em mente, a Clint Hub e a AAA Inovação trazem a Semana de Marketing e Vendas edição Serviços.

O evento acontece em cinco dias de webconference, com mais de 50 horas de conteúdo exclusivo criado especialmente para essa edição, com um overview sobre o atual cenário, segurança digital, oportunidades de novos negócios e marketing para desenvolvimento do setor.

A programação está dividida em cinco trilhas: Marketing Avançado; Vendas na Prática; Gestão de Projetos; Customer Success e Inovação e Tecnologia.

Alguns dos speakers envolvidos são:

Assim, pretende-se conseguir atrair visibilidade para o setor e gerar relevância para os participantes com insights de aplicação real no desenvolvimento dos negócios. 

Inscreva-se e aproveite 50 horas de conteúdo gratuito na Semana de Marketing e Vendas

O evento acontece de 21 a 25 de setembro, de forma online, e será disponibilizado de maneira 100% gratuita a todos os participantes. Inscreva-se clicando neste link.

*

A Clint, autora deste texto, foi fundada em Florianópolis/SC, é uma plataforma digital especializada em conectar empresas, agências e as principais ferramentas do mercado de marketing e vendas. Aposta na evolução do ecossistema de agências, trabalhando frente a educação e especialização desse nicho, oferecendo também programas de mentorias e eventos gratuitos como as SMVs – Semanas de Marketing e Vendas que conectam o público dos mercados em que cada edição atua.

5 dicas para fazer um bom benchmarking

Acompanhar o trabalho dos concorrentes é uma forma de descobrir pontos fracos e fortes, além de estratégias que melhorem as práticas de gestão da sua empresa, trazendo mais competitividade. Algumas dicas para benchmarking ajudam a fazer esse trabalho da forma correta.

A variedade de estratégias criativas usadas no marketing pode fazer com que o empreendimento esqueça de utilizar determinada opção, desperdiçando uma boa oportunidade.

Ao monitorar o que os concorrentes estão realizando, é possível se deparar com práticas que foram deixadas de lado e, principalmente, conhecer novas fórmulas que podem ser aplicadas e dar bons resultados.

Neste artigo, vamos entender o que é benchmarking e por que é importante realizá-lo. Além disso, mostraremos 5 dicas de como fazê-lo adequadamente. Acompanhe a leitura e fique por dentro do assunto!

Entenda o que é benchmarking

Esse conceito pode ser definido, em uma tradução livre, como ponto de referência. Desse modo, fazer benchmarking é buscar as melhores referências e práticas realizadas pelas empresas de sua área de atuação. O objetivo é encontrar oportunidades e melhorias para seu negócio.

Por meio da observação, pode-se obter referências para desenvolver estratégias e ações mais eficazes, introduzindo melhorias na gestão dos seus projetos e boas práticas de mercado.

Durante o monitoramento, é necessário analisar, interpretar, avaliar e mensurar as informações coletadas. Somente compreendendo o que os dados significam é possível desenvolver ideias que verdadeiramente tragam benefícios.

Saiba a importância de realizá-lo

Se você ainda não sabe como o benchmarking pode ajudar, entenda que ele é essencial porque ajuda a direcionar o negócio para o aprimoramento dos processos. É um modo de encontrar estratégias mais eficientes por meio de inspirações vindas dos concorrentes.

Ele pode gerar inúmeras vantagens, pois melhora o conhecimento interno da organização e desenvolve os processos ao buscar a maneira correta de agir.

Outro ponto interessante é que ele contribui para elevar a motivação da equipe, mostrando que é possível atingir os objetivos estabelecidos por meio de exemplos dos concorrentes que chegaram lá.

Quando você pesquisa e compara suas estratégias com as de outras empresas, é possível identificar algumas tendências que podem trazer resultados interessantes no futuro.

Com essas informações, o gestor pode se antecipar e sair na frente da concorrência, desenvolvendo soluções inovadoras e se destacando como uma marca pioneira, que utiliza práticas diferenciadas de marketing digital.

Além disso, contribui para conhecer o mercado de maneira mais completa, possibilitando, por exemplo, a utilização de business intelligence.

Essa pesquisa ainda proporciona outros benefícios importantes, como a redução de custos, o aumento na produtividade e a ampliação da margem de lucro, elementos que trazem força para a organização.

Confira 5 dicas sobre como fazer um bom benchmarking

Para que esse trabalho seja feito de forma competente, traremos algumas dicas de como fazer um bom benchmarking. Confira nossas sugestões!

A primeira coisa a ser feita é selecionar de um a três concorrentes que podem oferecer dados interessantes para a análise. Eles podem ser diretos ou não, o que importa é que tenham um bom trabalho de marketing.

Também é possível escolher negócios de outros segmentos, desde que sua metodologia se encaixe nesse perfil. A vantagem de escolher concorrentes de outra área é garantir ideias diferentes.

Nessa fase, é necessário criar uma tabela que seja clara e objetiva para comparar aspectos específicos de cada empresa com base nos critérios que você julgar interessante.

Eles podem ser variados, como alcance, engajamento nas redes sociais, sucesso de campanhas de marketing de conteúdo, qualidade dos materiais apresentados, estilo e linguagem, entre outros. Esses indicadores servirão para melhorar algumas áreas, como o planejamento de mídias sociais.

Existem várias ferramentas que ajudam a encontrar os dados e resultados de campanhas de seus concorrentes. A internet, por exemplo, oferece inúmeros recursos que você pode utilizar para fazer essa avaliação, como redes sociais, sites e blogs.

Entre as ferramentas específicas, podemos indicar o Google Alerts, que é totalmente gratuito e possibilita acompanhar todas as citações de seu concorrente na internet, seja em um link ou até mesmo em uma frase de um texto publicado. O SocialMention proporciona funcionalidades parecidas, com o foco nas redes sociais.

A Similar Web também é uma ferramenta interessante que oferece dados e métricas completos de sites de concorrentes, ajudando a buscar ideias e melhorias para seu negócio.

Nossa última indicação é o SEMrush, que permite o monitoramento de toda a estratégia de marketing, sendo que com ele é possível identificar todas as palavras-chave que seu concorrente está rankeando, além de outros dados relevantes.

Essa é a hora de reunir todas as informações que foram coletadas e analisá-las de modo crítico. Faça comparações, entenda as relações que podem ser criadas com seu empreendimento e verifique o que pode ser aproveitado em suas estratégias. Afinal, de nada adianta acumular dados e não saber o que fazer com eles.

No fim de tudo, é importante elaborar um relatório com os pontos altos e baixos detectados durante a observação. Verifique quais são as oportunidades, as falhas e os pontos de melhoria para suas ações digitais. Se for necessário, registre também a existência de possíveis ameaças e elabore um planejamento antecipado para evitá-las.

Neste artigo, vimos algumas dicas para benchmarking, além de entender sua importância e as vantagens que ele pode gerar.

Ao seguir as dicas, a empresa encontrará informações importantes que contribuirão para a melhoria dos processos.

Essa é uma forma eficiente de encontrar falhas e acertos no que é feito e trabalhar para corrigir tais pontos, gerando mais competitividade e força no mercado de trabalho.

Gostou de conhecer mais sobre esse artifício importante para as empresas? Então, comente no artigo e conte alguma experiência que você teve com o benchmarking!

*Sobre o autor

Raphael Pires, editor-chefe do blog da iClips, a solução all-in-one para gestão de agências.

Como gerar leads e tornar seu negócio uma fonte de insights?

Você que está começando na área de inbound marketing ou que já vive esta jornada há algum tempo, com certeza já se deparou com a palavra lead, certo? Pois é, eu conheci esse termo em 2015 e, desde então, já virou parte da minha rotina. Hoje, quero compartilhar como aprendi a gerar leads e tirar insights desse processo.

Primeiramente, quero me apresentar: meu nome é Robinson e sou co-fundador e CEO do Oh lala, Dani. Vou te contar um pouco da nossa jornada e das estratégias utilizadas por nós para gerar centenas de leads todos os meses.

Vamos lá? Antes de tudo, eu acredito ser importante você conhecer um pouco da nossa história.

Oh lala, Dani! surgiu no final de 2016 e iniciamos a operação no começo de 2017. Nós somos um ateliê de língua e cultura francesa situado em Curitiba.

Com aulas presenciais e uma metodologia própria de ensino, possuímos os objetivos de ensinar a língua francesa tanto no presencial quanto auxiliar no aprendizado online para qualquer pessoa que fale português.

Agora que você já sabe o que fazemos e quando começamos, eu quero te contar que nem sempre foi fácil encontrar clientes, principalmente com uma metodologia e abordagem inovadora. 

Mas foi esta dificuldade que nos estimulou a buscar novas alternativas até então não exploradas e uma delas foi o inbound marketing. Com essa estratégia, nós conseguimos catalisar o nosso potencial e da metodologia criada.

O que é um lead e como eu consigo isso?

Uma das perguntas que mais me marcaram foi: lead é tipo cliente em potencial? É até engraçado para pensar hoje em dia, mas seguimos um roteiro clássico que com toda certeza você deve ter se deparado em blogs ou em materiais da área. 

Caso você não tenha visto, vou deixar ele aqui para você:

  1. Atrair
  2. Converter
  3. Relacionar
  4. Fidelizar

Todas elas são importantes? Eu diria que sim, mas dependendo do seu negócio, o nível de complexidade pode variar e muito. 

Vale ressaltar que no inbound, como em toda outra estratégia, é necessário planejamento e execução. Para nós o roteiro foi um pouco diferente, ele aconteceu da seguinte maneira:

  1. Definir nossa persona
  2. Atrair
  3. Entrega de valor
  4. Converter
  5. Relacionar e oferecer experiência

Estratégias de sucesso para gerar leads

Definição de persona

Uma etapa primordial para o nosso sucesso, e posso dizer que isso nos poupou recursos, tempo e acelerou os nossos aprendizados, foi a definição de personas. Se eu pudesse definir esta etapa no processo para gerar leads, seria a seguinte frase:

“ A direção é mais importante do que a velocidade e a intensidade"

Conhecer o problema ou a dor que o seu lead possui é fundamental para poder oferecer uma solução de forma eficaz. 

No nosso caso, nós queríamos que as pessoas estudassem francês devido a inúmeras oportunidades que a língua poderia oferecer. O que fizemos? 

Definimos uma direção que poderia levar ao problema da língua francesa, isso foi mais importante do que velocidade e intensidade. Evitamos um desperdício maior de recursos e isso acelerou o nosso aprendizado.

Aprimoramos um curso da nossa grade curricular que nasceu em 2015 e construímos as etapas de solução do problema em blocos (ex: como escolher o melhor bairro para se hospedar, como fazer uma reserva de mesa, como dizer que estou passando mal, etc.). 

Na prática, como se fosse um estudo de campo, anotamos todas as reações dos nossos clientes e as novas ideias que surgiam.

Uma qualidade importante para desenhar a persona do seu negócio é a capacidade de interpretar a reação de uma pergunta sob diferentes realidades. 

A dúvida ou problema é o mesmo, porém cada um reagirá de forma diferente e nós buscamos na prática esses dados.

Uma dica importante é conversar com o maior número de pessoas que possam te fornecer um feedback construtivo. Não tenha medo de expor seus pensamentos, pois por enquanto eles são somente pensamentos.

Entrega de valor

Persona definida, blogpost e redes sociais em dia, então chegou a grande hora de converter, certo? 

Posso te dizer que as conversões vão acontecer, mas elas podem ter uma qualidade inferior ao esperado e isso pode gerar alguns atritos no seu departamento de marketing e vendas.

Para aumentar a qualidade do nosso lead, nós utilizamos uma estratégia que poderia chamar de gerenciamento de expectativa

Você já deve ter reparado que enquanto cria conteúdo (blogpost, redes sociais e e-mails), chegará o momento de criar um material rico para a conversão, certo? 

Neste momento é que entra a primeira parte da entrega de valor, e as perguntas que precisam te guiar para esta etapa são:

Nada de novo até o momento, mas o que funcionou para nós foi esta segunda etapa no qual explicamos toda a experiência e como o material deve ser usado antes mesmo da pessoa se converter. 

Esta etapa foi um divisor de águas, pois os leads que solicitaram o material já tinha passado por uma espécie de onboarding.

Um excelente case é o nosso roteiro de dois dias para Paris. O usuário entrava no nosso blog e se deparava com toda a explicação do roteiro e dicas para ele vivenciar uma experiência Oh lala, Dani em sua viagem, além de encontrar um roteiro para download que ele poderia acessar a qualquer momento no celular ou até mesmo imprimir.

Este guia o acompanharia durante toda a viagem. Nós ainda produzimos um vídeo ensinando frases e dicas práticas para o dia a dia da experiência. 

Com isso, a qualidade do lead ao entrar em nossa base aumentava consideravelmente.

Relacionamento e experiência 

A etapa mais crucial, pois o lead já comprou sua ideia e está considerando tornar-se cliente. Entretanto, é aqui que mais recebemos insights e desenvolvemos promotores de marcas.

Posso afirmar que 80% de todos os nossos materiais e postagens se originam do relacionamento do lead conosco. Um dos pontos mais importantes após a conversão é ter uma cadência de comunicação com o seu lead.

Sempre enviamos e-mails e pedimos que as pessoas conversem conosco. É importante entender que se relacionar ainda faz parte da experiência e auxilia no processo de vendas.

“Estabelecer um canal de comunicação de mão dupla no processo de relacionamento é fundamental”

Apresentar disponibilidade para o seu lead é importante. Hoje recebemos inúmeros e-mails por dia perguntando mais sobre o roteiro, dicas e até mesmo dúvidas específicas sobre a viagem ou a língua francesa.

Sempre tentamos responder da maneira mais completa e eficaz. Os fluxos de automação auxiliam e muito nesta etapa, mas é importante monitorar métricas de sucesso que devem ser definidas conforme o seu negócio. 

Sempre que tiver a oportunidade – ou caso não tenha, crie uma – pergunte o que ele(a) achou do material e como podemos melhorar.

O nosso roteiro já gerou tantos insights que, a partir dele, nós criamos pelo menos novos 3 roteiros para serem explorados por diferentes tipos de personas como, por exemplo: famílias, artistas e gastronômico.

A produção de conteúdos e materiais é uma excelente estratégia para gerar leads. Nós a utilizamos e temos bons resultados, porém acrescentar, ajustar e sempre testar é o que pode manter a sua estratégia performando da melhor maneira possível.

Caso você tenha alguma outra estratégia que tem gerado bons resultados ou qualquer dúvida que queira compartilhar, estamos à disposição!

*Sobre o autor

Formado em engenharia elétrica, mas empreendedor por escolha e apaixonado por esporte. Co-fundador do Oh lala, Dani! com o objetivo de entregar uma nova experiência no ensino de idiomas com foco na língua francesa, utilizando a tecnologia como um diferencial no aprendizado.

Robinson é também Co-fundador da Brigaderia Brigatto, empreendimento que atua no estado de São Paulo para clientes B2B e B2C.

Está começando sua jornada com o marketing? Confira dicas da Oh lala, Dani! e descubra como gerar leads, bons insights e engajar seu público:

Contato//

Fale com um especialista, tire dúvidas ou deixe sua sugestão para a Layer Up. Nosso time está pronto para dar um UP em seu negócio e entregar os melhores resultados!

    Newsletter

    Assine a newletter e receba informações do mundo digital.