Muito além da coleta de dados, aprenda a usar os números a favor do seu negócio

Em uma era na qual com apenas alguns cliques conseguimos comprar centenas de produtos, conhecer novos lugares e descobrir informações nunca antes imaginadas; a coleta de dados com eficiência se tornou um fator...

Muito além da coleta de dados, aprenda a usar os números a favor do seu negócio

Em uma era na qual com apenas alguns cliques conseguimos comprar centenas de produtos, conhecer novos lugares e descobrir informações nunca antes imaginadas; a coleta de dados com eficiência se tornou um fator essencial para gerar mais competitividade e autoridade no digital.

Hoje, os dados são considerados ativos extremamente valiosos, capazes de guiar as tomadas de decisão e garantir mais assertividade na conquista e fidelização de clientes.

Mas, muito além de coletar os indicadores da sua organização, é importante compreender o que eles representam. Afinal, o sucesso de uma cultura orientada por números está relacionado a quais estratégias de crescimento serão estruturadas a partir deles.

Para se ter ideia, de acordo com uma pesquisa da Dell, 76% das empresas brasileiras estão coletando dados em uma velocidade mais rápida do que conseguem analisar e 74% precisam de mais dados do que já possuem. Ou seja, a principal dificuldade das organizações é identificar quais dados são relevantes e quais podem ser descartados.

Por isso, neste conteúdo exclusivo, vamos mostrar que o processo de maturação dos dados vai muito além da coleta dos números.

O que é a coleta de dados?

De maneira simples, a coleta de dados é um processo que tem como objetivo a captação de indicadores de uma organização para a criação de conteúdo estratégico.

A sua finalidade é, sobretudo, garantir que as organizações conheçam o desempenho do próprio negócio, desde o resultado de setores específicos até a percepção dos consumidores. Assim, a coleta de dados se tornou um trabalho que já faz parte da rotina de muitas empresas.

A Amazon, por exemplo, é referência mundial no uso de informações. A empresa utiliza a análise de dados para otimizar processos cotidianos e impulsionar a experiência do consumidor.

Atualmente, a gigante do e-commerce se beneficia do cruzamento de dados dos consumidores para identificar potenciais compras que serão realizadas e deixá-las prontas nos centros de distribuição. Diminuindo então, o ciclo de compra do consumidor.

A Amazon também utiliza a análise de dados para gerar ainda mais concorrência. Para se ter ideia, os valores das mercadorias podem mudar a cada 10 minutos no site, permitindo que os preços fiquem mais competitivos e alinhados ao mercado.

Ao olhar cases de grandes empresas, fica mais fácil de entender como os números são importantes indicadores de desempenho. Com eles é possível gerar mais competitividade de negócio e converter leads com mais eficiência.

Dessa forma, a coleta de dados deve ser feita de forma recorrente e consistente. Afinal, as tendências do mercado se renovam constantemente, assim como o comportamento dos consumidores

Por que coletar e mensurar dados?

Uma coleta de dados eficiente é capaz de trazer inúmeros tipos de benefícios às organizações. Com os dados é possível otimizar ações, planejar campanhas, garantir a satisfação do consumidor e traçar processos mais estratégicos.

Além disso, uma cultura data driven auxilia a:

  • Definir os KPI’s estratégicos
  • Potencializar a satisfação do público
  • Aumentar o número de conversões 
  • Otimizar conteúdos e campanhas para melhorar o desempenho

Porém, se engana quem associa a análise de dados apenas à coleta dos números. Uma boa análise deve ser capaz de destacar quais informações são importantes e quais podem ser descartadas.

Mas, implementar uma cultura orientada por dados não é tão fácil quanto parece, isso porque existem diversas formas de coletar os números, armazená-los e aplicá-los no dia a dia. 

A seguir, destacamos algumas ferramentas cruciais nesse processo:

Google Analytics

Plataforma pertencente ao Google que permite a análise de diversos indicadores de desempenho, entre eles: tráfego, origem dos usuários, páginas em que houve o processo de conversão etc. 

O Google Analytics também permite a integração com outras ferramentas de automação. Assim, é possível acompanhar as métricas do seu negócio de maneira eficiente e rápida.

Oracle Data Mining 

Como o  próprio nome supõe, essa ferramenta faz a mineração dos dados a partir da análise das informações geradas pelo ODM.

De forma simples, o Oracle permite fazer projeções do comportamento dos clientes e identificar personas.

CRM 

O CRM ou Customer Relationship Management é uma estratégia que visa organizar e gerenciar todos os contatos de uma empresa. Para isso, são utilizados softwares que integram dados de diversas áreas.

Algumas opções de ferramentas são: RD Station, Salesforce, Pipefy e Pipedrive.

Faça uma análise de dados em 5 etapas

Coleta de dados

Separe os indicadores de desempenho mais importantes da sua organização, assim como informações relevantes sobre o seu mercado de atuação. 

Avalie as informações coletadas 

Nesta etapa, análise a precisão das informações coletadas. Separando apenas dados que contenham informações valiosas. 

Análise de dados unida à tecnologia 

Para tirar o máximo proveito dos seus dados, unifique softwares de automação e mensuração de dados e trabalhe em conjunto com o time de marketing e vendas. 

Visualização de dados 

Para garantir que os números sejam utilizados de maneira eficiente, busque apresentar as informações de uma forma visualmente atraente. 

Por isso, busque utilizar tabelas, gráficos, dashboards, entre outros. 

Transforme os números em ações 

Chegou o momento de utilizar as informações coletadas para tomar decisões mais assertivas, solucionar falhas operacionais e impulsionar suas estratégias de crescimento.

Dados não são apenas números 

Ao adotar uma cultura data driven é essencial ter em mente que os dados são capazes de contar histórias e direcionar os próximos passos do seu negócio. Por isso, muito além de escolher uma ferramenta de automação, é importante se atentar para os insights gerados a partir da análise.

Além disso, de nada adianta contratar os softwares mais sofisticados, se sua equipe não está preparada para manuseá-los. Quando falamos sobre ser data driven isso inclui também o seu time. 

Afinal, eles serão responsáveis por olhar de forma analítica para os indicadores de desempenho e desenvolver estratégias de crescimento a partir deles.

Por isso, quando falamos sobre gerar mais proficiência analítica, nos referimos, sobretudo, à forma como os números da sua organização serão analisados. 

Vale lembrar que dados em excesso não são sinônimo de proficiência analítica.

Caso você ainda tenha dúvidas sobre como tornar sua empresa data driven ou tenha curiosidade em aprender mais sobre o universo dos dados, nos dias 27 e 28 de julho acontecerá o Data Driven Decision, o maior evento sobre dados no Brasil. 

Além de contar com profissionais que já estão no caminho da alta performance dos dados, o DDD contará com um hub repleto de conteúdos exclusivos. Não perca nenhum insight e fique por dentro de todas as novidades do universo dos dados, faça sua inscrição!

coleta de dados

Contato//

Fale com um especialista, tire dúvidas ou deixe sua sugestão para a Layer Up. Nosso time está pronto para dar um UP em seu negócio e entregar os melhores resultados!

    Newsletter

    Assine a newletter e receba informações do mundo digital.