Métricas de e-mail marketing que você precisa acompanhar

O sucesso de uma estratégia de marketing digital depende de análise de dados e constante acompanhamento e otimização de ações. Afinal, como saber o que está ou não funcionando? Hoje, vamos falar sobre 5 métricas de e-mail marketing que você precisa conhecer e monitorar.

Divulgar conteúdos, ofertas, novidades da sua empresa ou apenas manter o contato com a sua base. Tudo isso é possível com o e-mail marketing, estratégia que, quando bem utilizada, pode gerar bons resultados para o seu negócio.

Mas, assim como tudo no universo digital, não pode ser trabalhado às cegas. Você até pode criar o melhor texto e a arte mais bonita e mesmo assim não conseguir bons resultados. O problema? Não entender o comportamento e preferências do seu público.

É por isso que, ao trabalhar com dados, você consegue entender o que não está funcionando e otimizar. Ou se basear nos disparos com melhor performance para novas produções.

Mas o que são métricas de e-mail marketing?

De forma resumida, as métricas de e-mail marketing são algo a ser medido, ou seja, os números que precisamos acompanhar para determinar o sucesso, ou não, de uma ação. São dados como o volume de pessoas que abriram o seu e-mail, quantas clicaram, etc. 

Elas elas estão muito relacionadas com os objetivos do negócio. Ou seja, se você tem um e-commerce, por exemplo, as métricas relacionadas aos cliques e conversões serão muito mais importantes. 

Como já falamos, é um trabalho contínuo e você precisa acompanhar de perto esses resultados para conseguir alcançar suas metas. Conheça algumas das principais métricas de e-mail marketing:

Taxa de abertura

Não é à toa que essa é uma das métricas de e-mail marketing mais conhecidas. Afinal, como o próprio nome já diz, corresponde ao número de pessoas que abriram o seu e-mail em comparação com o total enviado.

Infelizmente ela não é tão confiável, já que os servidores tendem a considerar como abertura apenas quando o destinatário autoriza a exibição das imagens.

Mesmo assim, oferece uma visão geral do sucesso de um disparo e insights valiosos. Ela é, inclusive, excelente para testes A/B de assuntos e/ou horários, por exemplo.

Taxa de cliques

A taxa de cliques também pode ajudar você a entender o sucesso de uma campanha, contabilizando o volume de cliques em comparação com total disparado.

É uma ótima métrica para entender o interesse do público pelo seu conteúdo ou produto.  Você pode inclusive realizar testes A/B para saber qual abordagem na CTA funciona melhor, questões visuais e muito mais.

Taxa de conversão

Essa é uma das métricas de e-mail marketing que estão sempre no radar dos gestores. Afinal, é essencial saber quantos leads foram gerados a partir de um disparo.

De forma geral, ela contabiliza as pessoas que abriram o e-mail, clicaram na CTA e completaram uma ação.

Pode ser o cadastro em uma landing page para baixar um material ou comprar um produto no seu e-commerce, por exemplo.

Mas, para isso, é preciso fazer uma integração com outras ferramentas como o Google Analytics.

Taxa de rejeição

Também conhecida como bounce rate, essa métrica ajuda a monitorar os e-mails que não chegaram até o destinatário. Ela é de extrema importância para entender a saúde da sua base, evitando que a sua empresa seja considerada como spam, por exemplo.

Existem dois tipos de rejeição. Soft bounce ocorre quando o usuário não recebe o e-mail por problemas mais simples como caixa de entrada lotada. O hard bounce é mais crítico e está relacionado com aqueles endereços incorretos ou desativados.

Taxa de descadastro

A taxa de descadastramento também é uma das métricas de e-mail marketing que ajudam a entender a preferência do público e sua base. Além do número de pessoas que se descadastraram, você consegue entender os motivos: muitos envios ou conteúdo desinteressante, por exemplo.

Se as marcações de spam ou descadastramentos estiverem altas, é um alerta vermelho para rever a estratégia e higienizar a base.

Percebeu como acompanhar as métricas de e-mail marketing pode guiar as suas estratégias digitais? Fazendo um acompanhamento e otimização constante, você vai conseguir impulsionar o seu negócio!

Para ajudar você a ter uma gestão ainda mais assertiva, reunimos em um e-book alguns erros comuns em marketing digital e dicas de como evitá-los. Confira, é gratuito:

Transforme dashboards em insights: análise de dados aplicada

Os dashboards, ou “painéis de controle”, são uma ferramenta utilizada para apresentar os processos e resultados de uma empresa de forma simples e bastante visual, o que facilita a tomada de decisões

As informações mais importantes para o andamento do negócio são dispostas por meio de gráficos e mapas.

Com essa visão ampliada do negócio, é possível detectar possíveis falhas mais rapidamente, agindo com base em dados para otimizar processos, bem como aumentar a produtividade da companhia. 

Informações críticas como queda de vendas, lentidão na entrega ou grau de satisfação dos clientes também se transformam em insights para antecipar problemas que possam ser reparados rapidamente.

Essa tarefa é responsabilidade das áreas de Business Intelligence e marketing, que gerenciam os dados relacionados ao negócio para guiar as decisões e entender se os investimentos estão gerando os resultados ideais. 

Neste texto, você vai saber quais são as principais funções de um dashboard, como é feita a sua estruturação. Confira! 

Conheça melhor os dashboards

A primeira etapa é a de coleta, tratamento e armazenamento dos dados, que geralmente ocorre de forma automatizada com a integração da ferramenta.

Com as informações coletadas, vem a fase de visualização. E é aqui que os dashboards fazem a “mágica” acontecer. 

Existem muitas soluções hoje que disponibilizam recursos para ajudar os profissionais a visualizar os dados em forma de gráficos e relatórios flexíveis. As principais ferramentas do mercado são:

As etapas dos dashboards em detalhes 

No geral, as atividades possíveis dentro das plataformas de dashboard estão apoiadas em três pilares: conectar, visualizar e compartilhar os dados. 

Conectar

Possuem conectores internos e de parceiros que possibilitam a conexão com dados de todos os tipos em plataformas diferentes. Dessa forma, é possível extrair e reunir dados de redes sociais, e-commerce, Google Analytics, Campaign Manager, Google Ads, Display & Video 360, planilhas etc. 

Visualizar

A maneira com que os dados são exibidos é fundamental para que os insights venham à tona. Assim, essas ferramentas permitem a transformação dos dados em histórias atraentes com a criação rápida de gráficos e artes interativas.

Compartilhar

Com o relatório em mãos, é simples também o compartilhamento com outras equipes e a incorporação em páginas da web.

Principais tipos de dashboards 

Podemos eleger três tipos principais de dashboards no mercado: operacional, tático e estratégico.

Operacional

Como o próprio nome diz, este dashboard é focado em processos mais específicos e de desempenho de operação. Geralmente, é usado com atualizações rápidas e auxilia na correção de problemas dentro de uma equipe de trabalho, por exemplo.

Tático

O dashboard tático tem a proposta de analisar grandes volumes de dados e ajudar a entender quais tendências eles indicam e quais são os possíveis resultados que uma determinada ação pode ter. Não tem a atualização de seus dados feitas com a mesma constância que no caso do operacional.

Estratégico

Totalmente apoiados em KPI’s (Key Performance Indicator), o dashboard estratégico tem o papel de mostrar metas e resultados de uma forma simples. Também são muito úteis para definir metas de usuários alcançados em campanhas digitais, por exemplo.

Como criar dashboards de marketing perfeitos? 

Por incrível que pareça, os dados ainda estão entre os ativos mais subutilizados no marketing. Estruturar e visualizar esses dados em dashboards é essencial para ajudar profissionais de marketing a identificarem com agilidade as ações que estão dando certo ou não.

Mas como criar um bom dashboard? Confira, a seguir, algumas dicas práticas. 

Centralize os relatórios do dashboard em torno de um tópico  

Um erro comum cometido por muitos profissionais de marketing é medir muitas métricas em um único painel, o que pode acabar confundindo o cliente. 

A primeira dica é criar um relatório em torno de um tópico específico. Para isso, faça as seguintes perguntas: “quais são meus objetivos de marketing? O que eu quero alcançar? E quais são os KPI’s que acompanham minha evolução em direção a essa meta específica?”.

Depois de listar seus objetivos, crie painéis individuais para cada critério que contribui para uma meta de marketing mais ampla. A recomendação é incluir apenas KPI’s alinhados com esses objetivos de marketing. 

Utilize o gráfico certo para visualizar seus dados 

Após definir o que você vai mensurar, como isso será visualizado? A boa notícia é que as ferramentas de dashboard facilitam todo o trabalho. Basta escolher um tipo de gráfico, arrastar e soltar seus dados nele! 

Escolher o gráfico errado pode confundir e levar à interpretação incorreta dos dados. Antes de começar, pense assim: “que tipo de mensagem eu quero mostrar aqui?” (mostrar evolução, comparar valores etc.), e “que tipo de gráfico fornece uma boa representação visual desse conceito?”. Veja algumas recomendações abaixo:

Para visualizar metas e referências: use medidores em vez de objetos numerais. 

Para visualizar e comparar evoluções: utilize gráficos de linhas. Ao comparar evoluções de métricas que são observadas juntas, adicione-as ao mesmo gráfico. 

Como usar gráficos de barras x gráficos de bolhas: use gráficos de barras para comparar ou classificar valores em uma categoria. Use gráficos de bolhas para comparar componentes individuais ao todo, mostrando espacialmente seus tamanhos. 

Para visualizar dados geográficos: para ter uma idéia visual de como seus dados são distribuídos espacialmente, o ideal é recorrer aos mapas. 

Use KPI’s de marketing a favor dos negócios 

Agora você já sabe como definir seus KPI’s e apresentá-los visualmente. A próxima etapa para criar um relatório primoroso é o contexto. 

De nada adianta rodar uma campanha de marketing que gerou diversos leads sendo que ninguém comprou seu produto. O caminho é unir dados de marketing ao contexto de vendas para potencializar suas ações e descobrir em que processo a sua estratégia está falhando. 

Imagine um dashboard com dados sobre geração de leads (por exemplo, os canais de aquisição) com dados de vendas (pipeline e receita fechados). 

Ao integrá-los, você é capaz de visualizar a receita gerada em cada canal ou na campanha inteira e identificar quais canais trazem mais leads em termos de vendas (ganhos/perdas). 

Comece agora a analisar seus dados e a usar dashboards 

Se você chegou até aqui, já sabe criar dashboards com informações estratégicas para o marketing. O próximo passo é transformá-las em ações. 

Para começar, é necessário ponderar: “o que eu quero que as pessoas façam?” e “quais ações elas devem tomar?”. 

Tome como exemplo um gráfico de CTR, sendo que seu objetivo é melhorar o desempenho de seus anúncios. 

Imagine que seu CTR seja de 3%, em média, mas você quer aumentá-lo para 5%. O gráfico mostra que, ao longo do tempo, a taxa de CTR está caindo. 

A partir disso, defina ações que deverão ser realizadas quando cada benchmark for alcançado. 

Por exemplo, se o CTR cair para menos de 3%, está claro que o desempenho do seu anúncio é inferior à média – é hora de procurar saber por que o anúncio não está com bom desempenho e buscar formas de melhorá-lo. 

Se a taxa está entre 3% e 5%, é sinal de que o anúncio está bom, mas pode melhorar. Para isso, você pode testar um novo criativo e comparar os resultados. E, se a taxa superar 5%, seu anúncio está excelente e você pode mantê-lo. 

E então? Vamos começar a organizar os dados do seu negócio e construir dashboards para facilitar a sua tomada de decisões? Conte com a Layer Up para te dar todo o suporte necessário! 

Afinal, mensurar dados é o primeiro passo para alavancar as suas vendas e receita.

Nós da Layer Up ganhamos o prêmio de Melhor Case em Marketing e Vendas de 2019 com base em uma metodologia que conta com duas entradas de leads e permite mensuração constante, tornando cada ação estratégica.

Contamos cada detalhe desse processo e damos dicas valiosas para que você construa seu próprio case em uma videoaula gratuita. Confira:

Confira cada detalhe da metodologia que nos levou a ganhar o Melhor Case de Marketing e Vendas de 2019.

Parâmetros UTM: a estratégia para ter informações valiosas sobre os visitantes do seu site

O marketing digital tem algumas premissas básicas, sendo a análise de dados a mais importante delas. Os parâmetros UTM, por exemplo, permitem que você identifique de onde vêm os cliques do seu site.

O monitoramento é importante pois ajuda a direcionar de forma assertiva as suas ações e investimentos em campanhas.

O que são parâmetros UTM?

A sigla UTM significa Urchin Tracking Module, ou seja, códigos de monitoramento adicionados ao final das URLs para identificar de onde está vindo o tráfego de uma determinada página.

Esses códigos podem ser utilizados em diversos tipos de campanhas e canais. É possível inserir um ou mais parâmetros UTM em posts de Facebook, Instagram, Twitter, e-mails marketing, banners, entre outros. 

O monitoramento torna possível saber exatamente qual rede ou campanha está performando melhor e qual é o canal mais adequado para investir.

Por exemplo: temos parâmetros UTM aplicados em banners e em e-mails. Com a análise, foi observado que muitas visitas ao site têm acontecido por causa dos cliques na CTA dos e-mails.

Isso quer dizer que os links dos banners não estão gerando resultados. Sendo assim, os esforços podem ser destinados à produção de e-mails para aumentar os resultados.

Colocando a mão na massa: passo a passo para criar seus códigos UTM

Os códigos UTM podem ser criados de forma manual por meio do Criador de URL do Google, por exemplo, ou com a ajuda de ferramentas que tornam esse processo mais fácil, como o Google Analytics. 

Usando o Google Analytics, você só precisa conectar seu site à ferramenta. A partir disso, todas as informações de rastreamento irão aparecer no dashboard. Faça o caminho Aquisição > Todo o tráfego > Origem/mídia.

Para criar URLs personalizadas para os parâmetros UTM utilizando o Criador de URL do Google, você precisa preencher uma espécie de formulário. Cada campo desse formulário é referente a uma tag da sua URL.

O código UTM tem o seguinte formato: 

https://www.example.com/?utm_source=adsite&utm_medium=origem&utm_campaign=campanhadoanuncio&utm_term=palavra-chavedoanuncio

Ele começa após o símbolo “?”. Saiba o que cada tag significa:

O Google leva cerca de 24h para começar a dar as primeiras informações sobre o link, que podem ser visualizadas no Analytics (Aquisição > Campanha > Todas as campanhas).

3 vantagens de usar os parâmetros UTM em sua estratégia

As estratégias de cada campanha estão diretamente ligadas aos objetivos que desejamos atingir. Por isso, existem métricas e indicadores específicos para cada um desses objetivos. Uma das vantagens dos códigos UTM é que eles podem ser usados em qualquer tipo de campanhas em diferentes canais.

Outro benefício que podemos destacar é que todas as informações vão para o Google Analytics. Isso permite que os relatórios tenham estatísticas muito bem qualificadas e detalhadas.

E por último, mas não menos importante, as URLs rastreáveis permitem que você saiba com precisão todo o trajeto que seu visitante fez para chegar até você. Isso permite que você aplique suas verbas onde realmente tem resultado, aumente sua conversão e atinja mais rápido as suas metas.

Dicas importantes:

Conheça sites de sucesso

Quer inspiração para a construção e gestão de seu site? Nós da Layer Up somos especialistas e colecionamos cases. Confira:

Contato//

Fale com um especialista, tire dúvidas ou deixe sua sugestão para a Layer Up. Nosso time está pronto para dar um UP em seu negócio e entregar os melhores resultados!

    Newsletter

    Assine a newletter e receba informações do mundo digital.