Os principais erros na construção de uma buyer persona

Ao abrir um novo negócio, os empreendedores sabem o público que desejam atingir com suas soluções. E esse entendimento de público-alvo faz com que a construção da buyer persona pareça simples e rápida — afinal, qual a dificuldade em esqueletar algo que você já possui em mente há algum tempo, não é mesmo? 

Errado! E é nesse ponto onde os problemas começam a acontecer. Primeiro porque há grandes diferenças entre o público-alvo e uma persona. Segundo porque essa confusão tende a gerar um ciclo de erros, que com certeza irão impactar na comunicação e nos resultados da empresa. 

Mas esse não é o único engano que pode acontecer durante a construção de uma buyer persona. Por isso, elaboramos um blogpost em que você vai conhecer os principais erros e como evitá-los. Boa leitura!

Antes de mais nada, entenda a diferença entre público-alvo e persona

A principal diferença entre os dois está na profundidade dos dados e do perfil estabelecido

Enquanto o público-alvo está muito mais relacionado a um grupo de pessoas que compartilham as mesmas características socioeconômicas, demográficas e comportamentais, a buyer persona é a representação detalhada do cliente ideal para a sua empresa.

Devem ser considerados comportamentos, características e informações reais para criar um perfil certeiro sobre o consumidor  para o qual você vai dirigir esforços. 

Como já falamos acima, confundir os dois e não construir uma persona é um erro grave, porque prejudica todo o esqueleto das estratégias corretas para o tipo de negócio trabalhado. 

Então, lembre-se: a persona é essencial e ela é beeeem diferente do público-alvo!

Achismos não são bem-vindos!

A percepção que você tem nem sempre condiz 100% com a realidade que o seu negócio precisa alcançar. A construção da persona também precisa ser realista e acompanhar cuidadosamente os rumos que a empresa está tomando no momento. 

Por isso, uma pesquisa bem elaborada feita por profissionais durante a elaboração de um planejamento estratégico é o melhor caminho para que a persona esteja totalmente alinhada e construída com base em dados concretos. 

Encontre o ponto de equilíbrio para traçar a buyer persona

Não seja abrangente, nem específico demais. Encontre o ponto de equilíbrio entre os dois

Tenha em mente que a persona é apenas uma referência e que cada pessoa é um indivíduo diferente. Não é preciso ser amplo demais, porque, no final, você nunca vai conseguir englobar a todos. 

Mas também não se prenda em detalhes. Utilize a pesquisa como base para saber até que ponto é possível trabalhar para afunilar esse cliente até que ele esteja bem próximo do ideal. 

Pesquisar nunca é um exagero

Planejar e pesquisar  são pontos fundamentais para elaborar uma buyer persona. E quanto mais dados, melhor!

Só fique atento: dados irrelevantes, equivocados e ineficientes precisam ser evitados. Além de não acrescentarem nada ao projeto, eles atrapalham na formação de uma persona que realmente represente a marca. 

Uma dica para fazer uma pesquisa bem estruturada é saber o que perguntar. Como não há uma única fórmula para isso, será necessário avaliar com cuidado o que é realmente importante para o seu negócio. 

Por exemplo, se o seu público é formado por executivos, é mais relevante concentrar o foco de campanhas no LinkedIn ou no Instagram? Essa resposta, baseada em números, será importante para construir a persona e guiar as ações futuras de maneira certeira. 

E aí, está mais confiante para montar a sua buyer persona?

A construção de uma persona é uma tarefa complicada, como você deve ter percebido. Mas não precisa se preocupar, porque existem profissionais especializados para auxiliar em todo esse processo. 

Aqui na Layer UP, por exemplo, contamos com uma equipe de planejamento que é mais do que especialista nessa construção.

Além de erros no direcionamento da comunicação, desalinhamentos entre as equipes de marketing e vendas também podem ser fatais para o seu negócio.

Agora que você sabe como evitar falhas no desenvolvimento das personas, que tal conferir um e-book gratuito com diversas soluções para ruídos entre as duas equipes? Confira!

Aplique as melhores estratégias para impulsionar seus resultados em marketing e vendas.

Como a transformação digital muda a forma de lidar com a buyer persona?

A transformação digital pode auxiliar uma organização a atingir o seu objetivo quando deseja alcançar um lugar de destaque em seu segmento. Por isso, conhecer e saber lidar com a buyer persona é um processo obrigatório para fortalecer sua autoridade no mercado. 

Algumas estratégias de marketing já não têm tanta eficácia na obtenção de bons resultados, pois as tendências de consumo e utilização de produtos e serviços se fundiram em um só comportamento.

Distribuir conteúdo offline em qualquer lugar, criar campanhas sem segmentação, optar por marketing de relacionamento sem foco na experiência do cliente e tantas outras são alguns exemplos que podem atrapalhar suas pretensões com o marketing digital. 

Sua empresa está no caminho da transformação digital? Essa é a hora de estabelecer novas formas de relacionamento com o seu público para não ficar pra trás. 

Então, conheça e entenda quem está interessado naquilo que você produz para potencializar suas oportunidades.

Neste conteúdo, reunimos algumas dicas para ajudar você com isso. Vamos lá?

Melhore sua relação com a buyer persona

A buyer persona deve ser protagonista nas relações com a marca, porque as “regras” de mercado são estabelecidas de acordo com suas necessidades. 

É preciso saber que o estilo de consumo da buyer persona evoluiu muito com a tecnologia – e entender como isso aconteceu. 

Por isso, analisar constantemente o comportamento do seu consumidor é um fator muito importante quando falamos em transformação digital.

Esse tipo de estudo pode ajudar você a basear as decisões da sua empresa em dados, o que significa uma escolha ainda melhor.

Inserir o consumidor no processo de decisão é uma boa escolha para fidelizar e gerar tráfego no site da sua marca e garantir uma experiência satisfatória.

Otimize a comunicação da sua empresa com soluções digitais 

Otimizar sua comunicação é muito importante para extrair insights de como conversar com a sua buyer persona em todos os canais. Faça isso estabelecendo um elo entre marca e consumidor. 

O planejamento estratégico da sua transformação digital precisa ser efetivo o bastante para atrair os usuários aos canais de comunicação.

A partir daí, inovar os métodos de tratamento à buyer persona, que busca por ambientes cada vez mais interativos, favorece a efetividade do negócio. Saiba como começar: 

Foco na jornada de compra

Geralmente composta por algumas etapas de Marketing de Conteúdo, essa estratégia conduz seu possível cliente ao objetivo final.

Para conseguir levar a buyer persona até o fim do processo, é preciso entender cada etapa para iniciar a produção de conteúdo.

1 – Aprendizado e descoberta

Aqui, o objetivo é despertar o interesse do consumidor para uma oportunidade de negócio, pois o problema ou necessidade ainda não está claro.

2 – Reconhecimento do problema

Neste ponto, o cliente já está familiarizado e reconhece que há um problema a ser resolvido. Agora o foco é despertar a necessidade de buscar soluções.

3 – Consideração da solução 

Aqui o lead já tem alguma noção de saídas para lidar com o problema. Faça com que ele comece a considerar sua empresa como uma boa opção para isso.

Portanto, trabalhe o senso de urgência, para que a decisão sobre escolher os seus serviços seja tomada rapidamente.

4 – Decisão de compra

Nesta etapa, o consumidor está decidido a comprar. Aqui é o fim do processo.

Chegou a hora de destacar os diferenciais do seu produto em relação aos concorrentes (mostre que é a melhor opção). 

Copywriting 

Explore técnicas de copywriting ao produzir conteúdos objetivos, leves e que atraiam, sempre focando nas dores, desejos e objeções da buyer persona. 

Você pode fazer isso utilizando os seguintes gatilhos mentais, por exemplo: 

UX

Uma visão detalhada da buyer persona no cenário digital é essencial! Isso será muito valioso para acertar em suas estratégias de marketing e vendas

Além disso, é importante saber que o foco aqui será sempre o cliente e o quanto seu website garantiu sua satisfação.

Uma forma de conquistar uma boa experiência de usuário (UX) é oferecer pesquisas de satisfação após os serviços prestados. 

A interação entre buyer persona e organização deve ser natural e benéfica. Isso cria um elo emocional e marca a experiência no imaginário dos clientes.

Entender e valorizar a buyer persona é prioridade!

Portanto, mais do que saber os pontos em comum do público-alvo (gênero, idade, renda, etc), faça um mapeamento do seu consumidor ideal para entender o que faz, o que e como gosta de consumir, e por aí vai… 

Assim, você terá base em dados verdadeiros para direcionar da melhor forma possível suas as estratégias, seja no pré ou pós-venda. 

Dessa forma, alinhadas a um posicionamento digital capacitado, essas técnicas e estratégias serão um diferencial para o bom desempenho da marca. 

Então, o que está esperando? Coloque em prática tudo que aprendeu até aqui e veja o desempenho do seu negócio melhorar daqui pra frente. 

Aproveite e confira no blog Layer Up diversos conteúdos que podem enriquecer ainda mais a transformação digital da sua empresa.

Se a sua empresa está em processo de transformação digital, veja como mudar a forma de lidar com a buyer persona para melhorar suas vendas.

Buyer Personas: o que são e como criá-las

Conceito de Buyer Personas

O conceito de Buyer Personas é de maior importância quando falamos em automação de marketing. Porém, mesmo com tantas informações disponíveis, existe muita dúvida sobre de fato o que são Buyer Personas, qual é a sua definição, para que servem e como conseguir criar uma buyer persona.
Sem mais delongas, Buyer Personas são simplesmente representações simplificadas dos clientes de uma empresa. Para te ajudar a compreender melhor o que é o cliente e quais são suas necessidades que se cria uma persona. É um personagem criado, como o próprio nome já nos sugere. Para quem trabalha com marketing de conteúdo, é essencial essa técnica. Uma Buyer Persona com perfil bem definido mostra que o marketing de conteúdo está funcionando de forma mais certeira.
Para se criar uma boa buyer persona, é necessário explorar a fundo o perfil de cada um dos clientes de sua empresa. Sem considerar, claro, aqueles que não fazem mais negócio com você no momento. São levados em consideração os objetivos pessoais desses clientes e também a segmentação demográfica. Tudo isso contribui para uma melhor criação.

Como criar uma Buyer Persona?

Para criar Buyer Personas, é essencial que sua empresa realize pesquisas, coleta com banco de dados de seus clientes, entrevistas e um bom planejamento. Nesse processo, é inadmissível que se baseie em palpites ou suposições.

Analise os dados e compartilhe resultados

Após ser feito o levantamento de dados desses clientes, é importante identificar características comuns entre eles. Isso é, aquilo que eles mais reclamam e também o que mais necessitam de ajuda. Em resumo, significa que devem ser encontrados pontos em igual que os igualam em uma única demanda de conteúdo. Logo após, é a hora de compor essas personas e definir quais delas terão uma relevância maior para sua empresa.
Para isso, não existe um número máximo ou mínimo. O que deve ser feito no início é começar com Buyer Personas que apresentam um maior grau de importância. Lembre-se que é essencial sempre reavaliar essa lista, pois algumas personas podem ser incluídas e outras retiradas.
Entre as informações importantes para traçar o perfil da Buyer Persona estão, por exemplo, o nome, a área de atuação profissional e a idade, além dos interesses dela. Nesse momento, a criatividade precisa estar afiada, pois você tem que fingir que essa pessoa existe.
É por isso que os estudos de mercado são essenciais nesta etapa. Afinal, nem sempre temos afinidade com o universo da Buyer Persona que está sendo criada. Você pode conhecer os seus clientes, mas alguns dados que parecem não merecer a nossa atenção, às vezes, nos dizem muito da pessoa. Dessa forma, mergulhe no universo desse personagem.
Depois que todo o trabalho de pesquisas e análise dos dados foi concluído e as personas definidas, não se esqueça de fazer um compartilhamento dessas informações com toda a sua equipe. Ela precisa saber o que foi definido!

Outro fator importante é ficar atento aos erros e falhas que podem colocar toda a estratégia criada em risco. Tais como:

Com essas dicas, tenha a certeza de que a utilização dessa técnica de Buyer Personas é algo fundamental para qualquer empresa. Por meio dela, é possível definir quais são os objetivos principais de seu negócio e como fazer para alcançá-lo.
Se quiser conversar conosco sobre sua buyer persona ou conhecer mais o nosso trabalho aqui na Layer Up, entre em contato!


Produção de conteúdo para cada perfil de consumidor

Produção de conteúdo é importante?

Normalmente, quando se trabalha com planejamento de SEO, a primeira coisa na lista é a criação de estratégias para as palavras de maior importância (tags) e também para as variações das palavras-chave. O foco da produção de conteúdo é tão direcionado para esse fator que talvez se esqueça do mais importante: as necessidades que os clientes têm.
Ou seja, qual é a intenção que o usuário tem com aquelas palavras selecionadas para se trabalhar toda a estratégia de SEO. O principal deve ser analisar as reais intenções dos usuários, entender suas necessidades para que então organize sua estratégia de SEO.
Existem 7 passos que podem te ajudar a entender melhor como funciona a cabeça do usuário e maneiras de utilizar o SEO e a produção de conteúdo de forma mais eficaz para sua empresa.

1º Passo – Pesquisa genérica

Nesta primeira etapa, é o momento em que o usuário está procurando por algo genérico para poder solucionar seu problema. Ou seja, um problema sobre o qual não se sabe muitos detalhes nem as maneiras como se pode resolvê-lo.
Nessa hora, sua empresa deve trabalhar temas abrangentes sobre sua área de atuação e levar o usuário direto para o site de seu negócio.
Quando se dedica a trabalhar corretamente a identidade da empresa, expressando tudo aquilo que ela tem para transmitir, provavelmente esse usuário que até então tinha um problema genérico se impressiona com a funcionalidade que seu negócio tem para oferecer a ele, aumentando sua credibilidade. Porém, vale lembrar que nessa etapa o usuário ainda não está inclinado para se converter a cliente.

2º Passo – Pesquisa de nicho

Este é o momento em que usuário já identifica seu problema maior: quando pesquisa por algo mais certeiro e direto. É aqui que ele vai pesquisar por sua empresa. Para isso, é de grande importância que seu empreendimento esteja bem relacionado. Faça da plataforma virtual a principal ferramenta para que o usuário encontre seu negócio, disponibilizando todo um conteúdo para que ele tenha seu problema solucionado de maneira rápida e eficaz.

3º Passo – Descobrimento da marca

Neste passo, além do cliente ter o problema e saber do que se trata, ele também pesquisa por algum outro fator determinante com objetivo de encontrar soluções para o problema que está enfrentando.
Quando isso acontece, é essencial que sua empresa esteja na frente da concorrência e se destaque no termo pesquisado com a produção de conteúdo. Todos sabem que a tendência é o usuário ir clicando nos primeiros links que aparecerem, pois transmitem mais credibilidade e confiança.

4º Passo – Investigação da marca

O usuário já passou por todos os processos que citamos anteriormente e, além disso, já encontrou sua empresa. Após isso acontecer, é natural que ele queira colher o maior número de informações sobre ela para ter a certeza de que é ali que irá encontrar tudo o que precisa.
O fundamental aqui é monitorar toda a imagem de sua empresa na internet e produzir conteúdo qualificado para quando ele realizar essa pesquisa. E, se por acaso encontrar algum tipo de reclamação, é essencial que sua empresa já esteja solucionando o problema – como o Reclame Aqui, por exemplo.

5º Passo – Navegação no site

Logo após o usuário confirmar que sua empresa é realmente o que ele procura, pode ser que faça outras buscas referentes àquele site de forma que seja direcionado diretamente para a categoria que tem necessidade de acesso.
Algumas empresas pecam por não deixar expostas essas categorias, o que faz com que os usuários fiquem perdidos ao navegar pela plataforma virtual.

6º Passo – Compra

Quando todos os passos acima foram confirmados e o cliente se satisfaz com o que encontrou a respeito de sua empresa, é aí então que ele irá realizar a compra. Normalmente as pessoas estão procurando por descontos e promoções, então deixe uma parte do site direcionada a isso. Por mais que seja simbólico, esse fator pode aumentar sua taxa de conversão.

7º Passo – Avaliação

Se engana quem pensa que o trabalho acaba quando a compra é realizada. Muito pelo contrário. Talvez seja depois disso que a responsabilidade de sua empresa aumente. Tudo porque o usuário – que agora já se tornou cliente – poderá ter duvidas referentes ao produto adquirido, querer saber informações, etc.
É importante que sua empresa se faça presente no pós venda para solucionar todas essas dúvidas e fidelizar a pessoa à sua marca.
Em resumo, o SEO deve ser trabalhado levando em consideração todos os caminhos que o usuário percorre até chegar à sua empresa e realizar a compra. Para isso, esteja atento à produção de conteúdo e não esqueça de envolver nas estratégias de SEO todas as palavras que envolvem esse trajeto.
 Deixe seu comentário e tire suas dúvidas conosco!!
Leia também:
LEADS: SUA DEFINIÇÃO E IMPORTÂNCIA PARA SEU NEGÓCIO
FACEBOOK GERA MAIS TRÁFEGO PARA OS SITES QUE GOOGLE
A DIFERENÇA ENTRE INBOUND MARKETING E MARKETING DE CONTEÚDO
Feito por: Layer Up
Deixe seu comentário abaixo!


Contato//

Fale com um especialista, tire dúvidas ou deixe sua sugestão para a Layer Up. Nosso time está pronto para dar um UP em seu negócio e entregar os melhores resultados!

    Newsletter

    Assine a newletter e receba informações do mundo digital.