Eles estão te ouvindo: como o comportamento do consumidor dita a comunicação do futuro

Pense na quantidade de dados que você gera diariamente. As músicas que você ouve durante a ida ao trabalho ficam registradas no histórico da plataforma de streaming que você usa. O mesmo acontece com os vídeos, filmes e séries que você vê e com os aplicativos que usa todos os dias, graças a algoritmos cada vez mais inteligentes! Considere até as informações que os seus wearables registram. Todos esses números falam muito sobre o novo comportamento do consumidor.

Com cada vez mais ferramentas como essas em nosso dia a dia, fica mais fácil personalizar o conteúdo que cada usuário irá consumir. O Spotify, por exemplo, é reconhecido por suas playlists de indicações de novas bandas, que costumam agradar bastante os usuários.

Mas essa personalização pode ser ainda mais interessante. Pense em uma mulher que enfrenta problemas hormonais e mantém registros de informações sobre sua saúde com o auxílio de wearables e aplicativos. Seria muito útil para a rotina dela entregar materiais personalizados sobre problemas que ela pode encontrar e cuidados que pode ter. Esse hábito, inclusive, pode ser ótimo para a qualidade de vida dela!

É por questões assim que a comunicação teve que se transformar! O novo comportamento do consumidor nem deixa outra opção! E a tecnologia pode ser bem útil nesse processo.

O que mudou no comportamento do consumidor?

O excesso de ferramentas que usamos no nosso dia a dia tornam o processo de compra muito mais complexo. Se antes a jornada era linear, com uma necessidade, algumas opções de compra e menos empecilhos na hora da finalização da venda; agora ela é mais longa. 

O novo consumidor tem a necessidade, inúmeras opções de produtos, pede opinião sobre as soluções que encontra, pesquisa ativamente todos os detalhes sobre as marcas, para enfim comprar ou não.

Muitos outros canais também estão envolvidos no processo. O consumidor pode iniciar sua jornada na vida real e usar o universo digital de apoio para concluir sua jornada.

Neste novo processo, ele também demanda outras coisas. Quer comprar produtos da marca com a qual se identifica, busca ter uma experiência interativa e inovadora, além de procurar coerência no discurso das marcas que encontram.

Então, quando o objetivo é aumentar a atração e retenção dos clientes, se torna necessário ficar de olho em alguns pontos que dizem muito sobre o comportamento do consumidor:

Personalização

Com as novas ferramentas e as possibilidades do mundo digital, o novo consumidor passou a valorizar a experiência que tem. Ele quer encontrar menos atritos ao longo de sua jornada de compra e sentir que não é mais um número no processo comercial das empresas.

Sendo assim, o approach deve começar na comunicação, ao escolher a linguagem correta, gerar identificação e personalizar os conteúdos, com base nas informações que já foram fornecidas.

A forma de entregar essas informações também já pode ser mais assertiva, até no topo de funil, na hora de se apresentar para um público ainda não segmentado.

A mídia programática é um exemplo disso. Nesta ferramenta de compra de mídia, o objetivo é criar estratégias para aquisição de audiência, e não canais. Ela permite segmentações, que tornam a mensagem mais personalizada e direcionada de acordo com as características de cada público-alvo.

Essa estratégia também é financeiramente mais interessante, já que influencia diretamente no retorno sobre o investimento. Como a mídia é mais assertiva no público, aproveita melhor a verba aplicada e gera mais resultados. Além disso, pode ser utilizada por empresas dos mais variados segmentos.

Uma pesquisa da IAB Brasil mostrou que a mídia programática movimentou em 2016 R$ 1,9 bilhão no mercado. O valor representa 16,5% dos investimentos em anúncios digitais e tem estimativas de crescimento.

Privacidade do usuário

No Brasil, a LGPD (Lei Geral de Proteção de Dados) entrará em vigor a partir de agosto de 2020. Nesta regulamentação, o objetivo é proteger o usuário do uso de dados pessoais coletados na internet por parte de empresas e agências de marketing e publicidade.

Mesmo enquanto a lei não é estabelecida, o ideal é trabalhar sempre de forma ética e transparente com o usuário. É importante sempre pedir o consentimento, com políticas de privacidade e aviso de uso de cookies, para só então coletar e usar os dados do usuário. 

Empresas que têm um site, aplicativo ou rede social e querem melhorar a experiência do usuário durante a navegação ou melhorar suas estratégias de marketing online, por exemplo, devem antes usar essas ferramentas para agir de forma assertiva, e não invasiva.

Na hora de criar sua campanha no Google Adwords, você sabe qual formato de anúncio escolher?

Shopping, Display, Search… conheça as principais possibilidades e entenda como elas se aplicam nas campanhas no Google Adwords.

Quando se fala em Marketing Digital muitos empreendedores miram direto nas campanhas feitas no Google Adwords 

Aparecer nos primeiros links da lista de pesquisa do Google, além de ser um objetivo cobiçado pelas marcas, é uma conquista possível e que gera grande potencial de resultados positivos. 

Mas é claro que para obter sucesso é preciso dedicar tempo e dinheiro em estratégias bem elaboradas.  No caso do Google Adwords, um dos primeiros passos para gerar uma campanha consistente é acertar no formato do anúncio e investir de forma consciente.  

Você sabe quais são as possibilidades que a plataforma oferece? 

Siga em frente comigo para conhecer um pouco mais sobre o maravilhoso mundo do Google.  

Quais as formas de aproveitar ao máximo as campanhas no Google Adwords? 

Há três oportunidades principais para criar campanhas e gerar anúncios eficientes pelo Google Adwords. São elas: 

Rede de Display 

O que é: talvez esse seja um dos termos mais conhecidos e comentados nas campanhas do Google Adwords. Isso porque essa é uma das possibilidades mais amplas que se tem.  

→ Mas logo de início já faço o alerta: apesar do que muitos pensam, a rede Display não exibe anúncios na busca do Google. Vamos evitar essa confusão! 

Com os anúncios Display é possível incluir sua marca nos principais blogs e portais relevantes para seu público-alvo. 

Como funciona: a ideia principal aqui é acertar o momento e o local de exibição do anúncio. Nesse caso, é preciso entender quais são os canais mais atrativos para seu público, quais as formas de interação que mais funcionam e assim decidir onde e como disparar a campanha. 
→ Para ajudar nessa questão, o Google disponibiliza uma variação de formatos para Display 

Olha só: 

Para quem se aplica: de forma geral, esse pode ser um bom investimento para empresa de todos os portes, desde que a lição de casa seja bem-feita. Isso quer dizer que: 
– É preciso ter ao menos um estudo prévio de público 
– É necessário ter um objetivo muito bem definido 
– É prudente ter um plano de ação bem alinhado para otimização de budget 

Empresas que já possuem um bom reconhecimento de marca pelo público e já anunciam há um tempo podem explorar profundamente esse modelo, com ou sem o apoio de uma agência especializada. 

Já as empresas menores, que estão iniciando as atividades em Marketing Digital, podem contar com uma agência que irá direcionar melhor o caminho para campanhas efetivas, diminuindo as chances de erros. 
 
Rede de Pesquisa (Search) 
O que é: as campanhas de pesquisa nada mais são do que a exibição dos anúncios de texto na página de busca do Google. 

Como funciona: quando seu produto ou serviço é buscado, os anúncios são exibidos acima da lista de resultados, o que é válido para as plataformas mobile, tablet ou desktop.  

Basicamente, uma campanha de pesquisa é criada no Google Adwords em três passos simples: 

  1. Criação de texto do anúncio na plataforma
  2. Definição de palavras-chave
  3. Definição de orçamento diário

 Vale lembrar que na rede de pesquisa o pagamento só é feito quando alguém interage com o anúncio. 
 
Para quem se aplica: mais uma vez esse é um modelo que pode – e deve – ser usado por empresas de todos os portes.  
Para as pequenas empresas essa é uma excelente opção para dar início às ações de Marketing Digital, principalmente pela otimização de custos. 

Lembre-se: os cuidados prévios que citamos

acima, como conhecer bem seu público-alvo, devem entrar em ação! 

Ah, só mais um detalhe: não deixe de mensurar seus resultados para refinar cada vez mais sua campanha e aumentar as chances de impactar as pessoas certas. 😉 
 
Google Shopping 
O que é: campanhas no shopping, como o próprio nome sugere, são focadas em vendas. Elas permitem anúncios com imagens e informações – preços, nome, marca, etc. – dos produtos que devem ser destacados. 
 
Como funciona: aqui o pagamento é feito por clique e por isso o orçamento pode variar de acordo com a necessidade de cada um.  

O procedimento de criação da campanha segue com a etapa criativa, seguida da definição de palavra-chave e depois de orçamento. 

Mas é importante ressaltar que nesse tipo de anúncio a experiência do usuário é melhor, pois é mais dinâmica e oferece agilidade de compra. 

→ A venda pelo Google Shopping também é segura e ainda aumenta o tráfego de visitantes. 
 
Para quem se aplica: apesar de se caracterizar como anúncio de texto, esse modelo tem como objetivo aprofundar o detalhamento do produto oferecido e potencializar a chance de venda.  
Por isso esse investimento é indicado para quem realmente quer adotar uma tática um pouco mais agressiva de vendas. 

Talvez esse seja um estágio de uma marca que já esteja consolidada no mercado, ou ainda que já tenha feito testes anteriores e encontrado o público-alvo com exatidão.  

Dica: Especialmente se a sua empresa atende um nicho muito específico, essa é uma boa alternativa para ser visto por quem realmente interessa e deseja comprar
seu produto. 
 
Assim como as ferramentas utilizadas nas campanhas de Google Adwords há uma infinidade de variações de mídias pagas em diversas plataformas que podem ser aplicadas em estratégias de Marketing Digital 

E você pode descobrir um pouco mais sobre esse universo aqui mesmo, no blog da Layer Up 


Layer Up e sua agência de publicidade: já pensou nessa parceria?

Você conta a sua história e nós damos aquele UP que faltava para gerar ainda mais resultados. Vem saber o que a Layer Up pode fazer por você!

E se eu te falar que a nossa agência de marketing digital, a Layer Up, pode ser parceira da sua agência de publicidade?

Bom, eu já falei por aqui sobre os serviços de marketing digital que são indispensáveis no seu negócio e também comentei um pouco sobre a importância da capacitação de equipe para fazer a engrenagem toda rodar.

Agora eu vou contar como posso ajudar a trazer toda essa prática para a realidade. Quero ser sua parceira nessa jornada, tanto quanto já fui de várias outras agências de publicidade.

Eu confesso que quando ouvia falar em parceria costumava ficar um pouco desconfiada, achando que poderia cair em alguma cilada. Mas aprendi que quando existem duas partes compromissadas entrando em acordo, a parceria pode, sim, existir e ser muito benéfica para todos.

Aqui na Layer Up já solucionamos diversos problemas de agências publicitárias. Desde aquelas que não tinham uma equipe já estruturada para atender os clientes com campanhas digitais, até as que precisavam capacitar os colaboradores já contratados para atuar no marketing digital.

Temos um time de especialistas, uma boa estrutura de atendimento e utilizamos as melhores ferramentas do mercado. É por isso que podemos unir forças para que você tenha uma agência de resultados.

Você ainda está confuso e não entendeu exatamente como posso colaborar com seu negócio? Tudo bem. Eu vou explicar bem certinho o que a Layer Up pode fazer por você.

O que a Layer Up faz pela sua agência de publicidade

A Layer Up pode te ajudar de várias formas, sendo a principal delas a prestação de consultoria.

Por meio desse serviço você pode ter um leque bem amplo de soluções, afinal, seguimos alguns passos para atender nossos clientes.
 
Passo 1 – Diagnóstico
Imagine fazer um raio-x da sua empresa, analisando sua estrutura, time e ações que estão em andamento, e depois disso ainda conseguir traçar os melhores caminhos para implementar uma série de melhorias. Seria ótimo, não?

E é exatamente essa linha de raciocínio que a Layer Up segue. Eu sei, por experiência própria, que muitas vezes não conseguimos enxergar as falhas da nossa própria empresa, já que estamos imersos em uma rotina e a chance de algo passar batido é grande.

Nesse diagnóstico sua agência vai ter todo suporte para avaliar o que está, ou não, funcionando em suas ações digitais. São analisadas questões como:

A partir dessa primeira etapa estamos prontos para seguir em frente.
 
Passo 2 – Planejamento estratégico

Depois de avaliar quais são as reais necessidades da agência, na sequência desenvolvemos um plano bem estratégico para executar ações futuras.

Tudo vai depender do que for diagnosticado na primeira etapa.

Pode ser que seja preciso apenas fazer a gestão de redes sociais dos clientes, ou então criar fluxos de automação para a nutrição de Leads. Ou ainda, é possível que a aplicação de SEO tenha falhas.

Cada caso é único. O que ajuda bastante no planejamento é fazer um Benchmarking bem detalhado, com estudos de posicionamento no mercado e de ações da concorrência, por exemplo.

Assim é possível moldar o serviço de consultoria exatamente de acordo com o que as pesquisas apontarem.

Passo 3 – Treinamento

Falhas identificadas, soluções encaixadas no planejamento e vamos para a prática!

Eu sei tanto quanto você que precisamos de força de trabalho para tirar ideias do papel. Por isso a Layer Up se preocupa em oferecer um treinamento para os funcionários da empresa.

A equipe interna precisa estar ciente de tudo que precisa ser executado e também sobre como é importante medir os resultados.

Muitos colaboradores até contam com cursos técnicos, ou já praticaram algumas ações digitais, mas como essa área se renova com muita velocidade, é importante se atualizar e também entender as necessidades específicas do planejamento.
 
Passo 4 – Acompanhamento

Com todos os passos anteriores já concluídos o procedimento final consiste em acompanhar o andamento das ações previstas no planejamento.

Você define os próximos passos

Dependendo da necessidade, algumas agências escolhem ter um mês de acompanhamento, outras já optam por algo mais prolongado, com encontros regulares para ajustar “resultado” com “expectativa”.

O envio de relatório de ações é muito importante nesse quarto passo. É ele que vai indicar o desempenho daquilo que foi planejado.

É assim que temos insights para sugerir as práticas do mercado mais eficientes e implementar melhorias.

Marketing de Conteúdo: aqui também tem

Além de todo trabalho de consultoria que eu mostrei aqui para você, é importante ressaltar que a Layer Up é expert em Marketing de Conteúdo.

E por que essa é uma atividade que merece destaque?

Eu vou fazer o seguinte comparativo: o planejamento, assim como uma engrenagem, precisa de força (equipe) para entrar em ação, mas só vai seguir seu fluxo de trabalho se tiver óleo para “nutrir” suas peças. E quem seria esse último ingrediente?

Se você pensou no conteúdo, está mais do que certo. Um plano estratégico bem feito e uma equipe pronta para executá-lo ainda é metade do caminho. Sem um conteúdo relevante não há movimento algum.

E essa é uma atividade que nós amamos. Criamos um fluxo de produção interna de conteúdo que se ajusta ao perfil de cada empresa e atende todos os requisitos do público-alvo que vai ter contato com esse material.

Isso é bem diferente dos temas genéricos que você encontra pela internet. E esse diferencial nasce porque a Layer Up tem especialistas dedicados ao Marketing de Conteúdo.
 

Toda essa expertise resultou em…

… prêmios!

Em 2016, a Layer Up foi vice-campeã na categoria Mestre de Conversões do Prêmio Agência de Resultados. Já em julho de 2017 ficamos entre as 25 melhores agências de Resultados Digitais entre os 600 parceiros RD Station.

E tem mais: recentemente recebemos o reconhecimento de Agência Parceira nível Gold da empresa Resultados Digitais, o que mostra nosso comprometimento em sempre gerar resultado para nossos clientes.

Gostou de saber um pouco mais sobre o trabalho da Layer Up? Você pode ter uma experiência ainda mais detalhada e dar um UP agora no seu negócio. Peça um orçamento e nós entraremos em contato para contar o que mais podemos fazer juntos, como parceiros!


Tudo o que você precisa saber para ter uma agência de resultados

Você, que tem uma agência de publicidade, sabe que além de apresentar peças publicitárias geniais para os clientes, seu negócio tem que garantir resultados. Ou seja, ele também precisa ser, literalmente, uma agência de resultados.

E agora eu te pergunto: como garantir que um comercial de televisão vai atingir – e atrair – exatamente seu público-alvo, se ele é transmitido em um canal aberto?

Complicado, não é mesmo? Mas eu posso provar para você que o marketing digital é capaz de mudar essa história.

Ok, você já deve saber que essa é uma das melhores soluções para entregar resultados com assertividade. Só que muitos proprietários de agência de publicidade reconhecem a importância do papel do marketing digital apenas na jornada de compra do consumidor. Mas é preciso entender 100% como os processos de ações digitais funcionam.

Tem mais: alguns desconhecem que existe a complexidade de analisar métricas e o investimento em profissionais especializados para cada demanda.

Se esse não é o seu caso, talvez esse post traga algumas informações repetidas para você. Mesmo assim, recomendo a leitura, já que vou falar também sobre capacitação de equipe e você pode encontrar algum dado relevante.

Agora, se você ainda está implementando os serviços de marketing digital e não sabe exatamente como atingir resultados, esse post é indispensável.

Está pronto para tornar seu negócio em uma agência de resultados? Então vamos lá.

Quantidade não necessariamente gera valor

A primeira lição de todas é não se deixar enganar pelas chamadas “métricas de vaidade”. E o que isso quer dizer? Eu vou dar um exemplo prático para mostrar.

Imagine que seu cliente quer promover a loja de roupas para pets dele e ao passar o briefing insiste que precisa ter mais de cinco mil “likes” na página do Facebook.

Isso pode ser facilmente conseguindo ao criar campanhas digitais, não é verdade?

Mas o que esse cliente não compreende – e você deve explicar – é que para realmente vender mais e tornar a marca conhecida entre o público-alvo, é preciso segmentar muito bem as campanhas para que elas cheguem até as pessoas certas.

Ou seja, é melhor ter duas mil curtidas de Leads na página, do que cinco mil de um público que passa longe do perfil a ser alcançado.

Além disso, as métricas utilizadas devem indicar os resultados e não somente o volume de interações, por exemplo.

Não sabe do que estou falando?
Aqui estão algumas das métricas que valem o investimento:

Enfim, esses são resultados que realmente mostram que o dinheiro que seu cliente investiu já retornou para ele. Analisá-los detalhadamente é o que trará diferencial para seus serviços.

Estamos entendidos? Ótimo, porque agora eu vou seguir falando de uma peça fundamental para seu negócio se transformar em uma agência de resultados.

Sua equipe precisa estar preparada

Eu acredito muito na força do trabalho em equipe e, especialmente quando se trata de Marketing Digital, essa união é muito mais do que necessária. Ela é vital, pois sem um grupo forte e capacitado as ações não sairão do papel.

Você sabe quem deve fazer parte do time da sua agência de resultados?

Antes de responder, eu quero que você preste atenção nesses dados:

A pesquisa Digital Roadblock: Marketers Struggle to Reinvent Themselves, realizada em 2014 pela Adobe, analisou profissionais de Marketing dos Estados Unidos.

Ela revelou que 76% dos profissionais acreditam que o modelo antigo de Marketing, como os grandes anúncios para televisão, já não são mais suficientes, e outros 76% dizem que é preciso estar mais focado em dados para se ter sucesso.

Mesmo cientes dessas necessidades, 30% desses profissionais afirmam que não evoluem na área de atuação por conta da falta de treinamento em novos conhecimentos e também pela incapacidade das empresas se adaptarem às novidades.

Essa também é uma realidade no Brasil.
Por isso, você precisa investir em profissionais que compõem uma equipe de Marketing, como:

Alguns desses profissionais, inclusive, já fazem parte da sua agência. Mas será que eles estão capacitados para atuar no Marketing Digital?

Esse pessoal precisa não só de um conhecimento aprofundado, como também da percepção de que a análise de métricas é primordial para trazer resultados e que essa é uma tarefa difícil, mas muito relevante.

Você tem que estruturar esse departamento de forma que todas as etapas de um planejamento de Marketing sejam preenchidas, principalmente a de análise.

Eu vou ser sincera com você: enxergo somente duas maneiras de fazer isso.
 

Solução nº 1

Olhe para a equipe que você já tem em sua agência de publicidade. Há como encaixar uma nova demanda para alguns dos profissionais?

Se sua resposta for sim, eu aconselho a capacitar esses colaboradores para que eles possam sanar as lacunas dos serviços de Marketing Digital.

Isso evita que você tenha que contratar mais gente para formar uma nova equipe. Mas, o que traz uma certa economia, pode tropeçar na questão do tempo.

Leva um bom tempo até que seus colaboradores passem por cursos de especialização, comecem a praticar planejamentos e estratégias, e realmente absorvam todo conhecimento.

Se você tem essa possibilidade de espera, essa solução já deve funcionar para você. Mas se não é esse seu caso, vem comigo que vou te levar para uma segunda opção.
 

Solução nº 2

Se o tempo de aprendizado é uma barreira para você, que tal contar com um modelo pronto de capacitação, que ao mesmo tempo já corrija possíveis falhas na prática de ações digitais?

Eu quero oferecer aqui uma saída que confio muito e que vai otimizar seu tempo e dinheiro. Além de tudo, é uma opção que será decisiva na transformação do seu negócio em uma agência de resultados.

Você pode contar com uma agência de marketing digital para prestar alguns dos serviços e também atuar com uma consultoria para que você possa fazer os ajustes necessários em sua equipe.

O que você ganha com isso?

A ideia é que você encontre uma agência parceira. Eu falei a verdade para você até agora e, mais uma vez, vou ressaltar algo muito real: as técnicas de mensuração de resultados são bastante complexas e trabalhosas.

Não é fácil gerenciar todos os relatórios e analisar todos os gráficos que as ferramentas automatizadas entregam. Quanto mais apoio você tiver, melhor.

E sem essa etapa de análise, os resultados simplesmente não aparecem.

Como selecionar a melhor agência de marketing digital

Até aqui falei sobre a importância da análise de métricas, do investimento na estrutura de equipe e sobre as possíveis soluções para seu negócio se tornar uma agência de resultados.

Eu imagino que você percebeu que é muito válido contar com apoio de especialistas nesse processo, não é mesmo?

No caso de contratar a consultoria de uma agência de marketing digital, eu deixo aqui um alerta: busque por referências e só feche um contrato quando tiver certeza da credibilidade dessa empresa parceira.

Para ter certeza da sua escolha, confie em agências que:
– Contem com um bom portfólio
– Apresentem bons cases de sucesso
– Mostrem qual é a equipe que estará disponível e qual a capacitação de cada integrante
– Tenham experiência no mercado
– Demonstrem real interesse e compromisso em apresentar as melhores soluções para seu negócio e para seus clientes
Preste atenção: se você contratar uma agência de Marketing que não cumpra com o prometido e não trabalhe com responsabilidade, sua imagem também será prejudicada diante dos seus clientes. Isso sem falar no prejuízo de investimento.

E já que eu toquei nesse assunto, vou aproveitar para guiar você até o post em que conto como a Layer Up, minha agência de marketing digital, atua com agências de publicidade parceiras.

Acesse aqui e descubra como a consultoria de Marketing funciona na prática.


O que é Mídia Programática?

O nome pode parecer algo complicado e longe do seu dia a dia, mas você com certeza precisa saber o que é Mídia Programática

Já passou o tempo em que a principal opção para divulgar produtos e serviços era ligar para o responsável do “comercial” para negociar um espaço publicitário na revista, ou no jornal, ou ainda no site de um veículo de imprensa. E quem deu um jeito nessa história foi a tal de Mídia Programática.

Ela é o retrato perfeito do avanço da tecnologia. Atualmente, é também o braço direito do Marketing Digital.
Não sabe do que estou falando? Tudo bem. Esse nome assusta à primeira vista, mas a ideia é muito simples.

Vou descomplicar para você. Vamos lá!

Como funcionava a compra e venda de mídia

Antes de falar especificamente sobre o que é Mídia Programática, vou fazer um mini flashback e relembrar qual era o principal caminho percorrido pelo anunciante – seja este a empresa como compradora, ou a agência que fazia essa intervenção para um empreendimento.

Funcionava mais ou menos assim:


Reconhece essa cena? Por alguns anos essa foi uma conversa muito comum durante a compra e venda de anúncios digitais.

As apostas eram feitas com base em pesquisas rasas, normalmente no público-alvo de um veículo da imprensa e somente com base nos números de visualizações ou visitas do site.

Muito bem, agora que você está bem sintonizado podemos chegar na Mídia Programática, que mergulhou nesse sistema que apresentei agora e preencheu um punhado de lacunas, trazendo muitas melhorias.

Então, Mídia Programática é…

A Mídia Programática chegou para trazer um nível de informação mais detalhado, dar autonomia ao anunciante, executar tarefas de forma automática e, claro, agilizar todo o processo de Marketing Digital.

Ela é revolucionária porque permitiu que qualquer empresa, de qualquer tamanho, tenha a possibilidade de anunciar para seu público-alvo.

Esse conceito deu tão certo que, segundo o diretor de Data e Ad Effectiveness da Interactive Advertising Bureau – IAB, utilizar plataformas de automação para o planejamento, execução e otimização de compra de mídia já está muito próximo de ser considerado o “novo normal” para os estrategistas de digital.

Ou seja, basicamente, o que ocorre agora é que se tornou indispensável utilizar uma ferramenta de automação que simplifica todo o processo de compra de anúncios digitais, os quais são muito poderosos em termos de entrega de resultado.

Aqui vai um vídeo rápido com um resumo do que falei até agora:

É natural querer que sua marca esteja imersa nesse universo nesse mesmo segundo, mas tenha calma. Antes de tudo é recomendável ter mais algumas informações.
Pode seguir a leitura que vou ajudar você nessa missão.

Ferramentas de Mídia Programática

Agora que você já sabe o que é a Mídia Programática, vou mostrar os caminhos pelos quais ela pode percorrer.
Aqui estão as ferramentas que dão suporte para a execução de estratégias de campanhas e anúncios.


Google AdWords

Falei inúmeras vezes de Google AdWords aqui no blog e claro que essa plataforma não poderia ficar de fora dessa lista. É muito comum relacionar anúncios digitais com “aparecer no Google”. De fato, o AdWords ajuda no posicionamento, mas dentro da

Mídia Programática a função que destaco é a de segmentação para impactar um público muito específico na hora da busca.


→ Mais um detalhe: O Google conta com uma rede de sites parceiros. Qualquer pessoa pode ter um site e disponibilizar um espaço nele para o Google preencher com mídia.  Então, quando você anunciar, poderá conferir uma lista de sites que são acessados por um público com um perfil que lhe interesse. 


Redes Sociais

O Facebook é uma das redes mais famosas e conta com um banco de dados muito volumoso. O anunciante pode utilizar a plataforma do FacebookAds para segmentar uma campanha e direcioná-la para um público específico. Essa rede social então trabalha com as informações fornecidas e atinge o público selecionado dentro de sua base.

O mesmo processo ocorre com o Instagram, já que o Facebook comprou essa plataforma em 2012 e utiliza até mesmo uma única plataforma para a criação de anúncios.


→ Não se esqueça: o LinkedIn e o YouTube também são canais muito interessantes para atuar com Mídia Programática.


Waze

O Waze tornou-se um espaço excelente para anunciar, principalmente por contar com a função do GPS, o que ajuda a rastrear possíveis clientes nas proximidades.
mídia programática Waze
→ Exemplo: aplicamos essa tática para nosso cliente Morada do Arquiteto, em Caraguatatuba, e foi um sucesso. O usuário que busca por uma pousada na cidade é impactado pelo anúncio e consegue visualizar o caminho para o empreendimento.


OutBrain

Essa é uma ferramenta de recomendação de conteúdo. O que você compra por essa plataforma é um espaço de conteúdo.

→ Exemplo: sua empresa tem um blog e você costuma divulgar seus posts em suas redes sociais. Nesse caso, o OutBrain oferece novos canais de divulgação, já que você pode cadastrar um anúncio do seu conteúdo na plataforma e ela automaticamente exibirá esse material em um site que atinja o público-alvo segmentado por você, como uma recomendação para o internauta.


Criteo

O Criteo é uma plataforma parecida com o OutBrain, mas ela é focada em mídia display e banners, e não na recomendação de conteúdo. Essa é uma forma de divulgar seu anúncio até mesmo internacionalmente, já que a ferramenta possui uma rede de sites parceiros, que soma 16 mil Publishers no mundo todo.

Bart Simpson Internet GIF - Find & Share on GIPHY

→ Dica: alguns segmentos não passam pelas restrições do Google AdWords. É o caso da indústria de bebidas alcoólicas, já que é proibido divulgar esse tipo de produto por lá. No Criteo não há restrições para esse tipo de situação e o anunciante encontra uma solução alternativa para investir.


 

Estratégia, criação, um clique e ação!

Esse é um dos momentos que mais amamos aqui na Layer Up: a prática. Falar sobre o desempenho da Mídia Programática quando está em ação é empolgante porque os resultados geralmente surpreendem.
Claro que para chegar nesse sucesso é preciso:

Assim você terá boas chances de alcançar ótimos resultados. Isso ocorreu com um cliente da Layer Up, por exemplo.
A CERS, empresa especializada em cursos online, precisava aplicar uma nova estratégia de marketing e comunicação, e entre as atividades previstas estava o investimento em campanhas em rede de pesquisa e display.
→Resultado:

Com a estratégia adequada e o acompanhamento da campanha, que conta com otimizações diárias, o ROI mensal ultrapassou 1000%.

Isso mostra que a aplicação da Mídia Programática pode determinar um salto exponencial para sua empresa. Ao contar com um time dedicado e especializado no assunto, os resultados provavelmente superarão a expectativa.

Parece difícil, mas não é

Embora a Mídia Programática traga uma série de facilidades ao anunciante, é sempre importante contar com a ajuda de uma agência, ou de profissionais especializados para que as aplicações técnicas estejam sempre corretas e para que atinjam o melhor desempenho possível.

Mesmo assim, muitos empresários acabam até se assustando quando encontram siglas em relatórios, ou escutam dezenas de nomes estrangeiros em reuniões para apresentação de estratégias, por exemplo.

Por isso vou clarear as ideias para você, afinal, aqui na Layer Up deixamos os clientes sempre muito bem informados sobre os passos de cada projeto.

Preparei um pequeno glossário com os termos e siglas mais comentados dentro da Mídia Programática. É só rolar a tela!


CPC

O Custo por Click nada mais é do que a cobrança do anúncio no ato do ‘clique’ do internauta. Ou seja, se a mídia for apenas visualizada, nenhum valor será cobrado. Já falei sobre o uso estratégico do CPC aqui no blog.


CPA

Quando sua empresa possui vendedores comissionados, ou adota o Marketing de Afiliados, por exemplo, o CPA se aplica.
Essa sigla significa Custo por Aquisição, que é quando há uma conversão de venda e o anunciante então paga a comissão.


ROI

Essa é fácil! O ROI (Return on Investment) é o famoso Retorno de Investimento, que você já deve ter ouvido falar.

Ele é a métrica mais esperada pelos empresários: o valor de retorno que se teve em relação ao de investimento, sendo esse um resultado positivo, ou negativo.

A expectativa é sempre que ROI seja satisfatório e ultrapasse a soma dos gastos com a compra de mídia, claro.


RTB – Real Time Bidding

Esse é um conceito importante. Ele é o responsável por trazer o diferencial de maior destaque da Mídia Programática: a segmentação.

Um anúncio digital, exposto na home do portal de notícias UOL pode ser visto tanto por uma senhora de 60 anos, quanto para um rapaz de 22, certo? Com a base de dados utilizada no sistema RTB, a marca pode utilizar o mesmo espaço no portal, mas direcionar um anúncio específico para cada público. Genial, não?


Mídia Display

Aqui não tem segredo.

Quando ouvir falar em Mídia Display lembre-se imediatamente da palavra interação.

É um modelo de anúncio que permite vários formatos – vídeos, animações, sons, etc – e que também promove a interação do público com a publicidade.


O que já existia no Marketing por meio de telas interativas expostas em totens espalhados por shoppings, por exemplo, agora possui versões online em sites, redes sociais, sites de busca, entre outros espaços.

Essa evolução chegou também nas métricas. Hoje uma Mídia Display pode ter a atualização de resultados em tempo real, por meio das plataformas de automação que apresento logo abaixo.

Publisher é a empresa que oferece os espaços para anunciantes. Esse grupo normalmente é formado por sites informativos e grandes blogs.

Algum palpite para essa sigla?
Demand-side Plataform, uma plataforma responsável por segmentar o público de um anúncio. É por ela que o anunciante definirá o perfil do cliente e também estipulará o valor de investimento disponível.

Para encontrar as pessoas correspondentes ao perfil, a DSP se conecta sempre a uma Ad Exchange.
Um exemplo de DSP é a própria plataforma do FacebookAds.

Literalmente essa é a ponte entre o Publisher e o anunciante.

Trata-se de uma empresa que funciona como uma rede de conexões entre diversos sites e que disponibiliza esse inventário para que as agências e os anunciantes possam fazer a compra de mídia. Simples assim.

O Criteo, que citei lá no começo, é um exemplo.

Esse é mais um elemento de conexão. É conhecida como Ad Exchange a ferramenta utilizada para fazer a intermediação entre o Publisher e a DSP, publicando as campanhas de mídias programáticas. De forma, o processo de compra e venda de mídia online fica mais fácil, por conta da sua base de dados.

SSP é a sigla para Sell-side Plataform. Trata-se de uma plataforma que fornece o inventário do Publisher para as Ad Networks e Ad Exchanges.

A análise desses dados é feita em tempo real e assim a SSP busca as praças do mercado que são mais interessantes para o Publisher.

A Data Management Plataform centraliza todas as informações das páginas de um site, ou rede social, por exemplo. É por essa plataforma que se tem números como os de acesso, interações, visualizações, perfil da audiência, etc.

O exemplo aqui é o Google Analytics.
Quero mostrar em um esquema bem simples como essas peças se encaixam e formam o ecossistema da Mídia Programática:

Espero que depois desse post, a Mídia Programática deixe de ser um tema complexo e torne-se um conceito que faça muito sentido para você e sua empresa.

Caso você ainda tenha dúvidas, pode entrar em contato conosco, ou deixar um comentário aqui embaixo que eu respondo. Aqui na agência estamos sempre prontos para atender você.

Aproveite para conhecer um pouco mais da Layer Up navegando pelo nosso site!


Facebook Ads: 4 passos para obter resultados de sucesso

Tenha sucesso em sua campanha de Facebook Ads

Já é um fato consumado que toda empresa precisa, sim, se fazer presente nos veículos digitais. A maior parte das pessoas se concentra na internet, e se você deseja expandir seu negócio e torná-lo mais visível, é crucial que esteja fazendo parte deste universo. Bem, o Facebook Ads pode ser a porta de entrada.
Quando sua empresa marca presença no âmbito virtual, fica mais fácil a relação com os usuários da rede, porém, nada adianta criar anúncios e publicações excelentes, acompanhados de belas imagens, se deixar passar batido um fator que faz toda a diferença para o sucesso daquela postagem: a segmentação.
Não é porque o anúncio é excelente que ele pode ser simplesmente jogado na rede sem que haja qualquer estratégia de segmentação em cima dele. Por isso, o Facebook Ads é a melhor alternativa para esses casos, portanto, se você não sabe muito bem como fazer uso dessa ferramenta, aí vão algumas dicas:

  1. O engajamento deve ter investimento

As principais funções de investir no engajamento da marca é aumentar o reconhecimento de sua empresa e gerar confiabilidade por parte dos clientes em relação a ela. Concentre o tráfego de sua página no Facebook em alguns contatos já pré estabelecidos, levando em conta suas preferências. Isso ajuda para que o conteúdo seja propagado.
Quando se está começando com a utilização do Facebook Ads, ou então dando início aos trabalhos nas redes sociais, é importante investir com mais atenção nos segmentos abaixo:

Vale lembrar que, no caso de Facebook Ads, o foco principal está em levar um bom direcionamento de usuários para a página de sua empresa. Esse primeiro contato deve acontecer de forma bastante sutil. Não chegue já empurrando ofertas para as pessoas, elas tendem a ignorar ações como essas que podem influenciar negativamente o relacionamento futuro com a empresa.

Os posts abaixo que podem te ajudar a evitar alguns problemas:

– OS ERROS QUE PODEM ACABAR COM SUA EMPRESA NAS MÍDIAS SOCIAIS
– CRÍTICAS NEGATIVAS NA SUA PÁGINA CORPORATIVA: VOCÊ SABE COMO LIDAR COM ELAS?

  1. Aumente as curtidas de sua Fanpage

Para começar, podemos citar como bons direcionamentos para esse tipo de campanha os fatores logo abaixo:

Não é porque são o foco principal da campanha que precisam ser os únicos. Todo aquele público que citamos no item 1 é importante aqui também, pois ele se torna bastante útil quando estamos falando em aumentar o número de seguidores de uma fanpage.
Primeiro de tudo, é preciso analisar a maneira com a qual está tentando atrair pessoas para seu negócio. É a melhor forma que encontrou? Este meio é realmente atrativo? O que tem de diferencial ou de relevante que possa chamar a atenção das pessoas? É preciso investir na qualidade do próprio serviço quando estamos falando em segmentação.
Porém, antes de pensar em atrair novos seguidores, é preciso dar atenção especial àqueles que já se fazem presente na página de sua empresa. Ter uma boa base de fãs consolidada é fundamental para que a quantidade não fale mais alto do que a qualidade.

  1. Instale aplicativos e trabalhe com Opt-in’s

Aqui, depende muito da disponibilidade da audiência que seu conteúdo gera, mas é uma maneira ainda mais certeira e eficaz de segmentação. Um dos maiores desafios encontrados é convencer os usuários a passarem seus dados pessoais, tais como e-mail, aceitação de determinada solicitação ou então número do telefone.
Uma boa dica para trabalhar a segmentação de visitantes de um website a para o opt-in é focar nos seguintes grupos abaixo:

É uma questão de lógica, as pessoas que curtirem a fanpage de sua empresa tem maior probabilidade de preencher o opt-in ou então comprar algo. Porém, para que se obtenha sucesso nesta etapa é preciso seguir fielmente as que já citamos anteriormente, pois a sua base de fã deve ser firme e as pessoas precisam estar realmente interessadas no que tem para oferecer.

  1. Por fim, vendas

Quando falamos em vendas em relação ao Facebook Ads, tratam-se de vendas segmentadas, por isso, as pessoas a serem priorizadas com esse tipo de ação devem ser:

Quando falamos em venda, significa que o cliente já passou por todos os processos que citamos anteriormente de maneira correta, de modo que vai oficializar essa “aliança” que tem com a sua empresa realizando e optando por escolher o seu produto/serviço para comprar.
Não se esqueça também de dar uma atenção para aquelas pessoas que já compraram com você antes. Quer usuários melhores do que aqueles que já confiaram em sua marca? Eles, se forem bem usados, podem render muito mais lucros para o seu negócio.
Agora que já tem em mãos preciosas dicas, chegou a hora de arregaçar as mangas e caprichar naquela campanha criada por meio do Facebook Ads. Lembre-se de que bons resultados surgem apenas com boas ações. Então, não perca tempo e aplique essas dicas no dia a dia de seus negócios.
Siga a gente no Facebook =)
Se você tiver dificuldade, fale conosco, podemos te ajudar!
Antes de fecharmos nossa conversa, gostaria de fazer uma pergunta que pode te interessar. Você já ouviu falar na estratégia de Inbound Marketing? Pois bem, já te adianto que esse método pode te ajudar, e muito, em suas vendas! Vou deixar alguns links abaixo para que você conheça mais sobre o assunto e, se achar interessante ,para o seu negócio, aprofunde-se mais.
Vamos lá:
INBOUND MARKETING: O QUE É E COMO FUNCIONA?
Seguindo de outro bom conteúdo:
INBOUND MARKETING: SAIBA POR QUE ELE É O MARKETING DO FUTURO E APRENDA COMO UTILIZÁ-LO
Mas o que é o lead tão comentado? Pois bem:
LEADS: SUA DEFINIÇÃO E IMPORTÂNCIA PARA SEU NEGÓCIO
Agora vamos dar nome aos bois:
A DIFERENÇA ENTRE INBOUND MARKETING E MARKETING DE CONTEÚDO
O que é mensurar? O que fazer para saber se a estratégia adotada pela empresa realmente está trazendo benefícios?
O QUE É PRECISO MENSURAR NO INBOUND MARKETING? Espero ter ajudado e apresentado boas ideias para novos caminhos para você conquistar os seus objetivos.
Estamos à disposição, a Layer Up vai adorar te ajudar a tirar suas dúvidas sobre Facebook Ads e outras estratégias. Vamos tomar um café?


Publicidade online – 5 passos para criar uma campanha de sucesso

Você sabe criar campanhas online?

Não é novidade que estar presente na mídia social é um fator mais do que importante para sua empresa. Podemos basear essa afirmação em diversas estatísticas que comprovam sua veracidade. Porém, antes de gastar energia e dinheiro para realizar uma campanha de publicidade online (independentemente da plataforma utilizada), é necessário ter todo um planejamento para que seu esforço não seja perdido com maus resultados.
Antes de todo o processo, é preciso ter em mente que, do mesmo jeito que os usuários chegarão até você, você também vai precisar chegar até eles. Uma boa dica para fazer isso é frequentar sites e páginas das empresas concorrentes que já têm uma base de fãs consolidada, até porque não vai conseguir bons clientes por meio daquelas plataformas caóticas em que nada é feito para atrair novas pessoas.
Após encontrar esse cliente, dê um jeito dele saber da existência de sua empresa, deixe uma mensagem o convidando a visitar a página, faça algum tipo de desconto especial, enfim, aí já fica a seu critério.
Após ter esses fatores citados acima em mente, é aí que você será capaz de conseguir assimilar todos os passos que falaremos logo a seguir e mesclá-los a uma campanha para que ela saia assertiva. Confira:

  1. Segmente seu mercado

Não basta criar campanhas se baseando apenas nos clientes que conseguiu atrair. É preciso ter um conhecimento bastante específico antes de realizar qualquer campanha de publicidade online.
O relacionamento com os usuários e o alcance são facilitados quando já existe uma noção do que o mercado espera de sua empresa. Digo, o mercado em que seu negócio está inserido.
Mostre para seus seguidores que, além de conhecer o assunto a ser compartilhado pela campanha, sua empresa também busca sempre mais.
Uma forma de fazer isso é publicar links ou notícias relacionadas ao seu segmento para que isso agregue maior valor para sua marca e para aquilo que está anunciando.

  1. Invista

O seu cliente potencial precisa sentir segurança para adquirir aquilo que é anunciado por meio da campanha de publicidade online.
Um bom jeito de fazer isso é estimular que essa campanha chegue até ele. Você não vai conseguir fazer isso de forma orgânica – aliás, pode até conseguir, mas tenha a certeza de que não será tão bem visto ou então não passará tanta credibilidade.
A partir do momento em que você investe em uma campanha, ela passa a ser muito mais visualizada e também aceita. Tudo isso porque seus seguidores vão ver que sua empresa investiu naquilo, ou seja, é algo tão importante que seu negócio não poupou esforços para deixá-los em contato com aquela divulgação. Falando nisso, dê uma olhada neste texto sobre como o algoritmo do Facebook influencia a sua empresa.

  1. Baseie seus passos em fatos

Sempre que possível – de preferência em toda campanha a ser realizada – dê importância e destaque a fatos ou números que falem sobre sua empresa.
Isso ajuda a construir a credibilidade e segurança daquele anúncio, pegando carona no passo anterior.
Pode dar um certo trabalho e ser cansativo, mas quando vir os resultados, terá a certeza de que tudo o que foi feito não foi em vão.
Relate momentos marcantes, mostre gráficos, tabelas, métricas, enfim, tudo aquilo que seus seguidores vão ver e confiar. Pois, como diz um antigo ditado, contra fatos não há argumentos, e para uma campanha virtual não é diferente.

  1. Deixe seu seguidor ter contato com o que está sendo anunciado

Não basta apenas anunciar, é preciso fazer com que seus seguidores tenham contato com o que está sendo anunciado para terem a certeza de que realmente existe veracidade naquilo que foi dito por sua empresa.
Uma ótima maneira de fazer isso é dar algum tipo de vantagem para aqueles que se interessarem no produto/serviço anunciado, mesmo que para isso precisem preencher um pequeno cadastro com e-mail.
Assim, sua empresa encontrará uma brecha simples e eficaz quando for realizar o lançamento do e-mail marketing.
Faça seu cliente experimentar o que foi anunciado, ele precisa ter a certeza de que o produto/serviço oferecido é bom. Cuidado para não cometer erros que comprometam o sucesso de sua campanha.

  1. Entregue realmente aquilo que foi anunciado

Servindo perfeitamente como complemento do passo anterior, é de grande importância oferecer ao cliente aquilo que foi proposto.
De nada adianta propaganda enganosa. Seu seguidor precisa receber exatamente aquilo que foi anunciado, ou então tudo aquilo que levou tempo para construir pode ser prejudicado com uma única crítica.
Como perceberam, tudo envolvendo o Marketing Digital precisa ser analisado e passar por diversas técnicas específicas para que não haja erros.
Toda campanha de publicidade online que for realizada deve passar por todos esses procedimentos, lembre-se disso.
Pode parecer um bicho de 7 cabeças, mas tudo o que você precisa é de planejamento.
Sabemos que muitas empresas não conseguem encontrar tempo para desenvolver tal estratégia, ou estar mais próxima de seus clientes.  Muitas vezes a equipe está limitada e precisa pensar em mil coisas ao mesmo tempo, como a produção do produto, fornecedores a logística, enfim, trabalho infinito.
Pois bem, nós da Layer Up podemos te ajudar. Vamos tomar um café?
Conheça nossos serviços:

Gestão de redes sociais

É fundamental estar presente nas redes sociais, relacionando-se com seus consumidores, para que eles se lembrem de você sempre que precisarem de seus serviços ou produtos.

Produção de conteúdo

Sua empresa irá ganhar visibilidade e legitimidade, tornando-se referência para seu público e alcançando mais clientes. Focamos na otimização para motores de busca (SEO).

Publicidade online

Anuncie no Google, Facebook, LinkedIn e alcance milhares de potenciais clientes!
Gostou? Então, compartilhe!
Veja também:
+ REMARKETING: A FERRAMENTA QUE TE AJUDA

Contato//

Fale com um especialista, tire dúvidas ou deixe sua sugestão para a Layer Up. Nosso time está pronto para dar um UP em seu negócio e entregar os melhores resultados!

    Newsletter

    Assine a newletter e receba informações do mundo digital.