Tráfego pago ou tráfego orgânico: tudo que você precisa saber para fazer a melhor escolha

Apesar de serem utilizados todos os dias, muitas pessoas ainda não estão familiarizadas com os conceitos de tráfego pago, tráfego orgânico ou até mesmo tráfego online. Decidir entre os tipos de tráfego não é tão simples à primeira vista e com certeza não é com uma fórmula pronta que você chegará na resposta.

Se você trabalha com marketing digital, pelo menos uma vez na vida já deve ter se deparado com essa dúvida. Mas essa tarefa também não precisa ser uma dor de cabeça. Uma vez que você entende suas prioridades e o público que quer atingir, é mais fácil entender também qual é o tipo de tráfego online certo para você.

Por isso, neste artigo vamos te explicar todos os detalhes do tráfego pago e do tráfego orgânico, desde o conceito até a execução, para que não restem dúvidas na hora de escolher. Continue com a gente e boa leitura!

O que é tráfego online?

Antes de falarmos sobre os prós e contras de cada tipo de tráfego online, primeiro é preciso entender o que significa esse termo.

Vamos pensar em uma situação fora do ambiente digital: é véspera de feriado e você decidiu passar o final de semana na praia. Sabe o trânsito que você pega na ida? Isso é um tipo de tráfego, certo? Vamos supor que você esteja indo para uma praia específica, parte de uma longa faixa litorânea com várias cidades e praias. De todos os carros que estão descendo com você, apenas alguns vão para o mesmo lugar; os outros vão se dividir entre os outros destinos no mesmo caminho. 

Quando falamos de tráfego online, é como se a sua presença na internet, seu local online, fosse uma dessas praias. Muitas pessoas estão transitando por ela e também por todas as outras opções similares, todos os dias. O caminho que elas fazem até você é chamado de tráfego e ele pode ser pago ou orgânico.

Então, basicamente podemos definir o tráfego online como todas as visitas que você recebe no seu site, blog, e-commerce, redes sociais, etc. Com isso em mente, vamos falar sobre os diferentes tipos de tráfego.

Leia também:

Tráfego pago

No tráfego pago há o que chamamos de investimento físico. Ou seja, como o próprio nome já diz, é preciso investir dinheiro para que seu local online apareça nos primeiros resultados de um buscador.

Partindo da mesma analogia da praia, com o tráfego pago é como se você construísse um atalho na rodovia, identificado por uma placa bem chamativa, para que as pessoas cheguem mais rápido ao seu destino e de forma mais assertiva. 

Principais características do tráfego pago

Por ser um tipo de anúncio, o tráfego pago tem algumas particularidades. A primeira delas é a relação alcance + segmentação. Nas plataformas onde é possível investir em tráfego pago, para configurar um anúncio é preciso traçar o perfil do público desejado, com dados demográficos, sociais e culturais.

Dessa forma, a própria plataforma faz o trabalho de direcionar seu site, e-commerce ou rede social exatamente para as pessoas que se encaixam na descrição que você forneceu. Assim, o público já chega mais segmentado e qualificado

Além disso, os resultados acabam sendo mais rápidos e assertivos, já que as pessoas que chegaram até ali realmente têm maior probabilidade de querer o que você está oferecendo, seja um produto, um serviço, uma informação ou uma experiência.

tráfego pago

No entanto, é importante ter em mente que, ao mesmo passo que o tráfego pago traz resultados imediatos, a durabilidade dele tende a ser mais curta, necessitando de manutenção (mais investimento) ou atualização (novos anúncios) constantes.  

Por esse motivo também, o tráfego pago se torna uma ótima opção na fase de consolidação da presença online de negócios e empresas. Visto que ele gera conversão quase que imediata, com o tráfego pago é possível crescer na categoria e se tornar conhecido no mercado em pouco tempo e muitos cliques.

Meios e plataformas

Hoje, existem muitas plataformas no mercado onde é possível investir em tráfego pago. Cada uma delas tem um foco diferente e detém um público específico. Por isso, é importante analisar bem antes de escolher:

tráfego pago

Além da plataforma, uma das decisões mais importantes a ser tomada é a forma de pagamento. Existem duas opções principais, o CPC e o CPM.

Enquanto o CPM significa custo por mil e é pago a cada 1.000 impressões do seu anúncio, o CPC significa custo por clique e é pago somente quando ocorre um clique no seu anúncio.

Assim como nas outras escolhas, não existe certo ou errado, mas sim, o que se encaixa melhor nos seus objetivos de negócio. 

Tráfego orgânico

Enquanto o tráfego pago é resultado dos conteúdos em que você investe dinheiro, o tráfego orgânico é um resultado dos conteúdos em que você investe tempo e dedicação para que, mesmo sem nenhum tipo de impulsionamento físico, seu público-alvo também chegue até você.

Quando falamos em tráfego orgânico, estamos necessariamente falando de um esforço a mais na hora de produzir e divulgar conteúdos para receber as visitas, já que, sem o investimento, seu conteúdo automaticamente vai ficar atrás dos primeiros resultados — os anúncios — em buscadores como o Google.

Segundo dados do Search Engine Land 2018, 90% dos usuários clicam apenas nos primeiros links que aparecem nos resultados. Quer uma prova prática? Quantas vezes você avançou para a página 2 do buscador? Provavelmente não foram muitas. Por isso, é primordial que seu conteúdo esteja bem formulado para competir pela melhor posição.

Principais características do tráfego orgânico

Como você já entendeu, é preciso muita habilidade para produzir um conteúdo que consiga se destacar e receber visitas, mesmo sem nenhum dinheiro investido. Dessa forma, o conteúdo tende a ficar mais completo e assim, apresentar algumas vantagens que devem ser levadas em consideração.  

tráfego pago

Se a vantagem dos anúncios é aparecer por primeiro nas buscas, a desvantagem é justamente ser um anúncio. Muitas pessoas evitam clicar em anúncios pressupondo que esses sites vão tentar vender alguma coisa. Assim, muitos cliques acabam sendo direcionados exatamente para os resultados orgânicos. É nesse momento que seu conteúdo se torna relevante e pode trazer mais tráfego para seu site que um conteúdo pago. 

Além disso, ao contrário dos resultados imediatos do tráfego pago, no tráfego orgânico pode demorar um pouquinho até que você consiga a audiência que busca, mas, quando ela vier, será mais duradoura e qualificada, já que as pessoas realmente buscaram por você. 

Isso não somente cria um vínculo entre você e seu público, com grande potencial de se tornar um relacionamento positivo que levará para a conversão, como também não tem prazo de validade, podendo durar o tempo que for, se devidamente atualizado. 

Por último, mas não menos importante, uma das maiores vantagens do tráfego orgânico é o custo-benefício, claro, já que você não investe nenhum dinheiro, mas pode ter um retorno significativo.

Boas práticas nunca são demais

Não é só o conteúdo que determina a performance de um conteúdo na busca orgânica. Sabe aquele site lento, que não abre direito? Pois bem, ele já perde pontos com os motores de pesquisa, que detectam esse problema na página e a direcionam para colocações inferiores.

Se, junto a isso, o site também não tiver uma boa usabilidade, um conteúdo interessante, intuitivo e com boa leitura, ele pode despencar de vez nas posições.

Assim, algumas boas práticas são essenciais para melhorar o ranqueamento e conseguir o tão esperado tráfego orgânico.

tráfego pago

Seguindo algumas diretrizes e colocando o foco do conteúdo nas dores e  necessidades do seu público, o tráfego orgânico virá como uma consequência natural aos seus esforços.

Qual dos dois é melhor?

Antes de se perguntar qual é o melhor tipo de tráfego — pago ou orgânico — é importante entender que ambos são importantes e podem ser até complementares para sua estratégia digital. 

Como vimos, ambos têm vantagens e desvantagens e cada um deles é específico para um momento da marca, um propósito. Mas isso não extingue a possibilidade de, inclusive, serem alcançados ao mesmo tempo. A estratégia principal na hora de decidir é conhecer seu público a fundo.

Para que fique mais fácil entender qual deve ser o seu foco, trouxemos algumas questões para reflexão:

Qual é o seu objetivo?

O que você espera da campanha que está lançando? Conversão, tráfego, vendas? Antes de qualquer outra coisa, você precisa ter um plano de ação concreto e objetivos bem claros. Assim fica mais fácil traçar o restante.

Qual público deseja atingir?

Um público novo? Um público que já está na sua base, mas precisa ser lembrado da sua marca? Dentro dessa questão também vale pensar como eles buscam pela sua empresa no Google e, principalmente, como você deseja ser encontrado por eles. Tudo isso ajuda a construir suas próximas ações.

Quem são seus concorrentes nesta busca? 

São concorrentes diretos ou seu negócio não tem precedentes? Como você pode se diferenciar e se destacar deles na hora de divulgar sua marca? E o mais importante: como você quer que seu público te reconheça em meio a eles?

Qual é o momento que seu negócio vive? Seu objetivo é outro ponto importante, que você deve ter sempre bem claro.

Essa questão tem muito a ver com seus objetivos, mas também com a capacidade da sua empresa. O que você pode realizar agora? É viável investir dinheiro nos seus conteúdos? Seu site ou rede social já está pronto para isso? 

Lembre-se que seções bem definidas, um menu organizado, informações com perguntas frequentes, contato, etc. são essenciais, caso contrário, os usuários não ficarão. Por outro lado, é possível investir tempo para produzir um marketing de conteúdo completo? Analise com sinceridade o momento que seu negócio vive hoje e desenvolva uma estratégia que esteja de acordo com isso. 

Saiba mais:

Hoje, o usuário está acostumado a encontrar rapidamente o que procura. É preciso preparar o conteúdo da melhor forma para prender sua atenção e garantir sua permanência, tenha ele vindo por meio de um tráfego pago ou orgânico.

Lembre-se de que tanto tráfego orgânico ou tráfego pago são muito importantes e que tudo vai depender dos seus objetivos, seu orçamento, seu público, o momento que sua empresa vive e diversos outros fatores que precisam ser considerados. 

Não se preocupe em apressar as coisas e dedique tempo para construir uma estratégia digital que te leve exatamente onde você quer chegar. Se precisar de ajuda nesse processo, temos soluções que vão colocar você no rumo certo.

Ajudamos nossos clientes a encantar e vender mais com aumento de tráfego no seu site!

tráfego pago

SEO: otimize o seu site para o Google

Todo especialista em Marketing hoje sabe da importância da otimização de SEO em qualquer estratégia de Marketing Digital

Devemos nos manter atentos com as atualizações do Google para nos garantirmos sempre nos resultados de busca com as palavras-chave do nosso negócio.

E por que esse tal de SEO (Search Engine Optimization) é tão importante?

Com um site bem otimizado, você começará a ter resultados como: mais visitas, maiores taxas de conversão de Lead e, finalmente, irá fechar mais negócios.

Avalie o conteúdo do seu site:

Pesquise quais são as palavras-chave do seu negócio, os termos que seu público-alvo está procurando, e inclua-os em seu conteúdo. É muito importante essa fase, pois ela irá ajudar em sua futura produção. Outro detalhe importante para quem tem um site com bastante conteúdo e quer colocar a “casa em dia’’ é revisar todas as páginas do seu site. É trabalhoso, mas muito importante, pois se você tiver conteúdo duplicado, você tem um problema para a otimização do SEO. Crie uma planilha e divida-a em partes, organize por páginas visitadas, seleção de palavras-chave para cada categoria e, como já disse antes, lembre-se do que seu público-alvo está procurando.
Depois de concluir essa revisão para todas as suas páginas, ou pelo menos as mais importantes para o seu negócios, comece a adicionar as palavras-chave em seu site.

Como começar a adicionar as palavras-chave em seu site?

Comece pelos títulos e siga adicionado nas metas descrições, cabeçalhos e conteúdo, nome dos arquivos de imagens e URLs. É bastante trabalho pela frente e você deve seguir a risca estes detalhes. A dica que eu te dou para facilitar: comece com as páginas que recebem mais tráfego.

Títulos:

Os títulos são muito importantes, pois são exibidos no navegador e nos resultados de pesquisa e são os estimuladores direto sobre as taxas de cliques (CTR) das pessoas que fazem pesquisas e rankings de busca. Não escreva um título com mais de 65 caracteres, e você deve incluir a sua palavra-chave ou frase para as pessoas que buscarem sobre o assunto encontrarem sua página facilmente com o tema desejado.

“Você tem que pensar como seu público-alvo pesquisaria sobre um determinado assunto”.

Descrições:

Não preciso nem dizer o quanto a descrição é importante para a otimização do SEO, pois também é exibida nos resultados de pesquisa e pode ajudar a aumentar o CTR, mas digo que não tem impacto direto sobre a classificação. Sua finalidade é vender os benefícios de clicar no conteúdo da página. Dê uma olhada abaixo:

Cabeçalhos e conteúdo:

Para os seus visitantes permanecerem mais tempo dentro de uma página, é importante que ele encontre o que está buscando. Então, se você coloca a palavra-chave no cabeçalho e no conteúdo, a probabilidade de ele se manter no seu site é bem maior. Lembre-se sempre de que você esta conversando com seus leitores e não para o Robozinho do Google, então de nada adianta você encher a sua página com palavras-chave se ela não esta coerente com o conteúdo.
Embora você deva incluir palavras-chave em todo o site, você deve evitar o uso excessivo para o bem do SEO, pois se usar com frequência pode parecer manipulação e o robozinho é inteligente o suficiente para achar que você está trapaceando e você pode ser punido com um “cartão amarelo” nos resultados de pesquisa.

Títulos de imagens e text alt:

Você não pode deixar passar as imagens na hora de otimizar o seu site. Considere incluir palavras-chave nos títulos das imagens e no texto alternativo (text alt). Essa técnica ajuda o Google a encontrar o seu site por imagens e, um detalhe muito importante, melhora a acessibilidade para deficientes visuais que utilizam leitores de tela. Seja preciso e descritivo em suas legendas e não esqueça da sua palavra-chave.

URL:

Esta parte é muito importante para as empresas que fazem bastante conteúdo para blog, pois se você incluir palavras-chave na URL, a possibilidade do público-alvo chegar até você é bem maior, e você pode otimizar sua URL sempre que postar algum novo conteúdo. Mas mais uma vez, não tente enganar os motores de busca com palavras-chave repetidas e enganosas. Seja profissional.

A dica que dou para você leitor e interessado pelo assunto é: não tente enganar o Google e não deixe o SEO como a ultima coisa da sua lista, pois além de você não estar dando atenção a esse ponto, você está fazendo errado.

O maior valor que o seu publico-alvo pode ter dentro do seu site é ter uma boa experiência e, claro, esse visitante irá voltar, não apenas por sentir interesse pelo seu conteúdo, mas também por sentir interesse pelo seu produto. Quando ele voltar, já será um potencial cliente. Pense nisso, pense nele em primeiro lugar.

Se você precisar de ajuda, saiba que nós da Layer Up estamos à disposição!

Veja também outros posts que podem te ajudar:

+ Google Webmaster Tools: Conheça todas as ferramentas do Google
Produção de Conteúdo – Como desenvolver para cada perfil de consumidor
+ Como gerar mais tráfego para sua empresa
+ Buyer Personas – O que são e como criá-las


Como gerar mais tráfego para o site da sua empresa

Sua empresa esta preparada?

De nada adianta passar um bom tempo preparando sua empresa para se lançar no mundo virtual e, quando finalmente esse dia chega, o resultado  não chega nem perto do previsto. Frustrante, não? Para que isso não aconteça é preciso gerar mais tráfego para a página/site de sua empresa.
Podemos definir tráfego como o fluxo de pessoas gerado com estratégias estabelecidas. Esse tráfego varia de acordo com o conhecimento que sua plataforma online vai criando. Isso também acontece levando em conta os investimentos que devem ser feitos para que você aumente seus clientes.
Para isso, gerar tráfego é muito importante. Não há nada na internet que consiga se sustentar por muito tempo quando não existe um investimento feito ou uma boa estratégia para a prospecção de novos clientes. O trabalho realizado sem nenhum planejamento anterior é serviço em vão.

Como gerar mais tráfego?

Abaixo, algumas dicas de como conseguir gerar mais tráfego para o site ou página de sua empresa. Confira:

SEO

Uma das mais famosas estratégias do Marketing Digital – e a mais usada também -, SEO nada mais é do que a otimização de seu site. Quando bem feita, consegue gerar mais tráfego para a página online de sua empresa. Use palavras-chave que façam seu negócio ser reconhecido, com isso conseguirá boas colocações nos mecanismos de busca quando a palavra relacionada com sua página for procurada por alguém.

Não duplique conteúdos

Esse é um dos fatores que pode acabar de uma vez por todas com a sua plataforma virtual. Normalmente, por falta de experiência em gerar tráfego ou simplesmente por desleixo, muitos profissionais pegam conteúdos prontos de outras páginas e utilizam na página de sua empresa.
Além disso não dar certo, pois sua página precisa ter conteúdo exclusivo de acordo com o que sua empresa oferece, você pode levar alguns processos caso seja descoberto.

Faça publicação de vídeos

Sempre que possível, faça uma publicação de vídeos em sua página. Essa ferramenta ajuda a diferenciar um pouco os conteúdos publicados. Seja uma breve descrição do produto/serviço disponível ou um tutorial de como utilizá-lo, isso ajudará também na estratégia de SEO. A plataforma virtual de sua empresa terá mais conteúdo, transmitindo credibilidade para os usuários que acessarem. Essa estratégia certamente te ajudará a gerar mais tráfego.

Invista em Remarketing

Esta é uma estratégia de altíssima eficiência para gerar mais tráfego. Tudo porque o Remarketing faz com que pessoas que já passaram pela página/site de sua empresa se lembrem de seu negócio e voltem a acessá-la, transformando-os em clientes.
Porém, para que o investimento não seja em vão, é preciso conhecer bem o seu público e quem deseja atrair. Caso contrário, a estratégia não te ajudará a gerar tráfego.

Marque presença nas redes sociais

Quer estratégia mais prática e simples do que esta para gerar tráfego? Atualmente, o número de pessoas que de alguma forma têm acesso às redes sociais em todo o mundo é muito grande. Como o foco das empresas é estar sempre encontrando pessoas, não pode desconsiderar esse fator, que nos dias de hoje chega a ser um dos mais importantes para o Marketing Digital – se não for o mais.
Tendo tudo o que foi dito em mente, tenho certeza de que sua empresa alcançará ótimos resultados nas pesquisas realizadas, assim como essas ferramentas também contribuirão para que seu negócio torne-se mais visível e confiável nas redes. Lembre-se: para tudo é preciso ter foco e determinação.  Nenhuma estratégia iniciada deve ser anulada, normalmente os bons resultados levam algum tempo para aparecer.
Se você precisar de ajuda, fale com a gente!
Veja também:
+ Leads – Sua definição e importância para seu negócio
+ Inbound Marketing – O que é preciso mensurar
+ 5 passos para criar uma campanha de sucesso – Publicidade Online


Ninguem lê o conteúdo da sua empresa? Saiba o que fazer

Xiii, ninguém esta lendo o conteúdo da sua empresa?

 Não é de hoje que batemos na tecla de que sua empresa precisa desenvolver conteúdos de alta qualidade para compartilha-los na rede, ou seja, aquele conteúdo em que dá gosto de ver, abordando assuntos de maneiras diferentes para fisgar o usuário, e não se utilizando de textos prontos, cheios de erros ortográficos e com uma abordagem sem relevância para todo o público que deseja atingir.
Então, isso quer dizer que apenas produzindo um bom conteúdo ele terá sucesso e sua empresa se tornará referência? Não, é óbvio que não. Apesar da qualidade, um conteúdo não se promove sozinho, tudo bem que algumas das vezes – em pouquíssimos casos – o próprio Google acha esse conteúdo e o coloca em evidência, mas isso é algo muito difícil de acontecer, é melhor não ficar esperando que isso aconteça.
A criação de um bom conteúdo que chame a atenção é algo de grande importância, mas não é o único fator com que deve se preocupar. Se o conteúdo estiver na qualidade esperada, é preciso unir essa arma com sua força de vontade e partir para a guerra, quer dizer, para a promoção desse conteúdo de forma que as outras pessoas saibam que ele existe e o que pode agregar para elas.
Não importa o tempo em que se viva, seja semana passada, ontem, hoje, daqui alguns dias, enfim, é essencial que sua empresa sempre esteja criando novas redes de contatos no meio virtual. Esses contatos podem ser pessoas fluentes, jornalistas, blogueiros especializados, dentre outras pessoas que de alguma forma mantém contato com o que você procura atingir.
Antes de tudo, voltando a bater na tecla, seu conteúdo precisa estar atrativo, é necessário que ele desperte a atenção, além disso, você precisa ser alguém sociável, em que as outras pessoas gostam de ter por perto. Faça também ‘parcerias’ com plataformas/empresas não tão fluentes assim, pois conforme uma delas vai crescendo, simultaneamente ajuda no desempenho da outra. Lembre-se que fazer contatos é diferente de puxar saco.
 

O que mais pode ser feito para deixar o conteúdo em evidência?

Após ir criando as redes de contato citadas acima, a próxima etapa é fazer com que todo esse conteúdo possa ser compartilhado. É importante observar em outros sites os tipos de conteúdo que mais fazem sucesso, ou seja, todo o esqueleto da publicação, a linguagem abordada, a relevância que tem na vida das pessoas e usar isso como modelo para seu próprio conteúdo, não se esquecendo de que tudo tem que ir de acordo com o público que deseja se comunicar.
É importante criar no leitor a sensação de que ele precisa compartilhar o conteúdo para que outras pessoas leiam também, o assunto tratado pode ser já bastante batido, mas a forma como sua empresa o desenvolve e publica é o que faz toda a diferença para que chame a atenção das pessoas.
Não é porque viu um bom conteúdo que você vai copiar ele e apenas argumentar usando partes desse conteúdo como inspiração, isso não é errado de fazer, mas limita muito a forma com que sua empresa vai se comunicar com os usuários da rede, passando a sensação de que o conteúdo está bom, porém sem ter aquela pegada que envolva toda a sua audiência, e esse é o fator de maior importância.
É crucial que o conteúdo tenha voz única, que aborde exatamente o ponto de vista que sua empresa tem sobre o assunto tratado, e não o que outros sites de referência pensam, desenvolva seus próprios argumentos mantendo a linguagem que seu negócio se utiliza. Por mais que um conteúdo seja escasso, se for bem trabalhado pode ser visto como uma grande inovação para os leitores.
Em resumo, não tem como negar que é um fundamental que sua empresa publique conteúdos de qualidade nas redes para que se consiga atingir a audiência desejada e essas pessoas ficarem satisfeitas, mas, é necessário também levar esse conteúdo para que outros usuários tenham acesso a ele.


Como administrar bem o blog da sua empresa – Marketing de Conteúdo

Com todo o avanço da informação e das ferramentas que estão sendo disponibilizadas para conseguirmos melhorar o empenho de nossas empresas na mídia social, alguns serviços que já existem por longos anos acabam deixando de ter todo aquele reconhecimento que tinha antes, o que pode ser um passo muito errado, já que as novas ferramentas, apesar de funcionarem bem sozinhas, tendo um complemento faz com que a comunicação se torne mais eficaz do que ela realmente é.
Uma dessas ferramentas é o blog, antigamente era o “bam bam bam” da mídia social, até mesmo antes das empresas se fazerem presentes dentro do âmbito virtual. O blog, apesar de ter perdido espaço, merece – e muito – ser lembrado por todos os profissionais desta área, pois consegue abranger diversos tipos de postagens continuamente, independentemente do lugar em que você esteja, ou seja, quando necessário realizar uma publicação de imediato, ela pode ser feita com smartphones, tablets e qualquer dispositivo móvel.
No caso, o blog é um forte aliado para fortalecer ainda mais a relação entre “cliente-empresa”. Funciona também como um complemento ao site de sua empresa ou a página na rede social. Pode ser usada para divulgar produtos, textos institucionais, dentre qualquer outro tipo de assunto relacionado que queira tratar. Mas como administrar bem o blog da sua empresa?
Após o blog ser criado, ele tem a função de intensificar essa relação, como já foi dito anteriormente. Esse processo é realizado com as publicações. Elas podem ser por meio de áudios, textos, imagens ou qualquer outro tipo que queira compartilhar. O blog tem isso como vantagem também, não é fechado para apenas um tipo de divulgação.

Outras informações que merecem destaque de como administrar bem o blog da sua empresa

Uma das maiores dúvidas é quanto ao tipo de publicação que os clientes considerem relevantes para serem compartilhadas pela empresa. Veja abaixo o que a publicação deve conter:

Esses são os dois principais fatores de como administrar bem o blog da sua empresa, porém, tudo isso precisa ser mesclado também com dinamismo, para que o blog não perca o fôlego e seriedade, transmitindo confiança aos usuários quando acessarem a página.

Quando o conteúdo é relevante?

Um conteúdo pode ser considerado relevante para o público quando apresenta novidades que tem a ver com o perfil deles, algo que esteja em destaque dentro do nicho comercial de sua empresa, ou então, aquilo que tem a ciência de que é importante para seus clientes.
Assim como toda plataforma virtual, as postagens também devem passar pela otimização de conteúdo, e isso acontece com as palavras-chave, técnica mais eficaz para que a publicação possa ter uma maior visibilidade em relação àquelas que não fazem uso dessa importante ferramenta de crescimento de audiência.
Outro fato de grande importância dentro dos blogs são os espaços para os comentários dos usuários. São por meio desses comentários que sua empresa vai perceber o que precisa melhorar, o que não está dando muito certo e, também, no que deve continuar investindo por estar trazendo um retorno grande, sendo em número de visualizações, novos seguidores e até mesmo os lucros do seu negócio.
Em resumo, o blog não deve em hipótese alguma ser esquecido. Hoje, ele não funciona mais como plataforma principal, mas é um ótimo aliado para complementar as plataformas já existentes e servir para fazer um gancho entre elas. Se a sua empresa ainda não possui um blog, pense já em como mudar isso. Quanto mais presente se fizer na internet, mais vai conseguir atrair público para sua empresa.
Agora que você já está mais informado sobre como administrar bem o blog da sua empresa para criação de conteúdo, indico outros textos para que você aprofunde o seu conhecimento e avalie como o desenvolvimento de conteúdo pode ser um ponto forte na estratégia digital da sua empresa.
Produção de Conteúdo – Como desenvolver para cada perfil de consumidor
Marketing de Conteúdo: Seu forte aliado no pós- venda
Conteúdo: 5 Dicas de como produzi-lo nas Redes Sociais
Com produção de conteúdo, sua empresa irá ganhar visibilidade e legitimidade, tornando-se referência para seu público e alcançando mais clientes.
Se tiver dúvidas, fale conosco!


Link Building: o que é, como fazer e por que fazer?

No curso de Inbound Marketing que aplico na São Paulo Digital School, um dos assuntos que mais geram dúvidas em SEO é como fazer link building. Os alunos muitas vezes não sabem do que se trata e por que esta prática é tão importante para conseguir um posicionamento melhor na busca orgânica.

Para começar, vamos entender um pouco do funcionamento do motor de busca do Google.

O que é link building?

Quando você faz uma busca no Google, não está de fato pesquisando na web, mas sim no índice do Google da web.

Para isso, o buscador usa programas de softwares chamados indexadores, que começam fazendo uma “varredura” em algumas página da web, seguem os links que encontram nessas páginas e buscam aquelas para as quais eles direcionam, e assim sucessivamente, como uma teia que vai ampliando a cada nova página e seu universo de links, até indexar (armazenar) grande parte da web – bilhões de páginas.

Então, quando você busca um determinado tema, o software pesquisa nesse índice, para encontrar toda página que inclua os termos da sua pesquisa. A maioria das vezes será centenas de milhares de resultados possíveis para a sua busca.

Então, como o Google define quais as páginas são mais relevantes para sua busca? Qual deve aparecer em primeiro lugar na sua pesquisa, e em segundo e em terceiro. Isso é definido pelo tal do algoritmo do Google. E antes que você entre em pânico com essa palavra, eu “traduzirei” em miúdos.

Algoritmo é como está programado o software indexador. É como se ao fazer uma busca que gere milhares de resultados, o Google fizesse uma sabatina em cada uma das páginas para ver quem é a mais adequada.

Com uma série de mais de 200 perguntas, o software “interroga” cada uma das páginas encontradas e dá nota final para elas. E assim como em um vestibular, quanto maior a nota, melhor a classificação de cada um.

As “perguntas” feitas para as páginas têm pesos diferentes e são, por exemplo, assim:

E essa última pergunta é bem importante e definitiva no resultado. Ou seja, tem um peso bastante grande para a nota final e classificação da página. E aqui chegamos ao ponto que eu queria.

O PageRank é uma fórmula criada pelos dos fundadores do Google, o Larry Page e o Sergey Brin, e o objetivo dela é avaliar a importância da página analisando quantos links externos direcionam para ela e a importância desses links.

Então, aqui entram mais algumas perguntas:

E para esses links dá-se o nome de Backlink.

Agora fica fácil entender conceito e prático do link building:

Como fazer link building?

Antes de saber como fazer, quero falar sobre como NÃO fazer link building. O grande erro é focar em ganhar links de qualquer maneira, em qualquer lugar e a qualquer preço.

Comprar espaço em outros sites, pagar blogueiros para divulgar links ou fazer “permutas” viola as diretrizes do Google, que construiu um algoritmo tão inteligente que consegue identificar quando há links destinados a manipular o PageRank.

Veja detalhes do PageRank neste link.

Nesses casos, em vezes de gerar mais autoridade e melhorar a classificação, a página é penalizada e perde, e muito, sua nota de PageRank.

Agora que você já sabe que não vai adiantar truques, vamos entender como fazer link building da maneira correta:

É preciso que sua página seja compartilhada ou mencionada pelo maior número de pessoas. Isso pode ser nas redes sociais ou em outras páginas de alta qualidade na web. Para isso, sua primeira preocupação tem que ser em produzir conteúdo extremamente interessante, que vai chamar a atenção de muita gente de verdade.

Depois em ter um ótimo trabalho com a gestão das suas redes sociais, onde seus links irão começar a se espalhar, e por fim, mas não menos importante, você precisará fazer um trabalho de assessoria de imprensa, para buscar páginas relevantes, construir um relacionamento profissional e divulgar seu conteúdo em sites com PageRank alto.

1. Produção de Conteúdo Estratégico

Você pode chamar de Marketing de Conteúdo ou conteúdo estratégico, mas não deixe de investir nessa ação que é, sem dúvida, a melhor estratégia de fortalecimento da marca, atração de visitantes e link building possível.

Ao construir conteúdo que seja interessante para sua audiência, você atrai muito mais visitantes, e naturalmente muito mais usuários nas redes sociais irão compartilhar seu link ou, quem sabe, até em outro sites, como “fonte”.

Então, a regra de ouro aqui é:

Crie conteúdo que tenha uma forte relação com o seu negócio e que seu público queira ver – dessa forma, ele irá compartilhar e gerar backlinks para você.

Para isso, saiba quem é seu potencial-cliente e o que ele quer/precisa saber. A partir desses dados, faça um plano editorial e comece a produzir o conteúdo.

Lembre-se de que esse conteúdo não precisa necessariamente ser um artigo em blog. Podem ser também infográficos, vídeos, lista de produtos… Teste o melhor formato para seu público, faça uma pesquisa de palavras-chave e analise constantemente seus resultados.

2. Gestão de Mídias Sociais

A próxima etapa para sua estratégia para link building é estar presente de forma consistente nas redes sociais. Mas calma, você não precisa começar a criar perfis em TODAS as redes, além de ser trabalhoso — e portanto caro — manter todos os canais atualizados não é a solução. Você precisa estar onde sua audiência está, e não onde a “moda” diz que é “cool”.

Então a regra de outro aqui é:

Escolha poucos canais, porém onde seu potencial cliente está, produza conteúdo informativo, divulgue e interaja com o público.

Para isso, evite falar apenas sobre produtos ou ter um discurso de venda, entenda definitivamente que sua rede social serve para aproximar o público ao conteúdo que você está produzindo. Ser interessante para a sua audiência é falar aquilo que eles querem saber, e não o que você deseja que eles saibam.

Mostre seu know-how no mercado em que atua por meio de divulgação de artigos úteis e um bom relacionamento. Trabalhe com o foco em atrair visitantes para o seu site.

3. Assessoria de Imprensa

Por último, mas nem de longe menos importante, uma vez que você tenha um ótimo conteúdo, e já esteja atraindo visitantes que compartilham seu conteúdo, é hora de ampliar os horizontes e alcançar metas mais ousadas.

Conseguir divulgar seu material em portais de comunicação de alta repercussão e aumentar exponencialmente sua visibilidade e PageRank.

Isso exige um trabalho ainda mais elaborado para ganhar espaço em outros sites, pois você não está apenas atraindo pessoas interessadas em seu mercado, mas precisará conquistar jornalistas com matérias que se tornem oportunidade e pauta dentro dos portais.

Então, a regra de ouro aqui é:

Não inicie esse trabalho imediatamente em suas primeiras publicações. Ganhe um pouco de experiência, conquiste espaço e fortaleça sua autoridade.

Dê esse passo com mais segurança, e veja quais os temas geraram mais visualizações. A partir daí, você conseguirá ter um “norte” para construir matérias ainda mais ricas, e com capacidade de provocar o interesse dos jornalistas especializados.

O que o assessor de imprensa fará é encontrar os principais canais (portais) para o seu mercado e entrar em contato com cada um deles oferecendo matérias (links) que foram produzidos. Não, não é uma tarefa simples conquistar esse espaço, mas é muito valioso cada backlink que conseguir.

Considerações finais

Como pode ver, não há uma fórmula mágica e imediata para alavancar o PageRank e alcançar as primeiras posições no Google. E quem tenta “trapacear” fatalmente acaba sendo penalizado e perdendo muitas posições.

Este é um trabalho que precisa ser encarado com seriedade, buscando resultados de médio ou longo prazo e baseado em um estratégia bem formatada de SEO, com metas, objetivos e KPIs.

Se precisar de ajuda, aqui estão alguns serviços da Layer Up para sua empresa:

Inbound marketing

Desde 2006 o inbound marketing tem sido o método mais eficaz – e de baixo custo – para atrair e fidelizar clientes.

Gestão de redes sociais

É fundamental estar presente nas redes sociais, relacionando-se com seus consumidores, para que eles se lembrem de você sempre que precisarem de seus serviços ou produtos.

Produção de conteúdo

Sua empresa irá ganhar visibilidade e legitimidade, tornando-se referência para seu público e alcançando mais clientes.

Consultoria estratégica

Uma das maiores causas de falência das empresas é a falta de planejamento e a erros na administração

Desenvolvimento de sites e blogs

Atualmente é fundamental para qualquer empresa ter um website e construir sua presença digital.

Quer melhorar seu posicionamento na busca orgânica do Google? Então você precisa saber de uma vez por todas o que é link building!

Google Webmaster Tools: conheça todas as ferramentas do Google

Conhece o Google Webmaster Tools?

Não é somente um carro que precisa ser revisado frequentemente, um site também precisa sempre passar por manutenção. Quando isso deixa de acontecer, pode-se notar várias partes da plataforma que ninguém nunca mexeu, peças de HTML não originais em relação ao template, etc.

Existe uma infinidade de coisas que podem prejudicar o andamento do site se não revisadas com frequência, inclusive no posicionamento orgânico. Por isso, viemos falar do Google Webmaster Tools.

Ele funciona como se fosse uma caixa de ferramentas para o seu veículo. É uma mão na roda para que essa revisão sempre esteja acontecendo.

Seu uso diário não fará com que conserte as páginas, porém, vai te dar uma boa orientação de como fazer isso, além de dicas de quais search queries no Google o seu site tem melhor desempenho, sem contar a respeito da produção de conteúdo e da escolha das palavras-chave.

O Google Webmaster Tools é totalmente gratuito. O recurso existe desde 2005 e oferece um leque enorme de ferramentas disponibilizadas. Confira abaixo as principais ferramentas deste sistema e saiba como sempre deixar o seu site bem revisado. Veja:

  1. Data Highlighter

Atua de forma manual, ajudando o Google a entender como é que funciona o seu site. Os robôs da empresa que disponibiliza o recurso costumam fazer isso, mas o que custa dar uma pequena forcinha para ajudá-los?

Com essa ferramenta, mesmo sem o uso do HTML, o Google consegue identificar dados para buscá-los com uma maior velocidade. Faça o processo apenas em algumas páginas do mesmo layout, depois disso o próprio Google irá repetir o processo.

  1. Search Queries

Essa pode ser considerada a ferramenta mais popular e importante de todo o Google Webmaster Tools, pois com ELA é possível fazer com que as pessoas cheguem até o seu site, verificar em que páginas elas clicam e ainda por cima medir a audiência de sua plataforma virtual.

Essa ferramenta possui diversas métricas, veja abaixo cada uma delas e como interpretá-las:

  1. Internal Links

Se tudo que foi dito é uma parte da laranja, esta aqui é a outra metade. O Google “pega bem” com aqueles sites que são bem amarrados, com uma grande abundância de links internos e sem nenhuma página perdida por lá.
Com essa ferramenta, é possível detectar essas “páginas órfãs” e acrescentar alguns links internos nela.

  1. Content Keywords

Sem muito mistério, aqui são mostradas as palavras-chave utilizadas com mais frequência em todo seu site. Essa lista merece uma atenção maior vinda de sua parte, são elas que o Google associa com mais intensidade em relação ao site de sua empresa.

  1. PageSpeed Insights

Funciona ainda como um experimento no recurso. Está disponível na aba “Other Resources”, porém, é uma das que você deveria usar como prioridade.

Um site que carrega todas suas abas rapidamente não ajuda somente no SEO, mas também faz com que a navegação pela plataforma se torne mais agradável para seus clientes. Ou conhece alguém que ainda tem paciência para esperar os sites carregarem? O PageSpeed te ajuda nisso.

Apesar de existirem outras ferramentas dentro do Google Webmaster Tools, essas que citamos acima são as mais utilizadas e aquelas que trazem os melhores retornos para o site, mesmo para os iniciantes.

Então, independentemente da experiência que tenha com o assunto, vale a pena começar a fazer uso deste recurso e fazer do seu site um dos melhores no segmento em que atua.

Conheça as ferramentas mais utilizadas do Google Webmaster Tools e saiba mais sobre como ter melhores retornos para o seu site:

Contato//

Fale com um especialista, tire dúvidas ou deixe sua sugestão para a Layer Up. Nosso time está pronto para dar um UP em seu negócio e entregar os melhores resultados!

    Newsletter

    Assine a newletter e receba informações do mundo digital.